Orquestra faz malabarismo para acompanhar espetáculo circense

A orquestra do Reder Circus é formada por dez músicos. Foto Divulgação
Apresentação do Reder Circus acontece no estacionamento do Parque D. Pedro Shopping, em Campinas (SP)

Mesmo que uma apresentação de circo sempre arranque aplausos do público, os diretores dos espetáculos buscam surpreender e inovar a todo momento. Artistas habilidosos e talentosos, interação com a plateia e visual deslumbrante são alguns dos recursos utilizados para atrair os olhares e a atenção. Mas trabalhar com uma orquestra ao vivo em um espetáculo com tantas atrações diversas é muita ousadia.

Por isso o show Abracadabra, apresentado pelo Reder Circus no estacionamento do Parque D. Pedro Shopping, em Campinas, é único. Haja habilidade do maestro e dos músicos para sincronizar o ritmo da música com os movimentos de malabaristas, acrobatas, trapezistas, palhaços, ilusionistas e dançarinos sem deixar que o espetáculo saia do ritmo exato que cada atração necessita.

Frederico Reder é o diretor do espetáculo Abracadabra. Foto - Divulgação
O espetáculo tem direção de Frederico Reder, produtor de grandes sucessos teatrais e precursor dos documentários musicais como “60! Década de Arromba”, estrelado por Wanderléa, e “70! Década do Divino Maravilhoso”, com a participação especial das Frenéticas e de Baby do Brasil, entre outros.

O Reder Circus tem temporada prevista até 15 de dezembro. As sessões acontecem de quinta a domingo (quintas e sextas às 20h e sábados, domingos e feriados às 16h, 18h e 20h).


Sobre a Orquestra
Sob a batuta de Gabriel Guilherme - considerado o melhor baterista do Brasil -, auxiliado por Vítor Arantes (piano), a orquestra do Reder Circus é formada por dez músicos: baixista, baterista, flautista, guitarrista, pianista, saxofonista, tecladista, trombonista, trompetista e violinista. O desafio é sincronizar cada nota com os movimentos dos tradicionais artistas circenses.

Como a orquestra fica no mezanino sobre o palco, o maestro Gabriel Guilherme dispõe de uma tela na qual recebe as imagens do espetáculo. Caso algum artista perca o ritmo devido a algum erro na execução de seu número, o maestro precisa avisar os músicos pelo fone de ouvido e improvisar um arranjo próprio para aquele momento.

Os músicos ficam no mezanino sobre o palco. Foto - Divulgação
Imprevistos acontecem, principalmente no circo, e os improvisos se fazem sempre necessários. “Uma vez, o som parou no meio do espetáculo e tivemos que fazer o restante do show todo com a bateria acústica acompanhando os números. Foi um grande solo de percussão”, lembra o maestro.

Considerando que o Reder Circus homenageia os grandes circos brasileiros - Orlando Orfei, Garcia, Vostok e Royter, entre outros -, o maestro teve que ser muito habilidoso para não descaracterizar a linguagem clássica. “Foi preciso encontrar um meio-termo que incorporasse elementos de musicais e cinema ao espetáculo circense, além de entender a estrutura de cada número e convencer os artistas a mudar um pouco a forma de execução, para que tudo fosse sincronizado”, explica Gabriel Guilherme.

Sobre o Maestro
Diretor musical, maestro e baterista, Gabriel Guilherme dedica-se ao Reder Circus desde abril de 2018, ajudando a construir o espetáculo. Desde então, já participou de mais de 600 apresentações. Nenhuma totalmente igual à outra.

Orquestra do Reder Circus. Foto - Divulgação
Na opinião dele, o mais complexo é equilibrar o emocional com o físico, o que exige uma grande demanda de resistência e preparo. No fim das contas, vale a pena. “Recebemos elogios constantes pela sincronia da música com os números. A energia é impressionante, inexplicável. Todo mundo precisa experimentar uma vez na vida”, sugere.

Gabriel é considerado o melhor baterista do país. Foi vencedor do “V-Drums Contest Brasil” (Roland) e 4º melhor do mundo no festival “V-Drums World Championship”. É formado em Música pela Universidade Livre de Música, em Rádio, TV e Cinema pela FMU/SP e em Engenharia de Áudio e Acústica Arquitetônica pela Synthex AV Technologies. Realizou trabalhos com diversos artistas, com destaque para Rafael Bittencourt (baterista do Angra), Fernando Nunes (Cássia Eller e Lenine), Lucas Silveira (Fresno), Fiuk, Wanderléa e Baby do Brasil.

Serviço
Reder Circus - Abracadabra
Data - até 15 de dezembro
Local - Parque D. Pedro Shopping - Campinas
Endereço - Av. Guilherme Campos, 500 - Jardim Santa Genebra - Campinas - SP
Horários - de quinta a domingo (quintas e sextas às 20h; sábados, domingos e feriados às 16h, 18h e 20h)
Ingressos - a partir de R$ 30,00 referentes à meia-entrada* do Setor Bronze
Setores
Diamante (Camarote Palco) - R$ 250,00
Ouro (Cadeira VIP Central) - R$ 100,00
Prata (Cadeira VIP Lateral) - R$ 80,00
Bronze (Cadeira Lateral) - R$ 60,00
*Meia-entrada - válida para crianças menores de 12 anos, estudantes, idosos acima de 60 anos, pessoas com deficiência e jovens de 15 a 29 anos de baixa renda. Necessária apresentação da identificação na entrada
Vendas: nas bilheterias e no site aqui
Mais informações 19 99605-0576


Postar um comentário

0 Comentários