Temporada Alfa Criança apresenta o espetáculo 'Zazou - Um Amor de Bruxa'


Carol Hubner em cena de 'Zazou - Um Amor de Bruxa'. Foto - Sabrina Almeida

Nascida no Cairo, a autora Nadine Trzmielina apresentou sua bruxinha primeiro em livro, depois no YouTube e agora chega aos palcos

A bruxinha Carmesinda Aretuza, ou Zazou, fazia suas “maldadezinhas” exalando os fedores de suas poções por toda a cidade. Vivia feliz com seu fiel escudeiro, o urubu Boris, até que um dia o inesperado aconteceu quando ela se apaixonou por Mirabô, o vendedor de perfumes.

Num passe de mágica, Zazou se tornou conselheira amorosa da cidade e suas poções foram transformadas em doces perfumes. Novamente tudo mudou e o amor azedou como leite que fica fora da geladeira. Zazou precisou tomar uma decisão difícil, com consequências inesperadas para ela, Mirabô e o rabugento urubu Boris.

Esta é a doce e engraçada história de 'Zazou - Um Amor de Bruxa', que estreiou a Temporada Alfa Criança, ficando em temporada aos sábados e domingos às 16 horas horas até dia 30 de maio . O espetáculo tem texto, direção de arte e figurinos de Nadine Trzmielina, direção de Aílton Guedes, cenário de Heron Medeiros, iluminação de César Pivetti e músicas e direção musical de Raphael Gama e preparação corporal e coreografias de Fabíola Alves. No elenco estão Carol Hubner, Ailton Guedes, Adba Cuba, Lala Machado e Rodrigo Risone. A produção é do Coletivo Fileira 3.

Apresentada primeiramente no livro 'Carmesinda Aretuza - Zazou', a personagem estava prestes a ganhar os palcos na peça infantil 'Zazou - Um Amor de Bruxa' quando a pandemia aconteceu, e com a necessidade de isolamento social a montagem teve que esperar. Enquanto aguardavam o tempo certo para subir ao palco, a voz da personagem se materializou na TV Zazou, pelo canal do YouTube do grupo.

Pulga atrás da orelha

Carol Hubner em cena de 'Zazou - Um Amor de Bruxa'. Foto - Sabrina Almeida

“Esta bruxinha é para mim como a ‘pulga atrás da orelha’ de todo mundo. Zazou se liga com minha história de vida. Uma imigrante que deixou de ser criança aos 9 anos.” Nadine veio do Cairo, deixando para trás sua infância, depois de expulsa com a família em 1957. “Desde então, muitas perguntas sobre tudo - principalmente sobre os adultos - me fizeram querer entender as coisas. Daí, sem falar português, foi fácil criar o meu universo, com desenhos, criando personagens que fazem perguntas de todo tipo. Desde então, o fazer por meio das artes foi a linguagem e o caminho”.

A história de Zazou foi primeiro para literatura antes de ganhar o palco do teatro. “Busquei todas as expressões artísticas que se realizam ao mesmo tempo no teatro. Por isso vi Zazou como personagem que canta, dança, ousa e faz mágicas - quase bruxarias - para consertar as coisas que devem ser como ela acha que devem ser. Escrevi o texto para o palco, e aguardei o momento certo para mostrá-la. Passeou comigo, junto com o universo da literatura e das artes, no contato com crianças e professores em escolas e na minha escola de artes ‘Sei lá’", comenta a atriz.

Nadine, que participou de várias coleções de artes para crianças da Editora Callis , como o livro 'Portinari para crianças', com adaptações e traduções premiadas, publicou três títulos e lançou Zazou primeiro em Lisboa, pela Editora Chiado, em seguida na Livraria da Vila, em São Paulo. ”Super feliz, com o sempre maravilhoso Ailton Guedes contando a história. O livro foi super, mas eu sempre esperei uma coisa maior para Zazou”, declara Nadine.

Sobre a montagem

O diretor Aílton Guedes privilegiou o bom-humor e o olhar infantil para as coisas da vida adulta, presentes no livro de Nadine Trzmielina: “para trazer ao palco essa história de amor de uma bruxa por um perfumista francês, optamos por brincar com o arquétipo da bruxa em conjunção com signos do amor romântico, misturando e desconstruindo os estereótipos na medida em que um entrelaça-se com o outro”.

Ailton se apropriou da relação simbólica entre os cheiros e os sentimentos para criar mais um ponto de apoio lúdico de entendimento do desenrolar da trama e das mudanças que se operam no interior do casal. “Como o enredo nos apresenta uma história bastante moderna de uma situação atemporal, no sentido dos acontecimentos cotidianos que envolvem os casais, apostamos bastante nas referências de moda e do universo infantil de hoje e de ontem, criando uma sensação de atualidade sobre algo que não é de hoje. Esteticamente nos apropriamos das cores, formas e situações nonsenses, traços marcantes nas ilustrações de Nadine, mantendo uma proposta estética que brinca com tudo isso e, também, com o bidimensional, inerente à linguagem das ilustrações”, explica o diretor.

Carol Hubner em cena de 'Zazou - Um Amor de Bruxa'. Foto - Sabrina Almeida

O livro foi o ponto de partida para a ambientação. Foram compostas músicas que vestem a história. O cenário, de Heron Medeiros, foi adaptado das ilustrações feitas pela própria Nadine para o livro. Para ajudar a dar o tom e o ritmo do espetáculo foram criadas músicas, pelo Raphael Gama, e coreografias, pela Fabíola Alves, simples e com referências variadas, dependendo do movimento interior das personagens.

“Partimos do erudito e do Charleston e passeamos pelo rock, pela valsa e pelo rap, tudo para que o espetáculo seja uma grande e animada brincadeira com o público, que é conduzido auditivamente por esse passeio mágico pelo universo de Zazou”, explica Ailton Guedes.

Sobre a proposta para a criação de luz, de César Pivetti, e a da cenografia, de Heron Medeiros, o diretor diz que ambos foram convidados a brincar com o estabelecimento dos climas que vão do bruxuleante até o de festa colorida de casamento. Para os figurinos de Nadine Trzmielina, que assina também a direção de arte, foi pedido que ajudasse a concretizar com a moda as mudanças de postura de Zazou, além de vestir de forma livre e criativa todas as personagens, brincando com as referências e o inesperado.

Para o encenador, a ideia é mostrar ao público uma comédia infantil musicada, com muita confusão e um final feliz, como uma forma de contribuir com a recuperação necessária, nos dias de hoje, da alegria e da esperança de que um mundo mágico, mais doce e perfumado nos aguarda, sim, e o caminho é o amor.

Crianças a partir de seis anos

Dirigido ao público infantil a partir de seis anos, o espetáculo trabalha a saga do herói e tem o cuidado de respeitar os arquétipos dos personagens dos contos de fadas. A peça aborda os seguintes temas: auto estima, semelhanças e diferenças, tolerância e convivência, os sentidos, ligando-os às emoções, higiene, comportamento e meio ambiente.

“É um espetáculo que brinca com nossas percepções sensoriais olfativas e as usa como um recurso de compreensão da trama. Conforme Zazou se torna uma bruxa de alma doce, por conta do amor por Mirabô, suas poções se tornam perfumes e ficam mais suaves e agradáveis, chegando a se tornar enjoativo para o gosto de Boris, que adora fedores. E quando Mirabô fica preguiçoso, começa a ficar fedido. Até que ao final eles finalmente conseguem ser felizes, nem tão perfumados e nem tão fedidos”, conta a atriz Carol Hubner.

Ficha técnica
Zazou - Um Amor de Bruxa
Texto - Nadine Trzmielina
Direção - Ailton Guedes
Elenco - Carol Hubner, Ailton Guedes, Adba Cuba, Lala Machado e Rodrigo Risone
Stand-in | Swinger - Lucas Sancho
Direção de Arte e Figurinos - Nadine Trzmielina
Cenografia - Heron Medeiros
Iluminação - César Pivetti
Maquiagem e Visagismo - Lala Machado
Músicas e Direção Musical - Raphael Gama
Preparação Corporal e Coreografias - Fabíola Alves
Fotos - Sabrina Almeida
Produção - Coletivo Fileira 3
Assessoria de Imprensa - Fernanda Teixeira e Macida Joachim | Arteplural

Serviço
Zazou - Um Amor de Bruxa
Temporada - até 30 de maio - sábados e domingos
Horário - 16hs
Duração - 75 minutos
Local - Teatro Alfa
Endereço - Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 - Santo Amaro - São Paulo
Ingressos - R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Classificação - a partir de seis anos
Para mais informações ligue 11 5693-4000 ou clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários