Quebra Quebranto: Clarianas lançam seu segundo CD

Foto - Divulgação
As três cantadeiras, os tambores, a rabeca, viola caipira, agogô e pandeiro estarão no lançamento do CD Quebra Quebranto na Choperia do Sesc Pompeia em 22 de novembro, com convidados como o Ilú Oba de Min, Lenna Bahule e Dani Nega

Clarianas é um grupo de cantadeiras urbanas que investiga a voz da mulher “ancestral” na música popular do Brasil. A voz, o fio condutor que revela um amplo universo sonoro, genuinamente brasileiro, que vai desde os Cânticos Indígenas aos Aboios Sertanejos, passando pelas Brincantes do Côco, Ladainhas do Catolicismo Popular, Sambas de Roda, Maracatus, Xotes, Rezas e Tambores Africanos.

Com canções autorais que documentam o cotidiano da população periférica brasileira, em sua maioria negra, Clarianas carrega em seu bojo o canto-manifesto protagonizado pela fala feminina que, sem perder a “graça, a manha e o sonho, revela a raça, a força e a gana dos que tem (como diz o poeta) a estranha mania de ter fé na vida”.

Foto - Divulgação
O grupo, inicialmente formado por três cantadeiras/atrizes/tocadeiras, um violinista e uma percussionista, lançou seu primeiro disco “Girandêra” no final de 2012. Um álbum muito bem recebido em São Paulo, que rendeu inúmeros shows e parcerias valiosas.

Hoje, a formação inclui uma rabequeira, um violonista e um baixista e todos estão reunidos no novo projeto: Quebra Quebranto. O novo espetáculo musical propõe a verticalização da linguagem que une a sonoridade tradicional com o discurso urbano pulsante no gueto. As novas canções aprofundam temas como empoderamento feminino, extermínio da população negra, herança indígena e religiosidade afro brasileira, sempre envoltos às vozes das “lavadeiras”, tambores e harmonias sertânicas.

O disco tem participações muito preciosas, como a do Chico Cesar , Ilú Obá de Min, Dani Nega , Marcelo Pretto e Lenna Bahule. É um show para falar de proteção e cura. Seus arranjos contemplam ritmos da tradição brasileira e Africana e misturam instrumentos como viola caipira, rabeca, baixo, Dununs e outros. Todas as canções são autorais e entre uma música e outra, o espetáculo é costurado com textos e poesias de vários autores que colaboram com a atmosfera do show que, além de poético é muito dançante.

Foto - Divulgação
Repertório  - 14 canções autorais:

Casa Sã (Naruna Costa)
Herança de Divino e Santina (Naruna Costa)
Pé de Seca Braba (Naruna Costa)
A Feira (Naloana Lima)
Canto e Bato Palma (Naruna Costa)
Tira a Mão do Meu Cabelo (Naruna Costa)
Cabresto (Naruna Costa)
Remar à Dentro (Naruna Costa)
Festa di Santo (Naloana Lima)
Quebranto ( Naruna Costa)
Y Khyssa (Naruna Costa)
Derramagoa de Mulher (Naruna Costa)
Santa Luzia (Naruna Costa)

Clarianas - Girandêra - 2012 

Ficha técnica
Cantadeiras/Tocadeiras - Martinha Soares, Naloana Lima e Naruna Costa
Rabequeira - Carla Raiza
Violão/ Viola Caipira - Giovani Di Ganzá
Baixo/Guitarra/Violão - Sandro Lima
Percussão - Jackie Cunha e Maurício Badé
Músicos Convidados - Sandro Bueno (gaita de fole) e Rafael Franco (Didgeridoo)

Serviço
Lançamento do CD
Data - 22 de novembro - sexta-feira
Local - Sesc Pompeia - Choperia
Endereço: R. Clélia, 93 - Água Branca - São Paulo
Horário - 21h30
Ingressos - R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia), R$ 9,00 (credencial plena do Sesc)
Os ingressos começam a ser vendidos dia 12 pela internet e dia 13 nas unidades do Sesc
Recomendação etária - 18 anos
Para mais informações 11 3871-7700 ou clique aqui

Postar um comentário

0 Comentários