'As Palavras da Nossa Casa' estreia em versão online


Adriana Câmara é Eva em 'As Palavras da Nossa Casa'. Foto - Hernani Rocha

O espetáculo, que lotou todas as sessões durante a temporada na Casa das Rosas, agora traz o público para dentro de uma videoconferência familiar, em uma espécie de “linha cruzada audiovisual”

Sucesso de público na Casa das Rosas, o espetáculo imersivo 'As Palavras da Nossa Casa', do Núcleo Teatro de Imersão, teve sua temporada interrompida por conta da pandemia de Covid-19. Por isso, o grupo decidiu reambientar o texto e explorar os recursos oferecidos pela internet para criar uma versão online da peça. A nova temporada pode ser conferida entre os dias 22 e 27 de março, com sessões de segunda.

A dramaturgia do espetáculo foi escrita por Adriana Câmara, que também assina a direção, e Glau Gurgel a partir de vários filmes do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007). "A principal referência é 'Sonata de Outono' (1978), mas também fazemos referências a 'Através de um Espelho' (1961), 'Gritos e Sussurros' (1972), 'Morangos Silvestres' (1957) e 'Face a Face' (1976)”, revela a diretora.

Na trama, o espectador acompanha uma reunião virtual entre a famosa cantora Charlote (interpretada pela atriz Gizelle Menon), sua filha única Eva (Adriana Câmara) e seu genro Victor (Glau Gurgel). As duas não se veem há muito tempo e guardam profundas mágoas do passado, como o fato de Eva ter se sentido, a vida inteira, negligenciada por Charlote, precisando, inclusive, lidar com a perda de seu único filho sem o apoio da mãe, que se dedicava à administração das demandas de sua carreira internacional.

Charlote vive na agitada metrópole São Paulo (SP), enquanto Eva optou por uma vida mais tranquila e foi morar com o marido, o pastor presbítero Victor, em Garanhuns (PE). Como Victor teve contato com alguém que contraiu Covid-19 na sua igreja, ele e Eva dividem telas diferentes - enquanto ela circula pelo apartamento, ele acessa a conferência do escritório, onde passa a quarentena.

Para resgatar os sentimentos nobres que ainda existem entre elas, mãe e filha precisam encarar todas as suas feridas, e, nesse processo, acabam proferindo palavras muito duras. A montagem sensível provoca a identificação imediata do espectador, ao tratar de temas como o amor, as cobranças e expectativas na criação dos filhos, as diferenças de geração, a falta de comunicação em relacionamentos, a esperança e os recomeços após dores profundas e os temores trazidos pela pandemia, numa abordagem que parte de situações e conflitos parecidos com os que todos já vivenciaram ou testemunharam.

Gizelle Menon interpreta Charlote em 'As Palavras da Nossa Casa'. Foto - Hernani Rocha

O caráter imersivo da montagem ganha novos contornos via Zoom. Enquanto, na Casa das Rosas, os espectadores entravam no casarão de Eva e Victor, na década de 1960, e percorriam seus diversos cômodos, cercados por personagens com figurinos da época, agora, na versão virtual do espetáculo, o público entra na videoconferência da família, nos tempos atuais, durante a pandemia, acompanhando bem de perto esse encontro virtual e tendo a oportunidade de conhecer diversos ambientes das casas de Eva, Victor e Charlote.

“Na versão presencial, o público entrava fisicamente no espaço físico dos personagens, agora o público entra virtualmente no espaço dos personagens e assiste à apresentação como se estivesse testemunhando uma conversa de uma família verdadeira, e não uma encenação, numa espécie de "linha cruzada audiovisual". Nosso objetivo é que a experiência seja tão imersiva, que o público esqueça que se trata de um espetáculo”, conta Adriana Câmara. 

A temporada foi contemplada pelo edital do Programa de Ação Cultural (ProAC Expresso) e conta com recursos da Lei Aldir Blanc e realização da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria Especial de Cultura, do Ministério do Turismo, do Governo Federal.

Glau Gurgel é Victor em 'As Palavras da Nossa Casa'. Foto - Hernani Rocha

'As Palavras da Nossa Casa' é o segundo espetáculo do Núcleo Teatro de Imersão. A primeira peça do grupo, 'Tio Ivan', ganhou o Aplauso Brasil 2018 na categoria Melhor Espetáculo de Grupo por voto popular. Depois da sessão, o elenco continua no Zoom para uma conversa com os espectadores.

Sinopse
Durante a pandemia, uma cantora famosa reencontra sua filha e seu genro por meio de um aplicativo de videoconferência. No encontro, revelam-se as mágoas, o amor e as perdas que unem e separam a família. O público testemunha a videoconferência das personagens como se estivesse flagrando a conversa de uma família verdadeira. Espetáculo imersivo virtual inspirado livremente em obras de Ingmar Bergman.

Ficha técnica
As Palavras da Nossa Casa
Texto inspirado livremente em obras de Ingmar Bergman
Direção - Adriana Câmara
Texto - Adriana Câmara e Glau Gurgel
Elenco - Adriana Câmara, Gizelle Menon, Glau Gurgel e Dayane Isabela (anfitriã da sessão)
Produção Executiva - Adriana Câmara
Cenografia e Figurino - Adriana Câmara
Produção de Arte - Adriana Câmara, Gizelle Menon e Glau Gurgel
Programação Visual - Hernani Rocha
Fotografia - Hernani Rocha
Produção - Menina dos Olhos do Brasil
Assessoria de Imprensa - Agência Fática | Bruno Motta e Verônica Domingues
Realização - Núcleo Teatro de Imersão

Serviço
As Palavras da Nossa Casa
Temporada - 22 a 27 de março
Horário - de segunda a sexta, às 14h30 e 19h30 e sábado, às 16h e 20h
Duração - 90 minutos
Local - Plataforma Zoom
Ingressos - Grátis
Reservas online clique aqui
Classificação - 14 anos
Mais informações no site do grupo aqui ou no site do espetáculo aqui

Postar um comentário

0 Comentários