PingPlay: nova plataforma digital de filmes 100% acessível para cegos e surdos



Lançamento da plataforma será dia 15 de março

Confirmada a chegada da PingPlay, a primeira plataforma digital de filmes, que oferecerá para as pessoas com deficiência visual e auditiva, 100% de conteúdo com recursos de acessibilidade como audiodescrição, legendas descritivas e, principalmente, Libras recurso este praticamente inexistente nas plataformas mundiais.

A data escolhida para o lançamento da PingPlay é 15 de março, coincidentemente, Dia Mundial do Consumidor. “Queremos promover a inclusão levando entretenimento audiovisual para essa camada da população, que por vezes carece de opções digitais verdadeiramente inclusivas” comenta Cássio Koide, CEO da ETC Filmes, empresa responsável pela criação e gestão da nova plataforma digital de filmes.

De acordo com o último Censo Demográfico levantado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2010 revelou que 45,6 milhões de pessoas são declaradas deficientes, em especial deficientes visuais e auditivos sendo estes o correspondente a 23,9% da população brasileira.

Como acessar?

O usuário poderá acessar a plataforma pelo site (clique aqui) que estará disponível a partir da data de lançamento. Futuramente, a plataforma também poderá ser acessada por meio de aplicativo no celular, disponível para os sistemas operacionais IOS ou Android. Intuitivo e lúdico, o usuário deficiente visual ou auditivo encontrará um ambiente de navegação fácil e acessível criado após extensa pesquisa com o público-alvo e avaliado por profissionais com deficiência especializados em experiência do usuário.

“A ETC Filmes é a maior produtora de conteúdos acessíveis para filmes no Brasil. Há anos estamos produzindo acessibilidade para praticamente todo mercado: desde grandes estúdios, distribuidoras independentes a pequenos produtores. Infelizmente todo esse conteúdo ficou guardado, não tinha como chegar ao consumidor. Com essa plataforma vamos mudar esse cenário. Por isso criamos a PingPlay”, concluiu Koide.

Postar um comentário

0 Comentários