Escritor John B. Thompson detalha colisão da indústria editorial com a revolução tecnológica



O alicerce sobre o qual o mundo do livro se sustentou por quinhentos anos foi abalado por novas formas de fazer mais rápidas e baratas e com a entrada de players de peso no mercado

Nas últimas décadas, o mundo vem passando por uma revolução tecnológica tão radical e tão abrangente como nunca houve na longa história da espécie humana. Ela está transformando o panorama da informação e da comunicação e destruindo muitos setores que tiveram um papel decisivo na configuração desse ambiente, antes e durante a maior parte do século XX, como jornais, rádio, televisão, música, cinema. E a indústria editorial do livro não é exceção.

“O que acontece, então, quando a mais antiga das nossas indústrias de mídia se choca com a maior revolução tecnológica do nosso tempo?”, pergunta-se o sociólogo John B. Thompson em As guerras do livro: a revolução digital no universo editorial, lançamento da Editora Unesp.

“Com o passar dos anos, esse choque extraordinário entre a mais antiga indústria de mídia e a formidável revolução tecnológica do nosso tempo foi aos poucos ganhando forma, produzindo resultados que poucos observadores tinham previsto”, anota o autor.

“O que raramente estava presente nessas análises era a percepção real sobre como o desenvolvimento de novas tecnologias e sua adoção, ou não, conforme o caso, está sempre inserido em um conjunto de instituições, práticas e preferências sociais, e sempre faz parte de um processo social dinâmico no qual indivíduos e organizações buscam interesses e objetivos próprios, procurando melhorar suas posições e passar para trás os outros numa luta competitiva e, por vezes, implacável”, define o escritor.

Com base em 180 entrevistas com altos executivos e outros funcionários de diversas organizações americanas e britânicas, principalmente em Nova York, Londres e Vale do Silício - das grandes editoras de interesse geral a um grande número de startups, organizações de autopublicação e empresas editoriais inovadoras - Thompson destrincha os meandros da revolução em curso no mundo dos livros. Do nascimento dos livros digitais à explosão da autopublicação e à crescente popularidade dos audiolivros, esta obra oferece uma análise abrangente e refinada da disrupção tecnológica em uma das indústrias criativas mais importantes, bem-sucedidas, influentes e longevas da história.

“Este livro parte do pressuposto de que só podemos compreender o impacto da revolução digital numa indústria como a do livro - e, na verdade, em qualquer indústria, seja ou não de mídia - mergulhando no caos do mundo social e compreendendo como as tecnologias são desenvolvidas e exploradas, como são adotadas ou ignoradas por indivíduos e organizações que estão situados em determinados contextos, são guiados por determinadas preferências e perseguem determinados objetivos”, pontua.

“O que procurei apresentar aqui não é tanto uma observação isolada no tempo, e sim um retrato dinâmico de um campo em movimento, enquanto os indivíduos e as organizações dentro desse campo tentam compreender e se adaptar às mudanças que estão ocorrendo ao seu redor - além de tirar partido delas”, finaliza Thompson.

Sobre o autor

Foto - Divulgação

John B. Thompson é professor emérito de Sociologia da Universidade de Cambridge e Emeritus Fellow do Jesus College, Cambridge. De sua autoria, a Editora Unesp publicou Mercadores de cultura: o mercado editorial no século XXI (2013) e agora As guerras do livro: a revolução digital no universo editorial (2021).

Ficha técnica
As guerras do livro: a revolução digital no universo editorial
Autor - John B. Thompson
Tradução - Fernando Santos
Editora - Unesp
Páginas - 575
Preço - R$ 124,00
Para mais informações ou comprar clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários