Totalmente Demais: Juliana Paes relembra sua experiência como a jornalista Carolina Castillho

Carolina (Juliana Paes) e Arthur (Fábio Assunção). Foto - Globo/Renato Rocha Miranda

Novela retorna à programação em edição especial

'Totalmente Demais', produzida pela Rede Globo e exibida entre novembro de 2015 a maio de 2016, estreia em edição especial. A novela criada e escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, com direção-geral de Luiz Henrique Rios e direção de Marcus Figueiredo, Noa Bressane, Luis Felipe Sá e Thiago Teitelroit, vai ao ar a partir de 30 de março.

A novela é uma comédia romântica repleta de poesia, histórias de superação e transformação. Na trama, o destino cruza as vidas de Eliza (Marina Ruy Barbosa), Carolina (Juliana Paes), Arthur (Fábio Assunção) e Jonatas (Felipe Simas). Sujeitos a erros e acertos, os personagens, criados por Rosane Svartman e Paulo Halm, fazem de tudo para transformar seus sonhos em realidade. Sejam eles amorosos, profissionais, familiares ou financeiros.

O ponto de partida do folhetim, é a redação de uma revista feminina e todo o universo que a cerca, como o glamour, as festas e viagens, as vaidades, as parcerias e sabotagens em contraponto com a realidade das ruas, onde quem vive nela precisa se reinventar a cada dia para sobreviver.

Confira abaixo entrevista com Juliana Paes onde ela relembra a personagem, que ela mesmo define como sendo sua primeira vilã:

Carolina (Juliana Paes). Foto - Globo/Renato Rocha Miranda

Qual foi a sua reação ao ver que a novela voltaria à grade no cenário atual? Como será reviver aqueles momentos?

Foi um misto de emoções. Eu fiquei muito surpresa, nunca tinha visto a TV Globo parar com a programação desse jeito. Mas fiquei feliz pelo ato de respeito, de adesão, de solidariedade. Fiquei orgulhosa da atitude da emissora. Acho que essa é a chance de mostrarmos de novo uma história que teve tanto sucesso e que foi tão gostosa de viver.

O que significou ‘Totalmente Demais’ em sua carreira? Como a encaixa em seu hall de bons trabalhos?

A Carolina Castilho foi a minha primeira vilã. Como eu não acredito em personagens maniqueístas, eu tentei fazer uma personagem que ao longo da trama vai se humanizando. Foi uma novela em que eu tive muito contato com o público jovem, algo, até então, novo pra mim. Passei a ter contato e me articular mais via redes sociais, com esse público, sobretudo. Eu descobri um mundo novo.

Fale um pouco sobre o perfil do seu personagem.

Normalmente as minhas personagens são muito efusivas. A Carolina foi um desafio nesse sentido. Ela era um pouco mais fria com os sentimentos, um pouco mais calculista, aquele tipo de pessoa que esconde os sentimentos genuínos. Isso era algo totalmente diferente da minha personalidade. Mas foi muito legal.

Tem alguma lembrança marcante ou divertida daquela época?

As minhas melhores lembranças têm a ver com o início da minha amizade com a Marina. Nós já nos conhecíamos, mas foi ali que estreitamos os laços. A gente se entendeu muito bem, se deu muito bem. Tenho lembranças maravilhosas das nossas conversas, nossos choros quando o cansaço apertava... Tenho boas lembranças dessa amizade que se iniciou ali.

O que o público pode esperar ao rever essa história?

Acho que podem esperar uma história deliciosa, que vai passar voando. O público vai se emocionar e se divertir com essa menina tão simples que vira uma top model. E com a Carolina, essa mulher que depois de todos os erros que cometeu, adota um filho e se transforma em uma mulher plena após descobrir o que é o amor de verdade.

Postar um comentário

0 Comentários