14ªCineBH: confira os destaques da programação

Filme Luz nos trópicos - Mostra Contemporânea Brasil. Foto - Clara Choveaux

Até o dia 02 de novembro serão exibidos 54 filmes, nacionais e internacionais, de forma gratuita e em ambiente virtual

Conferir a programação cinematográfica da 14ªCineBH, neste sábado, dia 31 de outubro, é a dica para quem pretende curtir o final de semana com atividades culturais, no conforto e segurança de casa.

Até o dia 02 de novembro, serão exibidos 54 filmes nacionais e internacionais, distribuídos nas mostras 'Contemporânea Brasil', 'Contemporânea Internacional', 'Arte Viva', 'Welket Bungué', 'Diálogos Históricos', 'Mostrinha', 'A Cidade em Movimento' e 'Cine Expressão'. Tudo de forma gratuita e em ambiente virtual no site aqui.

Na Mostra 'Contemporânea Brasil', a equipe curatorial da 14ª CineBH destaca três produções pré-estreia mundial e que contam com forte presença feminina, seja na frente ou atrás das câmeras.

“Luz nos trópicos”, segundo longa de ficção da diretora Paula Gaitán, exibido no festival de Berlim. Com mais de quatro horas de duração, o filme tece uma densa estrutura de histórias e linhas do tempo, enredados por cosmogonias indígenas, cadernos de viagem e literatura antropológica. Um tributo à abundante vegetação das Américas e às populações nativas do continente.

Em relevo também está a produção maranhense “Terminal Praia Grande”, primeiro longa da diretora Mavi Simão. Filmado em São Luiz (MA), trata-se de um suspense meio sobrenatural e psicológico. A narrativa apresenta Catarina, que enquanto faz compras, reencontra Francisco, com quem teve uma relação. As explicações dele escondem o verdadeiro motivo do seu desaparecimento. Catarina toma um porre homérico. Mesmo de ressaca, ela sai e acaba encontrando seu destino.

E o representante do cinema paulista “5 estrelas”, do diretor Fernando Sanches. O filme conta a história de Katia Fontinelle, uma talentosa atriz de teatro, que pede um Uber para ir para uma festa no interior em um sábado à noite. Para a sua surpresa a motorista é uma mulher. A viagem segue tranquila até que coisas estranhas começam a acontecer e o que era pra ser uma jornada comum se transforma em uma noite de terror.

Cinema Internacional

Filme Meus queridos espiões - Mostra Contemporânea Internacional. Foto - Divulgação

Quem quer conhecer produções de fora do país, na 'Mostra Contemporânea Internacional' a curadoria aponta dois longas em pré-estreia nacional. O primeiro é a ficção “Isabella” do argentino Matías Piñeiro, quinto trabalho do diretor em sua série Las Shakespeareadas, que elabora ficções contemporâneas sobre os papéis femininos nas comédias de William Shakespeare.

Neste filme, Mariel é uma atriz de Buenos Aires que, ao longo de dois anos de audições, tenta conquistar o papel de Isabella, a heroína da peça “Medida por Medida”, sem sucesso. Na encruzilhada entre a frustração e a ideia de sucesso, Mariel reencontra Luciana, uma ex-companheira de teatro que atua como uma espécie de sombra brilhante, um destino que ela não pode evitar, que ilumina, mas também a cega ao mesmo tempo. Isabella se desdobra como um quebra-cabeça caleidoscópico sobre a dificuldade de definir com precisão a cor de nossas decisões.

Já a coprodução Rússia e França “Meus queridos espiões”, é dirigida por Vladimir Léon. O documentário apresenta a história de investigação do próprio diretor e seu irmão e, também cineasta, Pierre ao descobrirem documentos relacionando seus avós russos, Lily e Constantin, à Inteligência Soviética em Paris antes da Segunda Guerra Mundial. De Paris à Rússia, os irmãos vagam entre as ruínas de mundos perdidos e histórias não contadas. Os medos do passado remoto reaparecem como fantasmas e parecem mais próximos do que o esperado.

Artes integradas

Filme Navalha na Carne Negra - Mostra Arte Viva. Foto - Divulgação

A mostra temática 'Arte Viva', relacionada ao conceito de “Arte viva: Redes em expansão” que permeia a 14ª CineBH, busca pensar a rede de relações construídas entre as artes presenciais (teatro, performance, shows) e a linguagem audiovisual, adotada por criadores e espectadores num período em que os espaços de convivência, como cinemas, casas de espetáculos e teatros, foram fechados.

“Navalha na carne negra”, do diretor José Fernando Peixoto de Azevedo, integra a cena de Navalha na Carne, realizado ao vivo, em composição com os trabalhos dos atores. A montagem do texto de Plínio Marcos traz no elenco a atriz Lucélia Sérgio (Neusa Sueli) e os atores Raphael Garcia (Veludo) e Rodrigo dos Santos (Vado), fazendo ver de perto as implicações dos corpos negros dando carne aos personagens, evidenciando um tanto da dimensão racial do conflito armado por Plínio. No dispositivo da cena, uma câmera contracena com o elenco, enquadrando a ação captada em primeiro plano, projetada em preto e branco em monitores ao fundo, produzindo um filme a cada sessão.

Sessão comentada

E da mostra 'Diálogos Históricos' vale a pena conferir o filme “Os não reconciliados ou só a violência ajuda onde a violência reina”, ficção dirigida por Jean-Marie Straub e Danièle Huillet. Enquanto os diretores brincam com as cronologias do romance de Heinrich Böll, movendo-se entre a autocracia kaiser de 1910 e o milagre econômico Adenauer dos anos 1950, eles mapeiam as origens e o legado do nazismo e as exigências morais de obediência e sacrifício dentro da família burguesa alemã. A sessão é comentada pela convidada Dalila Martins com mediação do curador Pedro Butcher.

Serviço
14ª CineBH - Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte
Período - de 29 de outubro a 02 de novembro de 2020
Para mais informações e acompanhar a mostra clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários