Pluft, o Fantasminha - criança tem que ser criança e ponto!


Estreia hoje, em 450 salas de cinema do Brasil, longa baseado no clássico de Maria Clara Machado dirigido por Rosane Svartman

Não estou aqui para levantar bandeira em prol de uma causa, mas sim defender algo que nos últimos anos tem me incomodado, e muito! Em tempos de likes, cancelamentos, influencers e outros que tais, não gosto muito do que acompanho nas redes sociais com os chamados influenciadores mirins. "Mas que po#@! é essa?", como diz a Minha Ne.

Será que nesses tempos tão bicudos nos quais vivemos, até nossos pequenos precisam de alguém, provavelmente influenciado por um outro alguém "grandão", para um direcionamento em suas escolhas, sonhos e desejos? Mais uma vez cito a Minha Ne: "Mas que po#@! é essa?". Tirar de uma criança a sua espontaneidade, no meu entender, é uma agressão!


Pois bem, eis que surge nesse cenário turvo e chato uma grata surpresa: o filme Pluft, o Fantasminha, baseado no clássico teatral de Maria Clara Machado. Relembrando, Maria Clara fundou uma das mais importantes escolas de teatro do Brasil: o Tablado. Além disso, é considerada a maior autora de teatro infantil do país. Autora de, aproximadamente, trinta peças infantis, livros para crianças e três peças para adultos.


Adaptar um clássico já é uma grande responsabilidade, e o filme dirigido por Rosane Svartman cumpre essa missão com maestria. Rodado entre os anos de 2016/2017 e finalizado em 2020, o filme é um resgate a inocência. Sim, o longa nos remete para um tempo em que ser criança era simplesmente a melhor fase da vida.


Com um orçamento milionário, cerca de R$ 13 milhões, produção impecável e elenco afinado, isso sem falar nas gravações subaquáticas e na envolvente trilha sonora, Pluft, o Fantasminha tem tudo para bater recordes de bilheteria e marcar época. Mas o mais importante nisso tudo é o recado que Maria Clara Machado já havia dado em 1955, e que todos os envolvidos na produção do filme reforçam para os menos avisados: criança tem que ser criança e ponto!

Sinopse

O filme mostra a inesperada amizade entre o fantasminha Pluft, que morre de medo de gente, e a menina Maribel. Ela é sequestrada pelo pirata Perna-de-Pau, que quer usá-la para achar o tesouro deixado pelo seu avô, o falecido Capitão Bonança Arco-íris. Na casa abandonada onde o velho morou, Maribel espera pela ajuda dos marinheiros Sebastião, João e Juliano, muito amigos do velho capitão, que saem em uma atrapalhada busca pela garota. Eles não chegam nunca e ela acaba conhecendo Pluft e sua família fantasma.

Assista ao trailer:


Ficha técnica
Pluft, o Fantasminha
Direção - Rosane Svartman
Roteiro - Cacá Mourthé e José Lavigne
Elenco - Nicolas Cruz (Pluft), Lolla Belli (Maribel), Fabíula Nascimento (Mãe Fantasma), Juliano Cazarré (Pirata Perna-de-Pau), Lucas Salles (João), Arthur Aguiar (Sebastião), Hugo Germano (Julião), José Lavigne (Tio Gerúndio) e Daniela Cecato Barbyeri (Prima Bolha)
Participações Especiais - Gregório Duvivier, Orã Figueiredo e Simone Mazzer
Produção - Clélia Bessa
Produção Executiva - Diogo Dahl
Produtores Associados - José Alvarenga Jr. e Bruno Wainer
Direção de Fotografia - Dudu Miranda
Direção de Arte - Fabiana Egrejas
Supervisão de Efeitos - Sandro Di Segni
Produção de Elenco - Cibele Santa Cruz
Direção Musical e Trilha Sonora Original - Tim Rescala, MBr
Montagem - Natara Ney e Welington Dutra
Figurino - Márcia Tacsir
Maquiagem - Mari Figueiredo e Cacá Zech
Som Direto - Álvaro Correia
Edição de Som - Waldir Xavier
Mixagem - Armando Torres Jr. | ABC, e Caio Guerin
Supervisor de Finalização - Juca Díaz
Supervisão de Estereografia - José Francisco Neto | ABC
Supervisão de Tecnologia - José Dias
Direção de Fotografia Subaquática - Roberto Faissal | ABC
Distribuição - Downtown Filmes

Postar um comentário

0 Comentários