Bloqueio criativo, você sabe como lidar com ele?



A escritora romancista Stephanie Caroline fala sobre como o bloqueio criativo acontece e, como, muitas vezes, ele nos impede não apenas de escrever, como é o caso dela, mas também de tomar decisões na vida. E como ela faz para fugir dessa armadilha

A autora de Deixe-me Roubar seu Coração e outros romances como Nada é por Acaso, 13 Contos de Amor ou Não, Diário da Garota em Crise, Para Sempre e o novíssimo Amor, Destino Final, fala sobre um dos fantasmas que assombram principalmente a vida dos escritores, mas que podem também ser um problema para outros profissionais: o bloqueio criativo.

“O bloqueio criativo não acontece só com escritores, é claro. Pode acometer qualquer pessoa que precise criar, expandir seus horizontes e entregar trabalhos dentro de um determinado prazo”, lembra a autora. Segundo ela, ele acontece, geralmente, quando há algo específico que gera o que se pode chamar de um “congelamento da criatividade”.

“O bloqueio criativo é muito pessoal. Para alguns, por exemplo, a pandemia foi o estopim perfeito para criar, elaborar histórias e se afundar no trabalho. Mas, para outros, ela foi simplesmente uma parede que impediu a criação de acontecer”, lembra Stephanie. Segundo ela, tem quem use o dia a dia para criar, e ele pode ser um prato cheio ou, então, uma lástima.

A autora também revela que, depois de escrever um livro de sucesso, muitos autores se cobram muito: “o próximo livro tem que ser melhor que o anterior e isso gera uma ansiedade, uma autocobrança terrível. Foi o que aconteceu comigo depois de Deixe-me Roubar seu Coração, que foi um sucesso de vendas e crítica”, conta ela.

Mas, como sair desse estado de letargia, quando não se tem forças para criar? Stephanie conta o que ela faz e que, geralmente, funciona muito bem: “o primeiro passo é simplesmente parar de forçar uma situação. Não adianta sentar na frente do computador e querer que saiam frases lindas se você não está inspirado”.

“Ler coisas diferentes do que está habituado, e bem diferentes do seu estilo, pode ser uma forma de fazer a criatividade brotar novamente, no caso de escritores”, reforça ela, “mas você pode meditar, usar técnicas de respiração que vão diminuir a ansiedade, o que pode funcionar para qualquer pessoa”, lembra.

Outra atitude que ajuda muito, segundo a escritora, é ouvir música, ir para perto da natureza, fazer algum esporte, ou seja, fazer algo diferente e se mexer, sem se cobrar para criar: “no caso de quem escreve, é preciso, também, aceitar a ideia de que você não é um escritor ruim se olhar a tela e pensar: isso não está bom, vou recomeçar, ou vou usar de outra forma”. Ela afirma: “às vezes, escrever uma frase por dia, sem objetivo algum, pode ajudar a ir desbloqueando aos poucos a criatividade, nem que seja preciso apagar e começar tudo no dia seguinte, e está tudo bem”.

Sobre a autora

Foto - Divulgação

Stephanie Caroline, que começou a escrever aos 8 anos para expressar suas emoções, escreveu seu primeiro livro, Doce Vida de Ana, aos 15 anos. A publicação aconteceu 10 anos depois, e, de lá para cá, já foram mais 6 livros: Nada é por Acaso, 13 Contos de Amor ou Não, Diário da Garota em Crise, Para Sempre, Deixe-me Roubar seu Coração e o recém lançado Amor, destino final. O oitavo romance já está em desenvolvimento. Formada em Publicidade e Jornalismo, Stephanie ama ler e adora criar histórias com aquele toque mais vida real, com personagens “gente como a gente”. Suas leitoras gostam de histórias românticas, mas com um toque mais vida real e que buscam identificação e reflexão no que é revelado ao longo do livro.

Postar um comentário

0 Comentários