'Amor Manifesto': peça mergulha na poesia e arte urbana para dialogar com jovens


Foto - Lucas Vedovoto

Por conta da pandemia da Covid-19, o espetáculo presencial 'Amor Manifesto ou Poema da Pequena Morte' ganhou uma adaptação inédita para o formato digital intitulada 'Amor/Manifesto'

De 23 a 25 de abril de 2021, sexta-feira e sábado, às 20h00, domingo às 18h00, acontece a temporada virtual do espetáculo 'Amor/Manifesto' do Coletivo Amapola de Teatro e Poesia Urbana, que será transmitida gratuitamente pelo canal do grupo no YouTube (clique aqui).

Com direção geral de Lilian de Lima e dramaturgia de Lis Ricci, o espetáculo conta com a adaptação e direção audiovisual de Tico Dias e Binho Cidral, mesclando elementos de cinema e teatro, vislumbrando uma experiência digital interessante para o público jovem. O roteiro é assinado pelos quatro artistas: Lis Ricci, Lilian de Lima, Binho Cidral e Tico Dias.

“Recriamos esse espetáculo na tentativa de dialogar com o tempo presente, levando em consideração o distanciamento social necessário neste momento. No processo criativo dessa nova versão, imaginamos a poesia como um caminho para conduzir o público jovem a uma experiência de trocas de afeto, inspirando a esperança em dias melhores", explica o Coletivo Amapola.

Foto - Malu M. Castro

Inspirada na famosa fábula 'A Cigarra e A Formiga' a montagem questiona em que momento da vida somos um ou outro, e traz essa reflexão para a complexidade do momento atual, refletindo sobre como o cotidiano nos contagia e cega, ou quando o amor e o afeto nos despem e trocam nossa pele.

A partir de um encontro ao acaso, a Cigarra passa a questionar o olhar corriqueiro e sistemático da Formiga, propondo uma nova forma de perceber o mundo. Um caminho de mudança que pode ser possível por meio do afeto e da empatia.

“A pandemia trouxe uma realidade de desigualdade social ainda mais gritante, uma luta árdua pelo sustento, além de exigir de cada um de nós o isolamento em prol do coletivo. Isso tudo tem nos endurecido. Mas, como permitir que o corpo sensível continue existindo dentro de nós? Como continuar sendo Cigarra com a vida "enformigando" todo dia?”, explica o coletivo.

Abordando o tema com leveza, 'Amor/Manifesto' é inspirado na poesia e na arte urbana, enxergando nesse universo um terreno de possibilidades de transformação social e inspirando um olhar através dessa perspectiva para a nossa realidade atual.

“Durante o processo de criação, ouvimos relatos de jovens que por se sentirem oprimidos pelas urgências da vida, acabavam se esquecendo de quem são como seres sensíveis, empáticos e viventes. Por isso, queremos trazer essa reflexão para esse público, entendendo que essas pessoas estão justamente na fase de se perceberem no mundo”, comenta o grupo.

Foto - Gabriel Zanetti Pieroni

O Coletivo Amapola de Teatro e Poesia Urbana é um grupo de São Paulo, criado em 2015, que possui dois espetáculos. O primeiro, 'A Cumplicidade das Cigarras', foi montado de forma independente e estreou no 10° Festival Mundo, em João Pessoa - PB, em 2015.

O processo de criação do segundo espetáculo, 'Amor Manifesto ou Poema da Pequena Morte', foi realizado a partir do edital ProAC-ICMS e finalizado em 2020. Em razão da pandemia, a peça foi adaptada para o formato online com o nome “Amor/Manifesto”. A nova temporada começa no dia 23 de abril, com apresentações abertas ao público geral e três apresentações especiais para instituições educacionais públicas, que atendem estudantes a partir dos 14 anos.

Com “Amor/Manifesto”, o Coletivo AMAPOLA busca inspirar um olhar mais humano e afetuoso das pessoas para o modo como vivemos, para que a sensibilidade, o afeto e empatia, prevaleçam apesar do cenário complexo vivido no Brasil atualmente.

Sinopse

A obra é inspirada na fábula 'A Cigarra e a Formiga', que tantas vezes foi contada durante a infância, para ensinar às crianças o valor do trabalho. Na fábula do Coletivo Amapola, a partir de um encontro ao acaso, a Cigarra passa a questionar o olhar corriqueiro e sistemático da Formiga, propondo uma nova forma de perceber o mundo nesse estado pandêmico. As ruas, as paredes, as avenidas e a vida lá fora ganham um novo contorno. A partir das memórias afetivas que a Cigarra divide com a Formiga, elas se transformam juntas. E a fábula é contada a partir da ótica de um coletivo de artistas que grita, canta e pinta, entre as paredes cinzas que ainda podem ser espiadas pelas janelas e telas.

Ficha técnica
Amor/Manifesto
Direção Geral: Lilian de Lima
Roteiro: Lis Ricci, Lilian de Lima, Binho Cidral e Tico Dias
Dramaturgia - Lis Ricci
Elenco - Caroline Oliveira, Filipe Celestino, Lis Ricci, Priscila Ortelã e Thiago Mota
Adaptação e Direção Audiovisual - Tico Dias e Binho Cidral
Cenário - Julio Dojcsar
Figurinos e Adereços - Silvana Marcondes, Gizele Panza e Larissa Miyashiro
Direção Musical - William Guedes
Codireção Musical e Trilha Sonora - Thiago Mota
Canções - Marcelo Zorzeto e Criolo
Preparação Corporal - Uil Braga
Arte Gráfica - Felipe Tercetto
Produção - Lucas Vedovoto
Assistência de Produção - Priscila Ortelã
Assessora de Imprensa - Luciana Gandelini

Serviço
Amor/Manifesto
Temporada - 23, 24 e 25 de abril
Horário - às 20h sexta-feira e sábado, e às 18h domingo
Duração - 20 minutos (aproximadamente)
Local - YouTube aqui
Grátis
Classificação - livre
Mais informações no Instagram do coletivo aqui

Postar um comentário

0 Comentários