Projeto Atalhos Sonoros lança nova coletânea musical


Parceria entre as Fábricas de Cultura e a distribuidora musical Tratore, é composta por músicas gravadas durante as cinco edições do projeto em 2019. A coletânea pode ser ouvida nas principais plataformas de música do mundo

Está no ar a nova coletânea dos estúdios das Fábricas de Cultura das zonas norte e sul de São Paulo - espaços da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciados pela Poiesis.

Chamada Fábricas de Cultura e Tratore Apresentam: Atalhos Sonoros 2019, a coletânea apresenta as seis músicas gravadas durante o projeto no último ano. O público encontrará MPB, rap, samba, rock, música eletrônica e outros gêneros musicais que se misturam.

Parceria entre as Fábricas de Cultura e a distribuidora musical Tratore, pelo terceiro ano seguido o Atalhos Sonoros reuniu artistas já atendidos pelos estúdios das Fábricas e artistas com maior experiência no mercado musical, convidados pela Tratore.

Dri, Penha Pinheiro e Malka. Foto - Murilo Muraah

Em cada uma das cinco edições, três artistas ou bandas se encontraram pela primeira vez para trocar experiências e gravar músicas em conjunto. Atividades de formação também foram oferecidas aos artistas participantes e ao público em geral por meio de cinco edições da SIM Transforma, realizadas em parceria com a Semana Internacional de Música de São Paulo (SIM São Paulo).

Participaram do projeto Atalhos Sonoros 2019 os artistas Gabrielz, Transcritos, Instinto Orgânico, Isadora Titto, Dri, Penha Pinheiro, Nomah Die, RTS, Primitivos SA e Akuma, além de Mauricio Pereira, Socorro Lira, Malka, Tintapreta e Paulo Bira, convidados pela Tratore.

Gabrielz, Transcritos e Mauricio Pereira, Técnico de áudio Elizeu Ferreira, Técnico de áudio Junior Santos. Foto - Murilo Muraah

A coletânea pode ser ouvida nas principais plataformas de música como Spotify, Deezer, Apple Music e Google Play. Para localiza-la nessas ferramentas, acesse aqui e a inclua em sua biblioteca de músicas.

Abertos desde 2015, os estúdios das Fábricas de Cultura das zonas norte e sul de São Paulo atendem cerca de 5 mil pessoas por ano, músicos amadores ou profissionais e aprendizes dos ateliês e trilhas formativas das Fábricas. Em 2019, a unidade de Diadema também abriu um estúdio para atender a demanda dos artistas do Grande ABC. Oferecendo atendimento a artistas periféricos, as gravações e mixagem são gratuitas e contam com espaços acústicos e equipamentos de alta qualidade, além do suporte de técnicos de áudio profissionais.

Socorro Lira. Foto - Murilo Muraah

Rap, MPB, rock, choro, forró, música erudita, gospel, trilhas sonoras para espetáculos, locuções e por aí vai. Os estúdios são abertos a todos os estilos musicais e oferecem também ações de formação e networking realizadas em parceria com empresas e profissionais do ramo musical.

Desde o dia 19 de março, todas as atividades das Fábricas de Cultura gerenciadas pela organização social de cultura Poiesis estão suspensas pelo período de 30 dias. A medida ocorre de acordo com as recomendações do Governo do Estado de São Paulo para combater a propagação do coronavírus. Dessa forma, esses espaços culturais e de formação protegem os profissionais, públicos e as comunidades onde estão localizados.

Postar um comentário

0 Comentários