Companhias teatrais alternam temporadas no centro e na periferia da cidade

Cena do espetáculo Comum, do Grupo Pandora de Teatro. Foto - Meire Ramos

Projeto Teatros em Movimento contempla, em fevereiro, o Grupo Pandora de Teatro e Teatro da Vertigem

No mês de fevereiro, o projeto Teatros em Movimento, contemplado na 9ª edição do Prêmio Zé Renato, apresenta os espetáculos Enquanto Ela Dormia, do Teatro da Vertigem (localizado na Bela Vista) e Comum, do Grupo Pandora de Teatro (sediado em Perus).

O projeto prevê a circulação de companhias teatrais, seus trabalhos e processos criativos pelas sedes de outros grupos, em diferentes bairros da capital paulista e aposta que a circulação dos espetáculos e o intercâmbio de procedimentos, além de poder enriquecer a experiência dos grupos de teatro envolvidos, possa se traduzir também em oportunidade para que públicos de distintas regiões tenham acesso à produção teatral de outros lugares da cidade.

Desta forma, o intercâmbio se dá em mão dupla: assim como o Enquanto Ela Dormia vai para os bairros, a Bela Vista recebe, em 2020, o Grupo Pandora de Teatro, de Perus.

Comum se apresenta na sede do Teatro da Vertigem (R. Treze de Maio, 240/ 1º andar – Bela Vista) de 1º a 9 de fevereiro e o Enquanto Ela Dormia faz sessões de 14 a 29 de fevereiro de 2020 na Ocupação Artística Canhoba - Cine Teatro Pandora, na Rua Canhoba, 299, em Perus, São Paulo com entrada franca em ambos os locais.

O Grupo Pandora de Teatro, sediado no bairro de Perus, São Paulo/SP, desenvolve um trabalho contínuo de pesquisa e criação teatral. Fundado em julho de 2004 a partir do Projeto Teatro Vocacional da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo, o grupo desenvolve trabalho contínuo de pesquisa e criação, fortalecendo parcerias com polos culturais e artistas da região.

Desde fevereiro de 2016, o grupo ocupa um espaço público ocioso que estava abandonado há anos e que nunca havia cumprido função social. Com a Ocupação Artística Canhoba, o grupo conseguiu revitalizar e ressignificar um espaço da cidade, tornando-o uma referência em cultura no bairro de Perus.

Cena da peça Enquanto Ela Dormia. Foto - Divulgação
Sediado no bairro da Bela Vista, o Teatro da Vertigem é uma companhia teatral brasileira criada em 1992 como um projeto experimental de pesquisa de linguagem da expressão representativa. O grupo, encabeçado pelo encenador Antônio Araújo, foi responsável pela pesquisa e criação de espetáculos em espaços não convencionais, realizador da Trilogia Bíblica formada por Paraíso Perdido, 1992, de Sérgio de Carvalho; O Livro de Jó, 1995, de Luís Alberto de Abreu; e Apocalipse 1,11, 2000, de Fernando Bonassi.

Enquanto Ela Dormia, é um espetáculo estreado em julho de 2017, com produção original do SESI-SP. O texto nasceu de um de seus programas, o Núcleo de Dramaturgia, voltado para novos dramaturgos e coordenado por Marici Salomão. Em 2018, a montagem foi indicada na categoria Cenografia no Prêmio Shell e fez, desde então, inúmeras apresentações por diversos bairros da capital paulista.

A partir de uma pesquisa sobre a violência contra a mulher e as relações de poder entre os gêneros, o processo de criação da peça foi norteado por visitas às delegacias e pelas escutas de depoimentos de vítimas. O monólogo parte de uma linha cronológica das dores do feminino, como, por exemplo, os pés de lótus das mulheres chinesas e a expulsão da deusa Lilith do Paraíso.

Sinopses

Comum

Foto - Luh Silva
Três histórias ligadas à descoberta de uma vala comum clandestina criada no período da Ditadura Militar Brasileira. A busca de um filho por informações de seus pais desaparecidos políticos. O dilema de dois coveiros encarregados da criação de uma vala. Uma jovem estudante que se aproxima do ativismo político. 1970/1990 épocas distintas se entrelaçam nos fragmentos dessas histórias e evidenciam causas e consequências. Inspirado na história da vala comum do Cemitério Dom Bosco no bairro de Perus, São Paulo/SP.

Ficha técnica
Criação: Grupo Pandora de Teatro 
Texto e direção: Lucas Vitorino
Elenco: Filipe Pereira, Rodolfo Vetore, Rodrigo Vicente, Thalita Duarte e Wellington Candido
Design de luz e música: Elves Ferreira
Operação de Luz: Caroline Alves
Edição de Vídeo: Filipe Dias
Figurino: Thais Kaori
Cenografia: Lucas Vitorino e Thalita Duarte
Cenotecnia: Eprom Eventos e Luis Fernando Soares
Operação de Vídeo: Lucas Vitorino
Treinamento corporal: Rodrigo Vicente e Rodolfo Vetore
Preparação corpo e voz: Paula Klein
Produção: Caroline Alves e Thalita Duarte

Enquanto Ela Dormia

Em cena a atriz Lucienne Guedes. Foto - Mayra Azzi
Enquanto Ela Dormia conta a história de Dora, personagem submetida a convenções sociais predominantemente formuladas pelo gênero masculino. Quando motivada por acontecimentos cotidianos, Dora traz à tona seus próprios traumas, frutos de uma sociedade patriarcal enraizada. O espetáculo aproxima o público do universo feminino ao demonstrar os abusos, violências e a constante marginalização social do gênero. O enredo desenvolve uma atmosfera dramática, que demonstra e reflete sobre questões da subjetividade da mulher. Espetáculo realizado a partir de produção original do SESI-SP; texto original oriundo do projeto Núcleo de Dramaturgia SESI-SP

Ficha técnica
Diretora Artística: Eliana Monteiro
Texto: Carol Pitzer
Atriz: Lucienne Guedes
Cenografia: Marisa Bentivegna
Light Designer: Guilherme Bonfanti
Trilha Sonora: Erico Theobaldo
Figurinista: Marichilene Artisevskis
Dramaturgismo: Antonio Duran
Operadora de Som: Nayara Konno
Operadora de Vídeo: Aline Sayuri
Operadora de Luz: Patricia Amorim
Diretor de Cena/Contrarregra: Evaristo Moura
Produção Geral: Marcelo Leão
Fotos: Mayra Azzi
Assessoria de Imprensa: Márcia Marques - Canal Aberto

Serviço

Teatros em Movimento

Comum
Datas - 01, 02, 08 e 09 de fevereiro
Local - Sede do Teatro da Vertigem
Endereço - Rua Treze de Maio, 240 - 1º andar - Bela Vista - São Paulo
Capacidade - 50 lugares
Horário - sábados às 21h e domingos às 19h
Duração: 110 min
Grátis - os ingressos são distribuídos 1h antes do início das apresentações
Classificação - 12 anos

Enquanto Ela Dormia
Datas - 14, 15, 28 e 29 de fevereiro
Local - Ocupação Artística Canhoba (Cine Teatro Pandora)
Endereço - Rua Canhoba, 299 - Perus (próximo a caixa d'água)
Capacidade - 50 lugares
Horário - sextas e sábados às 21h
Duração - 70 min
Grátis - os ingressos são distribuídos 1h antes do início das apresentações
Classificação - 16 anos

Postar um comentário

0 Comentários