Teatro-D realiza campanha de arrecadação com 'Lives in Loco'

Foto - Eliana Souza

Último teatro aberto em São Paulo sobrevive com a venda de livros que mantém na loja em parceria com a Cia das Letras

Darson Ribeiro, ator, produtor e diretor, que idealizou e executou seu sonho, o Teatro-D, agora sobrevive com a venda dos livros que, até a pandemia, eram repassados ao espectador com total desconto da Editora Companhia das Letras, um de seus parceiros.

Para a montagem do Teatro, Darson fez um investimento de quase meio milhão de reais, que só foi possível graças a uma série de marcas parceiras, como Indusparquet, Sherwin-Willians, Dell Anno Atelier, Guardian do Brasil Easynvest,  entre outras, que juntas somam mais de 25 empresas amigas da arte.

“Meu objetivo sempre foi um Teatro além da sala de espetáculos. Por isso, coworking, piano, café, lounge e livraria - as pessoas já estavam habituadas em tomarem seu café, sem a necessidade premente da compra do livro. Simplesmente liam. E, agora eles estão me salvando das dívidas", conta.

Ele vem se reinventando com a realização de lives que fogem do convencional. Primeiro, porque são transmitidas do próprio Teatro. Segundo, porque sempre há convidados e um tema específico sob o título D-Vaneios de Amor, que a cada sábado ganha um subtítulo. Sempre tendo o amor permeando os assuntos: "necessidade que passou a ser equiparada como bem essencial durante a crise causada pelo COVID-19", comenta Darson.

Foto - Eliana Souza

Até agora foram seis: D-Mozart a Zequinha de Abreu, D-Fernandona a Manoel de Barros, DMãe, D-Homem e D-Iversidade. Para o próximo sábado, Darson convidou o ator e cantor mirim Dudu Ejchel, destaque em montagens como "Dogville”, de Zé Henrique de Paula, e “A Noviça Rebelde”, de Jorge Takla, para a live D-Vaneios de Amor: D-Velho.

“Vai ser um desafio pra mim, cantar sozinho, acompanhado apenas por um pianista e ao vivo, meu Deus!”, desabafa o garoto de apenas 13 anos, que já começa com a difícil canção de Caetano Veloso, “O Homem Velho”, entre outras que serão intercaladas com poesias de Mário Quintana e experiências próprias do diretor.

“Eu quis justamente contrapor com a jovialidade de uma criança, a necessidade de amparo e afeto a um idoso”, os quais, justamente pela pandemia, se mostraram mais abandonados do que antes", completa Darson.

A Fritz Dobbert, parceira do Teatro-D, mantem um piano de cauda no foyer, apoia a iniciativa e validou, nesta live de sábado, o jovem pianista Roniel de Souza, de 31 anos. Já tocaram lá Jaci Toffano, por anos solista da OSESP, e a viúva de Francisco Mignone, Maria Josephina, de 98 anos.

"A ideia é manter sempre pequenos concertos, recitais e, quando tudo passar, realizar concertos matutinos dentro da Sala. O piano foi inaugurado por Ney Matogrosso em show intimista, apenas voz e piano, que marcou a abertura oficial do Teatro, em novembro de 2019.

Com o Teatro-D, como todas as salas de espetáculos do país, ainda fechado, as lives podem ser acompanhadas gratuitamente pelo Instagram e pelo canal Teatro-D no YouTube.

Sobre o Teatro-D

O Teatro-D fica no Piso G-2 do prédio que abriga o hipermercado Extra, no Itaim Bibi, com três entradas, pela Av. JK e pelas ruas Leopoldo Couto de Magalhães e João Cachoeira (entrada principal), e acesso aos corredores de serviços e praça de alimentação. Oferece ainda estacionamento gratuito e exclusivo. Desde a estreia, já foram contabilizadas mais de 12 mil visitas.

Construído em uma área de 1000 m², foi inaugurado em dezembro de 2019 por Ney Matogrosso. O projeto de Darson privilegia a arte e os artistas e foi estruturado para receber as mais diversas produções culturais em seu palco de 113 m², com equipamentos compatíveis de luz e de som, amplas coxias e camarins.


Serviço
7ª Live do Teatro-D - D-Vaneios de Amor: D-Velho
Direção e apresentação - Darson Ribeiro
Com o ator e cantor Dudu Ejchel e o pianista Roniel de Souza
Data - 06 de junho - sábado
Horário - das 17h às 18h
Grátis
Classificação - livre
Canais - YouTube (aqui) e Instagram (aqui)

Postar um comentário

0 Comentários