Oficinas Culturais Oswald de Andrade e Alfredo Volpi promovem trocas artísticas e culturais pelas redes sociais

Leitura Dramática Voyeur - Um Olhar Indiscreto Sobre Alfred Hitchcock

Todas as atividades são gratuitas e muitas delas com foco nas questões de gênero

As Oficinas Culturais Oswald de Andrade e Alfredo Volpi, programas da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, e gerenciadas pela Poiesis, oferecem apresentações culturais e artísticas em diversos formatos virtuais.

Três performers mulheres, Luiza Romão, Fernanda Machado e Sofia Boito, leem continuamente poemas, cartas, artigos e outros materiais de autoras feministas durante a intervenção 'Palabrería Feminista'. Em um vídeo tripartido, elas se reúnem virtualmente por conta do confinamento gerado pela atual pandemia. Por meio da Oficina Cultural Oswald de Andrade, o vídeo fica disponível a partir do dia 18 de maio no canal de YouTube do programa Oficinas Culturais, com acesso aberto até 31 de julho.

A partir de questionamentos como “Se ler em voz alta era a norma desde os primórdios da palavra escrita, como era ler nas grandes bibliotecas antigas?”, esse projeto busca destacar a importância da dinâmica da fala e a força da leitura em voz alta como caminho para propagar o pensamento antipatriarcal, anticapitalista e anticolonialista.

A artista Uma Luiza Pessoa participa da live da Oficina Cultural Alfredo Volpi. Foto - Divulgação

Já o pensamento de improvisação, inquietações, a relação com o balé clássico e as influências resultantes do contato com o coreógrafo Klauss Vianna estarão presentes em 'Poéticas de dança: memória e futuro com Zélia Monteiro' no dia 22 de maio, sexta-feira, a partir das 15h.

No formato de live transmitida pelo Instagram @oficinaoswald, com mediação de Marcus Moreno, técnico de programação cultural da Oficina Cultural Oswald de Andrade, esse ciclo de conversas busca partilhar modos de produção e ideias em dança por meio da troca com criadores e criadoras da cena. Esses profissionais também poderão levantar temas ligados à própria trajetória, influências e como trabalham no momento contemporâneo.

Como primeira convidada desse ciclo, Zélia Monteiro tem na base de sua pesquisa criativa e pedagógica o pensamento de Klauss Vianna, com quem trabalhou por oito anos, e a escola clássica italiana, na qual estudou com Maria Melô (aluna de Cecchetti no Scalla de Milão), de quem foi assistente por mais de dez anos. Foi premiada pela APCA em 1987, 1992, 1998, 2010 e 2016. Dirige o Núcleo de Improvisação desde 2007. Criou o Centro de Estudos do Balé, além de ser professora no curso de Comunicação das Artes do Corpo na PUC/SP e dar aulas de balé na Sala Crisantempo.

Poéticas de Dança Memória e Futuro com Zélia Monteiro. Foto - Divulgação

A Leitura dramática: 'Voyeur - um olhar indiscreto sobre Alfred Hitchcock' será apresentada no dia 23 de maio, sábado, entre 20h e 22h, de modo virtual pelo pesquisador em Teatro Musical e dramaturgo Gerson Steves. “Voyeur” investiga as interseções existentes entre a vida pública do mestre do suspense cinematográfico e sua vida privada pouca conhecida.

Numa época em que a indústria cinematográfica tinha ainda mais homens à frente das produções, existem relatos de que ele exerceu diversas atitudes sexistas, moldava as atrizes dentro e fora do set com difamação pública, investidas que iam do bullying ao assédio sexual. Haverá um debate após a realização da apresentação, mediada por Kleber Montanheiro, um dos diretores da Leitura. A liberação da sala on-line será feita com 10 minutos de antecedência por este link aqui.

No dia 28 de maio, quinta-feira, é a vez da Oficina Cultura Alfredo Volpi, que apresentará a live 'Corpo Dissidente em Terra de Cabra Macho' via Instagram @oficinasculturais, às 15h. No sentido de revisitar o espetáculo “Carne de Vaca”, fruto da pesquisa sobre as masculinidades e feminilidades no Cangaço e no sertão nordestino, o Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras convida a artista trans Uma Luiza Pessoa para essa conversa virtual ao vivo e com mediação da coordenadora do Núcleo, Kelly Santos. A atividade tem o objetivo de compreender e identificar quais são as possibilidades de ser e existir das identidades trans e intersexuais no contexto social cangaço/nordeste e para além dele.

Palabrería Feminista com Luiza Romão, Sofia Boito e Fernanda Machado (da esquerda para a direita). Foto - Sérgio Silva

Serviço

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Palabrería Feminista: intervenção
Concepção e performance: Fernanda Machado, Luiza Romão e Sofia Boito
Data - 18 de maio - segunda-feira - o vídeo será lançado no canal de YouTube das Oficinas Culturais - clique aqui - onde ficará disponível até 31 de julho
Indicação - 16 anos
Público - pessoas interessadas em literatura, performance e questões de gênero

Poéticas de dança: memória e futuro com Zélia Monteiro
Mediação - Marcus Moreno
Data - 22 de maio - sexta-feira
Horário - das 15h às 16h30
Indicação - livre
Público - aberta ao público em geral
Live no Instagram @oficinaoswald

Leitura dramática: Voyeur - um olhar indiscreto sobre Alfred Hitchcock
Coordenação - Gerson Steves
Data - 23 de maio - sábado
Horário - das 20h às 22h
Indicação: maiores de 18 anos
Público - interessados em geral
A liberação da sala será feita com 10 minutos de antecedência - clique aqui

Oficina Cultural Alfredo Volpi

Live - Corpo Dissidente em Terra de Cabra Macho
Coordenação - Kelly Santos, coordenadora do Núcleo de Estudos em Corporeidades Negras
Data - 28 de maio - quinta-feira
Horário - das 15h às 16h
Indicação - livre
Público - LGBT, artistas trans, artistas da Dança, Teatro, Música, Circo, Artes Performativas e Artes Visuais, ou estudantes dessas áreas; Pessoas com interesse nessas áreas artísticas e nos temas de gênero, sexualidade e diversidade
Mesmo sendo no formato de live, é importante fazer a inscrição até 27 de maio pelo link aqui. É uma forma de saber com quantas pessoas as participantes precisarão interagir.
Bate-papo pelo Instagram @oficinasculturais

Postar um comentário

0 Comentários