Buracos negros: rompendo os limites da ficção


Imagem ilustrativa

Baseados em teorias físicas matematicamente precisas e testadas, autores se debruçam sobre fenômenos da relatividade geral e da mecânica quântica de forma acessível ao grande público

Em 2019, o mundo ficou atônito diante da revelação de que, pela primeira vez na história, era possível ser vista uma foto de um buraco negro. A imagem meio embaçada, em que um anel alaranjado cerca uma esfera negra, refere-se ao horizonte de eventos - última parte visível para um observador externo antes do buraco em si - do corpo celeste localizado no centro da galáxia M87, distante a mais de 53 milhões de anos-luz da Terra.

Mas, afinal de contas, o que são buracos negros e por que esses objetos exercem tanto fascínio sobre os seres humanos? É em torno da tentativa de responder a estas perguntas que gravitam os físicos André Landulfo, George Matsas e Daniel Vanzella em 'Buracos negros: rompendo os limites da ficção', lançamento da Editora Unesp.

Responder a essa pergunta já nas primeiras linhas do livro pode parecer uma péssima estratégia de marketing, como arruinar o suspense de um romance policial revelando a autoria dos crimes logo no início. No entanto, no caso de buracos negros, uma primeira resposta não só em nada estraga a real ‘trama’, como ajuda em nossa busca pela compreensão plena destes corpos celestes, provocam os autores da obra.

“Buraco negro é o nome dado a uma região do espaço em que a atração gravitacional é tão intensa, devido ao acúmulo excessivo de matéria e energia, que nada consegue escapar de seu interior (nem mesmo a luz; daí seu sugestivo nome). A superfície imaginária e imaterial que delimita tal região é chamada de horizonte de eventos; assim como um marinheiro não consegue enxergar para além da linha do horizonte, um observador externo ao buraco negro não consegue enxergar eventos, nem obter nenhuma informação sobre eles, que ocorram além dessa fronteira imaginária”.


Ao longo de 16 capítulos, divididos em pouco mais de cem páginas, os físicos discorrem sobre as primeiras ideias de gravidade ainda na Grécia Antiga, passando por Isaac Newton até chegar a nomes como Albert Einstein e Stephen Hawking. “Em suma, o leitor será conduzido por meio de um resumo do épico da busca humana pela compreensão do universo que nos cerca”, anotam.

“Pedimos paciência se, em partes do livro (principalmente nos primeiros capítulos), o foco parecer ter se desviado do tema principal; estaremos apenas preparando o terreno para que a ideia de buracos negros possa ser assimilada. A paciência será recompensada e, ao final, comprovaremos que os buracos negros ainda podem encerrar a chave para o mais antigo dos mistérios: a origem do universo.” Um verdadeiro mergulho no que a ciência de ponta tem a oferecer sobre o assunto, descortinando uma realidade que supera a própria ficção.

Os autores, André Landulfo, George Matsas e  Daniel Vanzella, são professores universitários e trabalham na interface da relatividade geral com a mecânica quântica, possuindo particular interesse pela física de buracos negros e cosmologia. Escreveram este livro com base em teorias físicas matematicamente precisas e testadas.

Ficha técnica
Buracos negros: rompendo os limites da ficção
Autores - André Landulfo, George Matsas e Daniel Vanzella
Editora - Unesp
Páginas - 112
Preço - R$ 35,00
Para mais informações e comprar clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários