'Sortudas?': dilema das mulheres contemporâneas



“...Muito do feminismo é sobre derrubar o patriarcado. Mas todo dia eu vejo que são as próprias mulheres que estão ferindo outras mulheres”, personagem Ruby em 'Sortudas?', livro de Dawn O'Porter, pág. 92.

Nós somos tão sortudas e não temos do que reclamar! Essa frase carrega uma forte demanda por invalidar qualquer sentimento que contrarie a gratidão devido a, simplesmente, estarmos vivas. Essa positividade tóxica tenta anular um contexto real em que todo mundo tem problemas - e cada um está enfrentando a própria batalha sobre a qual ninguém sabe.

Essas situações contemporâneas e esses cenários incômodos foram os insumos para que a escritora britânica Dawn O’Porter construísse a narrativa do romance 'Sortudas?'. A interrogação do título, aliás, exerce uma função para além do questionamento puro, sendo uma provocação tão irônica e visceral quanto Ruby, Beth e Lauren Pearce, personagens principais de um livro agridoce e profundamente feminino. Lançado pela Primavera Editorial, a obra ganhou a hashtag #avidanãoéumapubli na versão brasileira, que conta com projeto gráfico da Nine Editorial e tradução de Beatriz Alves.

“...Li no site da revista Cosmo que amor e desejo são duas coisas separadas dentro de um casamento. Amor é a parte fácil, desejo é a parte desafiadora quando você passa muito tempo com a mesma pessoa. O truque é conservar o desejo vivo e fazer o que for preciso para manter um certo mistério. Uma distração para algo que seu parceiro já está acostumado. Algo novo que faça com que o seu corpo seja visto de uma maneira nova e empolgante. Nesse momento, desde que tive meu filho, tudo que meu corpo representa para Michael é um acidente de carro e uma fábrica de leite que mantém o bebê vivo. Sou funcional, não sexual. Será que tenho que fazer com que ele preste mais atenção em mim?”, personagem Beth em 'Sortudas?', pág. 47.

'Sortudas?' acompanha a vida de mulheres que não percebem, inicialmente, que o destino está reunindo-as, ou seja, juntando-as misteriosamente por suas relações complexas com o próprio corpo, a maternidade e internet. O livro de Dawn O'Porter gira em torno de três mulheres na casa dos 30 e 40 anos - uma influenciadora, uma organizadora de casamentos e uma designer especialista em tratamento de fotos - cujas vidas se entrelaçam em um evento chocante que traz à tona os verdadeiros dramas de cada uma delas.

Em entrevista para o jornal The Irish Times, a autora conta que queria que o enredo fosse sobre as escolhas que as mulheres fazem para não ter de fazer o que é esperado delas. “A mensagem do livro é sobre assumir o controle de sua vida”, afirma.

Temas como masturbação feminina, abuso sexual, dogging (fazer sexo em lugares públicos com pessoas assistindo), mulheres misóginas/competição feminina, coisificação/hipersexualização, as dores da maternidade, as marcas do patriarcado, sororidade em momentos extremos e relações tóxicas são abordados pela autora em uma trama surpreendente do começo ao fim. Destemida, franca e absurdamente divertida, a obra promete conquistar mulheres de todas as idades - sobretudo as que, em algum momento da vida, duvidaram de si mesmas.

Sobre a autora

Foto - Divulgação/Primavera Editorial

Dawn O'Porter vive em Los Angeles, nos Estados Unidos, com o marido Chris, dois filhos - Art e Valentine -, a gata Lilu e o cachorro Potato. Dawn. Começou a carreira como produtora de tevê, mas rapidamente passou para a frente das câmeras. Trabalhou em diversos documentários para os canais ingleses BBC e Channel 4, sendo os mais famosos os baseados nas investigações imersivas sobre poligamia, obsessão pela magreza, partos, amor livre, câncer de mama e sobre o filme 'Dirty Dancing - Ritmo Quente'. Também trabalhou no programa 'This Old Thing' (Channel 4), programa voltado para roupas vintage. Foi colunista mensal da Revista Glamour e teve artigos publicados em diversas revistas inglesas. Autora de seis livros, afirma que teria escrito dezesseis se não fosse o vício em stories, do Instagram. Recentemente, escreveu o roteiro 'Especially for You', musical que utiliza a trilha sonora do trio inglês dos anos 1980, Stock Aitken Waterman. Também possui um podcast homônimo ao livro, So Lucky (Sortudas?, em português), no qual entrevista uma variedade de convidados.

Ficha técnica
Sortudas? #avidarealnãoéumapubli
Autora - Dawn O'Porter
Editora - Primavera Editorial
Páginas - 348
Preço - R$ 48,90 (impresso) e R$ 34,90 (e-book)
Para comprar o livro impresso na Amazon clique aqui ou e-book aqui

Postar um comentário

0 Comentários