Pesquisa se debruça sobre a história dos livreiros no Brasil a partir do século XVIII



Obra examina conexão entre França, Portugal e América na circulação de ideias e livros, a partir da chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro

Muito mudou naquela terra, ainda colônia de Portugal, com a chegada de D. João VI e sua corte, vindos da Europa diante da ameaça Napoleônica, no ano de 1808. O território do Brasil se abriu de múltiplas formas, inclusive com a criação de uma imprensa oficial e a possibilidade da circulação de livros de forma não clandestina.

Pois é este mercado e os personagens de então que o livro Livreiros no Novo Mundo: De Briançon ao Rio de Janeiro, lançado em coedição entre a Editora Unesp, a Editora da USP (Edusp) e a Editora da Unicamp, examina: a conexão que se estabeleceu entre França, Portugal e Brasil no comércio de livros.

O autor, Jean-Jacques Bompard, debruça-se sobre a vida de um de seus antepassados, por meio de um rigoroso processo de pesquisa nos arquivos de sua família e de instituições na Europa e no Brasil.

“Natural de Briançon, no departamento dos Altos Alpes, no sudeste da França, Jean-Baptiste Bompard nasceu em 1797 e, 20 anos depois, trocou as montanhas natais por Lisboa, onde atuava um tio. Em 1818, seguiu para o Rio de Janeiro, a fim de colaborar com o primo Paulo Martin. Quando este falece, em 1824, torna-se o mais importante livreiro da cidade, depois de ter se estabelecido na rua dos Pescadores (atual rua Visconde de Inhaúma), número 49”, anota Lucia Maria Bastos Pereira das Neves no prefácio.

No entanto, mais do que uma biografia do livreiro Bompard, a obra procura examinar igualmente as práticas políticas e culturais do mundo luso-brasileiro do fim do século XVIII até inícios do XIX, época de agitação febril, com as invasões napoleônicas em Portugal, a transferência da família real portuguesa para cá, o crescimento do movimento editorial, a liberdade de imprensa e, por fim, a independência do Brasil em 1822.

“Importava, portanto, inserir esses homens e seus livros nesse contexto, tornando inteligível a passagem do Antigo Regime a uma nova ordem social, que chamamos Modernidade”, acrescenta Pereira das Neves.

No livro, escrito em linguagem simples e direta, o autor procura examinar, com inteligência e exatidão, as diversas facetas da trajetória desses livreiros do Novo Mundo e analisar o caminho por eles percorrido. Para isso, recorre a duas dimensões: as histórias de suas vidas e a obra que realizaram, consubstanciada no papel que assumiram na vida cultural, política e editorial do período.

“Uma vez que souberam conduzir seus negócios com energia e habilidade em um período agitado, seus nomes estão intimamente ligados à história da circulação das ideias e aos episódios marcantes da emancipação da antiga grande colônia portuguesa que contribuíram para delinear o Brasil de hoje”, pontua Jean-Jacques Bompard.

Um mergulho profundo e delicioso àqueles que se interessam pelo mundo dos livros e em como eles se envolveram no processo de formação daquilo a que chamamos Brasil nos dias atuais.

Ficha técnica
Livreiros no Novo Mundo: De Briançon ao Rio de Janeiro
Autor - Jean-Jacques Bompard
Prefácio - Lucia Maria Bastos Pereira das Neves
Tradução - Leila V. B. Gouvêa
Editora - Unesp
Páginas - 248
Preço - R$ 67,26
Para mais informações ou comprar clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários