Convidados de Portugal, Argentina e Espanha, de olho no cinema brasileiro, confirmam presença na 23ª Mostra Tiradentes

Mostra de Cinema de Tiradentes. Foto - Beto Staino/Universo Produção

Representantes de festivais, universidades, instituições e de publicações estarão na 23ª Mostra de Tiradentes para ampliar repertório, gerar intercâmbio e conhecer a nova safra da produção audiovisual brasileira

Já é tradição a Mostra de Cinema de Tiradentes receber importantes nomes do cenário audiovisual mundial para acompanharem o evento. Atuando como “olheiros” privilegiados, os convidados têm a oportunidade de conhecer em primeira mão o cinema brasileiro contemporâneo que ganha as telas na Mostra. Graças a essas presenças, vários dos filmes exibidos, entre longas e curtas-metragens, passam a ser discutidos, comentados, recomendados e debatidos em outros espaços, extrapolando os limites de seus próprios territórios.

Em 2020, na 23ª edição da Mostra de Tiradentes, estarão presentes cinco convidados internacionais, representando festivais, instituições e publicações de várias partes do mundo. De Portugal vem Miguel Valverde, curador do Indie Lisboa, codiretor da Portugal Film - Agência Internacional de Cinema Português, professor de Promoção de Cinema no Instituto Politécnico ESAD e de Cinema Experimental na Universidade Nova de Lisboa.

Da Espanha, a presença é de Nuria Cubas, diretora artística do Filmadrid - Festival Internacional de Cinema de Madri. Ela também faz parte do comitê de seleção do Punto de Vista - Festival Internacional de Documentário de Navarra, desde 2018.

A Argentina estará representada por três nomes. Uma das presenças é de Paola Buontempo, programadora do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata. Formada em artes audiovisuais, ela teve seus curtas-metragens “Las Instancias del Vértigo” (2010), “Los Animales” (2012) e “Las Fuerzas” (2018) exibidos em festivais como Cinéma du Réel, BAFICI, FIC Valdivia, La Habana, Festival de Imagens, entre outros.

O crítico de cinema Roger Koza. Foto - Leo Lara /Universo Produção
Também da Argentina vem o crítico de cinema Roger Koza, curador do Filmfest Hamburgo (Alemanha) e da Vienalle - Festival Internacional de Cinema de Viena (Áustria). Membro da Fipresci (Associação Internacional de Críticos de Cinema), trabalha no jornal “La Voz Del Interior”, publicado em Córdoba, e têm textos regularmente publicados nas revistas “Ñ”, “Quid” e no site “Con los Ojos Abiertos”. Koza ainda é diretor artístico do Festival Internacional de Cinema de Cosquín e tem várias participações em júris, inclusive compondo o Júri da Crítica da Mostra Aurora em Tiradentes no ano de 2019.

Segundo relata Koza, "A Mostra de Tiradentes é um lugar de descobrimento de novos cineastas, todos passam por aqui. Bons filmes estão aqui, filmes que serão discutidos e que estão juntos com outros filmes, e que apresentam um paradigma diferente do cinema internacional e do cinema latino-americano. Não há outro lugar no mundo que tem uma programação tão interessante. O que tem aqui não se vê em outro lugar.”, destaca o programador argentino que marca presença nas edições anuais do evento desde da 19ª edição da Mostra Tiradentes(2016).

Por fim, a crítica e pesquisadora Julia Kratje completa o time da Argentina. Doutora em Ciências Sociais e Mestre em Sociologia da Cultura, ela é professora de Comunicação Social na Universidade Nacional de Entre Ríos e na Universidade de Buenos Aires, onde é pesquisadora do Instituto Interdisciplinar de Estudos de Gênero da Faculdade de Filosofia e Letras.

23ª edição da Mostra de Tiradentes acontece de 24 de janeiro a 1º de fevereiro de 2020, na cidade de Tiradentes (MG).

Leia também:

Postar um comentário

0 Comentários