#CulturaEmCasa completa três meses com mais de 1 milhão de visualizações


Plataforma de streaming com conteúdo cultural de alta qualidade criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa já foi acessada em 110 países

No dia 20 de julho, a plataforma #CulturaEmCasa, criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte, completou três meses no ar. Com mais de 800 conteúdos, entre espetáculos, palestras, aulas, podcasts, shows e concertos, o projeto alcançou 1,2 milhão de visualizações. Foram 135 mil horas de conteúdo consumido pelo público de 110 países e 2.306 cidades, sendo São Paulo o município com maior número de acessos, 20,33%. A principal faixa etária atingida está entre 25 e 34 anos.

Cerca de 60% das visualizações ocorreram durante as transmissões ao vivo do Festival #CulturaEmCasa, Intensivão #CulturaEmCasa, série de lives diárias com apresentações de artistas, e do Intensivão #CulturaEmCasa, aulas sobre cultura e economia criativa com profissionais do setor, Diálogos Necessários #CulturaEmCasa e #SpGastronomia. Mais de 70% dos acessos à plataforma se deram por meio de dispositivos mobile.

Desde seu lançamento, já realizaram lives na plataforma artistas como Zeca Baleiro, Tom Zé, Fafá de Belém, Débora Falabella, Elias Andreato, Eva Wilma, André Abujamra e Vanessa Jackson.

“O desempenho da plataforma #CulturaEmCasa superou a nossa expectativa, alcançando um público ainda maior do que o esperado. Trata-se de uma iniciativa vitoriosa de ampliação do acesso da população a conteúdos culturais de qualidade”, afirma o secretário estadual de Cultura, Sérgio Sá Leitão.

“Nosso objetivo é que o conteúdo cultural disponibilizado na plataforma seja amplo e diverso. É difusão cultural para todos e acesso 100% gratuito”, diz Danielle Nigromonte, diretora-geral da Amigos da Arte, Organização Social que gere a plataforma. “Disponibilizamos conteúdos que não estão presentes em outras plataformas”, completa.

Programação

O conteúdo do #CulturaEmCasa é produzido pelas instituições culturais vinculadas à Secretaria, por instituições parceiras e por artistas e produtores culturais independentes, que são remunerados pelo licenciamento. Trata-se, portanto, de um instrumento de geração de renda e oportunidades para o setor cultural e criativo de São Paulo.

Desde o dia 06 de julho, a plataforma apresenta o #SPGastronomia Em Casa, maior programa de estímulo ao setor no país, transferido em 2020 para o formato online. De segunda a quinta-feira, sempre às 19h30, chefs, nutricionistas e especialistas brindam o público com aulas, receitas, histórias, curiosidades e debates sobre diversos temas relacionados à gastronomia de São Paulo.

O Festival #CulturaEmCasa apresenta lives de artistas representativos da diversidade cultural de São Paulo, como Renato Teixeira, José Celso Martinez Corrêa, Supla, Sérgio Mamberti, Tom Zé e André Abujamra, entre outros. De sexta a domingo, sempre às 21h30.

A plataforma segue apresentando o Intensivão #CulturaEmCasa, série de aulas e palestras com temas diversos relacionados à arte e à criatividade, todas as terças e quintas-feiras, às 17h. Já participaram nomes como Marcelo Tas, Débora Tabacof, Estéfi Machado, Ivam Cabral, Rita Von Hunty e Dona Jacira, entre outros, além de educadores, curadores e profissionais dos museus, bibliotecas, Fábricas de Cultura e demais instituições ligadas à Secretaria.

Também no formato live, o #CulturaEmCasa transmite, às segundas e quartas-feiras, às 17h, o programa Diálogos Necessários, que reúne pensadores e profissionais de diversas áreas para reflexões com abordagens diversificadas e antagônicas sobre temas como ciência, filosofia, criatividade e literatura. Os encontros são moderados pelo ensaísta e professor de literatura João Cezar de Castro Rocha e pelo escritor Martim Vasques da Cunha.

A plataforma reúne ainda conteúdos inéditos das instituições da Secretaria, entre as quais a OSESP, a Jazz Sinfônica, a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Museu do Futebol, o Museu da Diversidade Sexual, a São Paulo Companhia de Dança, o Projeto Guri e a SP Companhia de Dança.

“Seguiremos expandindo e diversificando a oferta de conteúdos por demanda, assim como os eventos, as parcerias e as transmissões ao vivo. É uma iniciativa que veio para ficar. Tem um importante papel a cumprir, mesmo quando a pandemia passar”, diz o secretário.

Para saber mais clique em:

Postar um comentário

0 Comentários