Joãozinho e a Maçã: crianças verdadeiras, nobres e corajosas


Maria Cecília Lima faz sua estreia como autora de livros infantis. "Joãozinho e a Maça" é o primeiro volume da série "Histórias que a minha avó contava", dedicada à literatura voltada para crianças

A obra, originalmente narrada por Conceição à criança Maria Cecília, tem inspiração em diversos contos de fadas mundialmente famosos, como Cinderela, Branca de Neve, Bela Adormecida e João e Maria, mas é diferente de todos eles. Construída de modo único, a trama surpreende a todos que acreditam irão encontrar nela as antigas histórias já lidas e ouvidas. "Joãozinho e a Maçã" é uma narrativa original, produto de uma mente engenhosa, que paga tributo às fábulas tradicionais apenas por seu final feliz e por conter uma moral, cujo intuito é estimular as crianças a serem verdadeiras, nobres e corajosas.

Não que o universo fantástico construído pela avó de Maria Cecília não contenha elementos já presentes nos contos de fadas clássicos: o rei, a princesa, o herói improvável, a fada que realiza desejos, o ogro. Mas tramas paralelas originais que recheiam a história principal e personagens com novas funções e roupagens fazem de "Joãozinho e a Maçã" uma narrativa com características próprias; uma fábula singular.

Sobre o livro

Antônio e José, irmãos mais velhos de Joãozinho, tentam, um de cada vez, cumprir a tarefa de salvar a princesa, mas encontram no caminho um velho andarilho, chamado Feioso, que transforma suas maçãs em linguiças vermelhas e pernas de rãs, respectivamente. Ainda jovem e inexperiente, Joãozinho contraria o pai e segue ao castelo para levar a maçã bem vermelha à filha do rei. Durante o trajeto encontra Feioso, que lhe pergunta o que leva consigo. Ao contrário dos irmãos, o jovem responde com a verdade e é bem-sucedido em sua empreitada. A princesa come de sua maçã e adquire novamente saúde.

Princesa Sophia doente e a espera da maçã que vai salvá-la. Ilustração - Jarbas Domingos

O rei ganancioso, apesar de feliz, não tem a intenção de ver sua filha casada com um jovem sem estirpe. Exige, assim, que Joãozinho prove seu amor à princesa. Para isso, impõe ao herói três tarefas muito difíceis. A primeira: cuidar de 100 coelhos e mantê-los todos junto ao fim do dia. A segunda: construir uma embarcação anfíbia. A terceira, quase impossível: retirar os três únicos fios de cabelo (de ouro) da cabeça de um malvado Ogro, que conhece o presente, o passado e o futuro e que vive em uma caverna localizada na Floresta Escura e que conhece o presente, o passado e o futuro.

Com alguns apuros, Joãozinho cumpre as duas primeiras tarefas. Para isso, conta com o auxílio de uma flauta mágica, de um velho inventor e da princesa Sophia, que na história de Maria Cecília adquire uma posição ativa, algo raro nos contos de fadas tradicionais. A terceira tarefa se mostra bem mais complicada e outros personagens e tramas precisam ser colocados em jogo para que ela consiga ser levada a cabo.

Almoço intimidador com a princesa e o rei. Ilustração - Jarbas Domingos

No caminho à Floresta Escura, Joãozinho é ajudado por três personagens pitorescos. Um homem que lhe dá comida e descanso e solicita a Joãozinho que pergunte ao monstro, que tudo sabe, por que a árvore mais bonita de seu pomar é a única que está morta. Uma senhora, que lhe oferece guarida, e surpreende a todos os leitores. No momento em que acreditamos estar frente a frente com uma bruxa fazendo mal a uma criança, percebemos que se trata de uma mãe ajudando um filho muito doente. Ela também tem uma questão para o Ogro: por que seu filho dorme profundamente de dia e tem surtos à noite? E, por fim, um barqueiro, que vive preso ao seu barco, cujo remo não pode ser solto, mesmo que assim ele implore.

Joãozinho se despede da princesa para cumprir o desafio do barco anfíbio. Ilustração - Jarbas Domingos

Para conseguir adentrar à caverna e cumprir sua derradeira missão, Joãozinho conta com um auxílio fundamental: do servo do Ogro, um homenzinho chamado Milin. Temeroso, mas cansado da humilhação, ele engana o Ogro e acaba descobrindo que o monstro, que tem poderes mágicos, é responsável pela árvore morta, pelo filho adoecido, pelo barqueiro preso à sua embarcação e pelo tio do rei ganancioso transformado em um velho andarilho. Ao arrancar os três fios de cabelo de ouro, Joãozinho enfraquece o Ogro e quebra o ciclo de suas maldições. O dono do pomar encontra um tesouro embaixo da mangueira morta. A mãe vê seu filho acordado e bem depois de muito tempo. E o barqueiro finalmente solta o remo e se liberta.

A volta para o castelo, o milagre da onda. Ilustração - Jarbas Domingos

O velho andarilho se torna novamente rei e retira o pai de Sophia do trono. O caminho para os dois apaixonados finalmente fica livre. E o final dessa história repete o de muitos para a alegria dos leitores de hoje e de outrora: Joãozinho e a princesa se casam e vivem felizes para sempre.

Sobre a autora

Maria Cecília de Lima é formada em hotelaria, e pós-graduada em Gestão Estratégica da Educação e Gestão Pública. Por muitos anos trabalhou como funcionária pública em uma faculdade estadual de São Paulo.

Ficha técnica
Joãozinho e a Maçã
Autora - Maria Cecília de Lima
Ilustrações - Jarbas Domingos
Editora - Viseu
Páginas - 46
Preço - R$ 23,62
Para mais informações ou comprar clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários