Sesc Campo Limpo realiza leitura do livro "Úrsula" de Maria Firmino dos Reis

Maria Firmino dos Reis. Ilustração - Cícero R. Viana
Com participação de Mulheres Negras na Biblioteca, Fernanda Miranda, Heloísa de Lima e Camila Silva

No dia 21 de novembro, quinta-feira, às 19h30, o Sesc Campo Limpo recebe a coletiva Mulheres Negras na Biblioteca, pesquisadora Fernanda Miranda, cantora Heloísa Lima e instrumentista Camila Silva, para a leitura, bate-papo e apresentação musical do livro “Úsula” de Maria Firmino dos Reis. O encontro é gratuito, livre e há necessidade de retirada de ingresso uma hora antes na Central de Atendimento, terá acessibilidade em Libras.

No mês de novembro, em que celebramos as lutas, conquistas, história e cultura do povo negro, o LiteraCampo realiza um encontro sobre a obra “Úrsula” de Maria Firmina dos Reis, escritora maranhense do século XIX considerada a primeira romancista brasileira.

Publicado em 1859, o livro é apontado por alguns pesquisadores como primeiro romance abolicionista do Brasil e primeiro romance da literatura afro-brasileira, embora pouquíssimos brasileiros conheçam essa história.

O livro conta a história de Tancredo e Úrsula, dois jovens, puros e altruístas. Com a vida marcada por perdas e decepções familiares, eles se apaixonam e tão logo o destino os aproxima, mas se deparam com um empecilho para concretizar seu amor. 

Com mediação da coletiva Mulheres Negras na Biblioteca, participação da pesquisadora Fernanda Miranda, e apresentação musical da cantora Heloísa Lima e da instrumentista Camila Silva.


Sobre o livro

Publicado originalmente em 1859, Úrsula é considerado o primeiro romance de autoria negra e feminina do Brasil. Livro de estreia da escritora maranhense Maria Firmina dos Reis, mulher negra, professora e militante de causas da educação, a obra é um marco na história da literatura brasileira.

A autora lança um novo olhar para a questão da abolição, inédito até então, não do ponto de vista eurocêntrico, como era comum na literatura de seu tempo, mas justamente pela perspectiva dos próprios oprimidos, dando voz às mulheres, aos negros e escravos, além de denunciar a opressão do sistema patriarcal.

Embora o centro do romance seja o triângulo amoroso formado por personagens brancos, a inovação da obra está justamente em dar protagonismo aos personagens negros: os escravos Tulio, Susana e Antero são fundamentais para o desenvolvimento da história. As trajetórias desses personagens, narradas a partir de um ponto de vista interior e próprio, representam o ponto ápice da literatura firminiana.

Sobre a Autora

Maria Firmina dos Reis nasceu na Ilha de São Luís, no Maranhão, em 11 de março de 1825. Foi registrada como filha de João Pedro Esteves e Leonor Felipe dos Reis. Prima do escritor maranhense Francisco Sotero dos Reis por parte da mãe. Em 1830, mudou-se com a família para a vila de São José de Guimarães, no continente, município de morta e viva. Viveu parte de sua vida na casa de uma tia materna, melhor situada economicamente. Em 1847, concorreu à cadeira de Instrução Primária nessa localidade e, sendo aprovada, ali mesmo exerceu a profissão, como professora de primeiras letras, de 1847 a 1881. Negra e bastarda, enfrentou a barreira dos preconceitos e publicou, em 1859, o romance Úrsula, considerado o primeiro romance abolicionista do Brasil e um dos primeiros escritos produzidos por uma mulher brasileira.

Ficha técnica
Ursula
Autora - Maria Firmina dos Reis
Editora - Taverna
Páginas - 244
Preço - 29,90
Para mais informações ou comprar clique aqui

Serviço
LiteraCampo
Data - 21 de novembro - quinta-feira
Local - Sesc Campo Limpo
Endereço - Rua Nossa Senhora do Bom Conselho, 120 - Campo Limpo - São Paulo
Capacidade - 60 pessoas
Horário - das 19h30 às 21h
Grátis - retirada de ingresso com trinta minutos de antecedência na Central de Atendimento - Tenda Multiuso
Acessibilidade em Libras
Classificação - livre
Mais informações 11 5510-2700 ou pelo portal aqui

Postar um comentário

0 Comentários