Espetáculo 'Violeta' usa boneca hiper-realista para refletir sobre envelhecimento feminino


Violeta. Foto - Leticia Lima

Peça é uma versão mais profunda de 'Naïfs', performance da atriz, marionetista e puppeteer Daiane Baumgartner que já fez sucesso em países como França, Portugal e Romênia

Em 2018, a atriz, bonequeira, marionetista e puppeteer Daiane Baumgartner se juntou ao multi-instrumentista João Sobral e criou a performance 'Naïfs', que usava uma boneca hiper-realista para abordar questões relacionadas ao envelhecimento da mulher.

A montagem ganha uma nova versão, com uma dramaturgia mais vertical. E esse trabalho, agora chamado de 'Violeta', faz uma temporada online e gratuita entre os dias 18 e 27 de março, com sessões às quintas, sextas e sábados, às 19h, no canal do YouTube de Daiane Baumgartner (clique aqui).

Para essa montagem, Daiane aprofundou as reflexões sobre temas como solidão da mulher idosa, conflitos geracionais, medos, anseios, opressão, preconceito e fundamentalismo religioso. A história também ganhou o apoio da linguagem do Teatro de Objetos, por meio da parceria com duas pesquisadoras da área: a dramaturga, artista visual e contadora de histórias Mônica Estela e a bonequeira em formação pela SP Escola de Teatro Priscilla Krüger. O trio assina a direção do espetáculo.

Violeta. Foto - Leticia Lima

Na trama, Violeta, uma boneca hiper-realista em tamanho real, é uma mulher de 84 anos sem estudo que foi trabalhar na lavoura muito cedo e se casou na adolescência. Passou a vida toda cuidando dos filhos, costurando e indo à igreja.

Com a morte do marido, ela decide morar com a filha e parte levando todos os seus pertences. Enquanto espera o trem, Violeta conhece o músico Antonio Bento, cujas canções a transportam em uma viagem por suas lembranças. E todo esse percurso poético a ajuda a conquistar a tão sonhada liberdade.

Assim, com o auxílio das músicas de João Sobral, único artista brasileiro que possui um inovador instrumento de cordas chamado Vassonora, feito a partir de uma vassoura, a narrativa mostra a importância de valorizar o agora e problematiza a forma como os idosos são vistos na sociedade.

Violeta. Foto - Leticia Lima

Para Daiane, o uso da internet potencializou a narrativa. “Como eu manipulo a Violeta, nas apresentações presenciais o público sempre me vê. Mas na construção dessas cenas virtuais, eu consigo deixar apenas a boneca aparecendo. Dessa forma, posso trabalhar melhor o olhar e o gestual dela, com movimentos mais minimalistas”, conta.

O espetáculo também passou a se relacionar com a linguagem audiovisual, característica que a artista também quer explorar. “Faremos cenas mais aproximadas, com cortes bem parecidos com os encontrados no cinema”, completa.

A performance 'Naïfs', que deu origem ao 'Violeta', estreou em julho de 2018 e já percorreu vários países, como Portugal e Romênia, além de participar do maior festival de bonecos do mundo, o 20º Festival Mondial des Theatres De Marionettes, em Charleville-Méziéres, na França.

O projeto 'Violeta' é contemplado pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Sobre o surgimento de Violeta

Violeta. Foto - Leticia Lima

A história de Violeta começa em 2016, quando Daiane Baumgartner participa do Workshop de Construção de Bonecos com a artista russa Natacha Belova, uma das maiores referências mundiais no Teatro de Formas Animadas.

Um ano após a vivência, a puppeteer mergulhou na história das mulheres de sua família e criou a Violeta. Suas principais referências foram a avó materna Amélia Ceccatto e a mãe Marilei Baumgartner.

A boneca participou do espetáculo 'Cabaret Famulus' do Coletivo Du-Plo Laboratório de Marionetes, em 2017, e de experimentações na linguagem do teatro de rua, em 2018, o que deu origem à performance 'Naïfs'.

Sinopse

Depois da perda de seu marido, Violeta vai para a casa de seus filhos levando tudo o que tem. Na estação de trem encontra Antonio Bento, um músico de rua e inventor que passa seus dias ali na estação, entre chegadas e partidas. Desse encontro somos convidados a assistir e a participar das lembranças e recordações, dores e amores da vida dessa senhora, que nos mostra como é importante valorizar o agora.

Violeta. Foto - Leticia Lima

Ficha técnica
Violeta
Concepção, Pesquisa e Boneca - Daiane Baumgartner
Direção Coletiva - Daiane Baumgartner, Mônica Estela e Priscilla Krüger
Música Original e Dramaturgia Sonora - João Sobral
Edição de Som - Leo Bortolin
Captação de Imagem - Gabriel Rais
Edição - Leticia Lima
Comunicação Visual - Laura Kimm
Apoio - Fusteria
Produção - Daiane Baumgartner, Erika Layher e Geovana Oliveira
Assessoria de imprensa - Daniele Valério | Canal Aberto

Serviço
Violeta
Temporada - de 18 a 27 de março - quintas, sextas e sábados
Horário - 19h
Duração - 50 minutos
Local - canal do YouTube de Daiane Baumgartner (clique aqui)
Ingressos - grátis
Classificação - livre

Postar um comentário

0 Comentários