'Cárcere': Cia de Teatro Heliópolis realiza debates sobre o projeto que celebra os 20 anos do grupo



Juliana Borges, Salloma Salomão, Roberto da Silva e Preta Ferreira. Foto - Divulgação

Juliana Borges, Salloma Salomão, Roberto da Silva e Preta Ferreira são as personalidades convidadas para falar sobre o tema

'Cárcere - Aprisionamento em Massa e Seus Desdobramentos' é o novo projeto da Companhia de Teatro Heliópolis, elaborado para comemorar os 20 anos que o grupo completou em 2020. Como parte das atividades de pesquisa, que resultará na montagem de um espetáculo com estreia prevista para o início do próximo ano, a companhia realiza quatro rodas de conversas online, tendo um palestrante convidado a cada evento.

Os encontros acontecem às sextas-feiras do mês de março, às 19 horas, pela plataforma Google Meet com mediação da jornalista e crítica teatral Maria Fernanda Vomero e participação dos integrantes da Companhia de Teatro Heliópolis. Os interessados em participar devem se inscrever aqui.

Para iniciar a série de debates, o grupo convidou a escritora e estudiosa de política criminal Juliana Borges, dia 05 de março. Na sequência, dia 12, os encontros são com: Salloma Salomão, compositor, educador, ator, dramaturgo e doutor em história; Roberto da Silva, dia 19, pedagogo e doutor em educação e livre docente em pedagogia social; e Preta Ferreira, multiartista, abolicionista penal, ativista do Movimento Sem Teto do Centro, no dia 26 de março.

Situada na segunda maior favela da América Latina, a Companhia de Teatro Heliópolis tem sua pesquisa cênica focada na realidade e nas identidades presentes no universo de Heliópolis, favela com altos índices de criminalidade, sendo um dos bairros mais violentos da cidade de São Paulo. O atual trabalho dá continuidade ao processo de pesquisa anterior, Justiça - O que os Vereditos Não Revelam, que resultou no espetáculo '(IN)Justiça', indicado aos prêmios Shell e Aplauso Brasil, também eleito como um dos melhores espetáculos do ano pelo Guia da Folha e Divirta-se/Estadão.

O projeto 'Cárcere' tem por objetivo investigar, ao longo de 16 meses, a indústria do cárcere, refletindo sobre sua serventia e sobre os interesses a ela relacionados, bem como lançar um olhar próximo e específico para o tema em busca de compreender como a dinâmica carcerária afeta os moradores de Heliópolis e a sociedade como um todo.

A pesquisa aprofunda-se nas questões dos encarcerados em prisões brasileiras, passando pelo contexto de violência e estigmas sociais a que são submetidos os indivíduos que sobrevivem ao sistema e conquistam a liberdade. Investiga também como o próprio sistema judiciário influencia no perfil da população carcerária ajudando a perpetuar a força do poder paralelo, experiência vivida cotidianamente pelos integrantes do grupo, já que residem em Heliópolis. 'Cárcere - Aprisionamento em Massa e Seus Desdobramentos' foi contemplado pela 35ª edição da Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. Confira abaixo a programação:

Data - 05 de março - sexta-feira
Horário - 19h
Ministrante - Juliana Borges

Foto - Divulgação

Juliana Borges é escritora e estuda Política Criminal. É consultora do Núcleo de Enfrentamento, monitoramento e memória de combate à violência da OAB-SP e conselheira da Iniciativa Negra por uma Nova Política Sobre Drogas, além de colunista da Revista Cláudia. Juliana é autora dos livros Encarceramento em Massa (Ed. Jandaíra) e Prisões: Espelhos de Nós (Ed. Todavia).

Data - 12 de março - sexta-feira
Horário - 19h
Ministrante - Salloma Salomão

Foto - Divulgação

Salloma Salomão é doutor em História pela PUC-SP (2005). Desde a juventude combina atividade artístico-criativa com práticas de pesquisa acadêmica e formas educativas de intervenção sócio-política antirracista. É também compositor, educador, ator e dramaturgo ‘autoformado e socialmente construído’.

Data - 19 de março - sexta-feira
Horário - 19h
Ministrante - Roberto da Silva

Foto - Divulgação

Roberto da Silva é pedagogo (UFMT, 1993), mestre (USP, 1998) e doutor (USP 2001) em Educação e Livre Docente em Pedagogia Social (USP, 2009). É professor do Departamento de Administração Escolar e Economia da Educação, da Faculdade de Educação da USP, na qual orienta pesquisas de mestrado, doutorado e pós-doutorado nas áreas de políticas públicas e políticas sociais. De 1962 a 1975, viveu em abrigos do Estado de São Paulo e integrou a primeira geração de crianças órfãs e abandonadas entregue aos cuidados da Funabem/FEBEM.

Data - 26 de março - sexta-feira
Horário - 19h
Ministrante - Preta Ferreira

Foto - Divulgação

Preta Ferreira é multiartista, abolicionista penal e ativista pelo direito à moradia no MSTC - Movimento Sem Teto do Centro. Formada em publicidade, consolidou sua carreira na produção cultural. Preta é também a autora e intérprete do single e do livro Minha Carne: diário de uma prisão.

Serviço
Cárcere - Aprisionamento em Massa e seus Desdobramentos
Debates e Rodas de Conversas
Mediação - Maria Fernanda Vomero
Período - de 05 a 26 de março - sextas-feiras
Horário - sempre às 19h
Local - Google Meet
Inscrições grátis aqui

Postar um comentário

0 Comentários