Crônicas de brasileiro viajante abordam os dois extremos de um mundo polarizado



Imigrante nos Estados Unidos, Gustavo Miotti publica "Crônicas de uma pandemia" com reflexões intimistas sobre ditaduras e democracias a partir da queda do Muro de Berlim

O que passear de tuk-tuk na Índia tem a ver com o sucesso musical de 1985 We are the world, George Orwell e os apagões em Cuba? Conexões imperceptíveis a olhares menos sensíveis são afloradas na visão intimista de Gustavo Miotti em Crônicas de uma pandemia - Reflexões de um Idealista. Viajante nato, o autor uniu experiências pelo mundo a reflexões sobre a condição humana nos dois principais sistemas socioeconômicos.

Destinos complexos como Coreia do Norte, Etiópia e Cuba são abordados na primeira parte da obra. Em “Sob a sombra do comunismo”, Gustavo compartilha histórias, descobertas e a impressão de um brasileiro acerca das imposições da doutrina econômica no cotidiano de homens e mulheres. Pequenos detalhes ascendem observações analíticas sobre temas que vão da política à ciência.

O autor também narrou uma viagem à antiga Tchecoslováquia, pois “queria conhecer a vida do outro lado do muro e como estavam se adaptando à democracia”. O país, que em 1992 fazia transição entre o comunismo e o capitalismo, chamava a atenção do então jovem viajante por conta da beleza da cidade de Praga e de um personagem em especial: o presidente Vaclav Havel.

"Ele assumiu a presidência logo após a queda do regime comunista e conduziu o processo de separação amigável do país entre tchecos e eslovacos de forma brilhante. Em apenas seis meses, os tchecos e os eslovacos voltaram a ter países independentes, sem uma gota de sangue, algo raro na Europa Oriental da época", Crônicas de uma pandemia, pág. 26.

Após discorrer sobre a experiência coreana, o autor atravessa o Oceano para dissecar os Estados Unidos. Intitulada “A fragilidade da democracia”, a segunda parte do livro mergulha naquele que talvez seja o principal paradoxo da mais antiga democracia do mundo: a luta pela igualdade racial. Da escravidão à guerra civil, as crônicas adentram no período pandêmico para revelar as investidas da Casa Branca em tentar abrandar as estatísticas desoladoras no país, onde o autor vive há cinco anos.

Quem se interessa por política, cultura e relações internacionais encontra em Crônicas de uma pandemia um panorama sociocultural contemporâneo na perspectiva de um brasileiro que percorreu mais de 70 países. Além do Brasil e EUA, Gustavo Miotti morou também na Itália, Reino Unido e estudou na China e na Índia. Empresário e Cientista Econômico, atualmente pesquisa atitudes relativas à globalização em seu doutorado.

Sobre o autor

Foto - Divulgação

Gustavo Miotti é natural de Caxias do Sul (RS), mora nos EUA há cinco anos. Empresário, formado em Ciências Econômicas com mestrado na Universidade de Lancaster (Inglaterra) e doutorando no Rollins College (Estados Unidos), onde pesquisa atitudes relativas à globalização. Este é seu primeiro livro de crônicas, no qual conta sobre suas experiências de viajante apaixonado e imigrante nos EUA.

Sinopse

O que passear de tuk-tuk na Índia tem a ver com o sucesso musical de 1985 We are the world, George Orwell e os apagões em Cuba? O olhar atento de Gustavo Miotti a desvelar conexões imperceptíveis a olhares menos sensíveis. Neste livro, o autor nos presenteia com um panorama sociocultural contemporâneo que combina viagens e experiências cotidianas permeadas por reflexões bem humoradas sobre a condição humana. São crônicas que interpretam o mundo de uma forma peculiar, um retrato do mundo atual - e passado - lapidado pela escrita fluente e aconchegante desse cronista.

Ficha técnica
Crônicas de uma Pandemia - Reflexões de um Idealista
Autor - Gustavo Miotti
Editora - Buqui
Páginas - 160
Preço - R$ 17,91 (e-book) e R$ 19,90 (impresso)
Para mais informações ou comprar o e-book clique aqui e o livro impresso aqui

Postar um comentário

0 Comentários