Mostra Internacional de Teatro de São Paulo anuncia os pré-selecionados para a MITbr - Plataforma Brasil 2020

Por Onde Andam os Porcos - Possível Coletiva (Pernambuco). Foto - Iara Marcela

Foram pré-selecionados 12 trabalhos e 4 suplentes de cidades como Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Piauí e Salvador

A Mostra Internacional de Teatro de São Paulo lançou em agosto de 2019 uma convocatória com o objetivo de compor a programação da próxima MITbr - Plataforma Brasil, projeto de internacionalização de artes cênicas da MITsp, a ser realizada de 05 a 15 de março de 2020. A intenção é fomentar a visibilidade, circulação e reconhecimento da produção cênica brasileira para além de nosso país.

Das 791 inscrições recebidas, sendo 539 do Sudeste, 104 do Sul, 41 do Centro-Oeste, 94 do Nordeste, 5 do Norte e 8 de outros lugares/países, foram pré-selecionados 12 projetos cênicos que, segundo os curadores Alejandro Ahmed, Francis Wilker e Grace Passô, atendem alguns critérios que foram norteadores da seleção: o compromisso com a investigação cênica, a radicalidade nos posicionamentos e propostas, o engajamento em perguntas sintonizadas com nosso tempo, e que fossem experiências não territorializadas, que se reconhecessem como uma cena em campo expandido.

tReta - Original Bomber Crew (Piauí). Foto - Maurício Pokemon

A alta qualidade foi um aspecto marcante nas propostas inscritas na MITbr 2020. São trabalhos de Norte a Sul do Brasil que evidenciam a força criadora de artistas e grupos nas mais diversas temáticas e linguagens. No contexto político atual de recorrentes desmontes e ataques ao setor cultural, a criatividade, capacidade de mobilização e invenção poética dos artistas demarcam um horizonte de enfrentamento e cultivo da liberdade de expressão, ampliação de mundos subjetivos, possibilidade do pensamento divergente e diálogo.

“Foi nesse contexto que procuramos nos relacionar com essas propostas artísticas e suas potências poéticas e políticas. Não percorremos suas geografias limitados por rótulos do que seja teatro, dança ou performance, ao contrário, fomos guiados pelo corpo: qual a política desses corpos? Que mundo nos revela? O que movem? O que podem fazer mover? Que paisagens inauguram? Como somos afetados no encontro com os seus agenciamentos?”, apontam os curadores da MITbr.

Stabat Mater - Janaina Leite. Foto - André Cherri

Em 2020, a MITbr - Plataforma Brasil estará em sua terceira edição. O programa de internacionalização das artes cênicas brasileiras da MITsp foi se aperfeiçoando ao longo desses anos. Lançada em 2018, recebeu nas duas edições anteriores o total de 477 propostas, de 19 estados brasileiros (AL, AM, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MS, MT, PA, PB, PE, PR, RJ, RN, RS e SC). Desse montante de inscrições, 34 trabalhos foram selecionados e apresentados, mais 6 aberturas de processo compuseram a programação, para que 68 curadores internacionais e 17 nacionais pudessem fruir um recorte da produção nacional recente. O público também se beneficiou com o programa: mais de 5 mil pessoas assistiram às apresentações nos teatros e espaços da capital paulista.

Nesta edição de 2020, foram recebidos projetos de 20 estados brasileiros e Distrito Federal, além das oito inscrições internacionais vindas da Argentina, Portugal, Espanha, Uruguai, EUA e Suécia.

Pra Frente o Pior - Inquieta Cia (Ceará). Fotos - Éden Barbosa

Resultado da convocatória MITbr - Plataforma Brasil 2019
Equipe curatorial: Alejandro Ahmed, Francis Wilker e Grace Passô

Os trabalhos pré-selecionados serão contatados pela produção da MITbr a partir do dia 02 de dezembro para verificação das condições jurídicas e avaliação das condições técnicas. A programação definitiva da MITbr será divulgada junto com a programação geral da MITsp 2019.

Trabalhos pré-selecionados (por ordem alfabética):
  • Cancioneiro Terminal - MEXA (São Paulo)
  • Entrelinhas - Coletivo Ponto Art (Bahia)
  • Gota D’Água {PRETA} - Gira pro Sol (São Paulo)
  • Meia Noite - Orun Santana (Pernambuco)
  • O Ânus Solar - Maikon K (Paraná)
  • Por Onde Andam os Porcos - Possível Coletiva (Pernambuco)
  • Pra Frente o Pior - Inquieta Cia (Ceará)
  • Recolon - Coletivo Mona (Amazonas)
  • Stabat Mater - Janaína Leite (São Paulo)
  • tReta - Original Bomber Crew (Piauí)
  • Violento - Alexandre de Sena (Minas Gerais)
  • Zoo - Macaquinhos (São Paulo)

Suplentes (por ordem de classificação):
  1. Estratégias Para Desembrutecer o Olhar - Companhia Híbrida (Rio de Janeiro)
  2. Biblioteca de Dança - Dimenti Produções Culturais (Bahia)
  3. Fim - Grupo Vão (São Paulo)
  4. Apenas o Fim do Mundo - Grupo Magiluth (Pernambuco)
Sobre a MITsp

Desde 2014, a MITsp - Mostra Internacional de Teatro de São Paulo reúne um recorte significativo da cena contemporânea mundial, produções que enveredam pela experimentação de linguagens, mas também possuem uma postura crítica de seu tempo.

Sobre a equipe curatorial

Alejandro Ahmed
Coreógrafo, diretor artístico e bailarino do Grupo Cena 11 Cia. de Dança. As investigações atuais de Alejandro Ahmed estão situadas em novas definições do conceito de coreografia. Termos como "situação coreográfica", "coreografia imaterial" e "dança generativa" indicam as áreas de interesse em que Alejandro Ahmed desenvolve seus procedimentos de trabalho com o Cena 11 e como artista solo. Suas novas proposições teóricas e práticas estabelecem a tríade correlacional Emergência-Coerência-Ritual como diretrizes de suas ações.

Francis Wilker
É artista da cena, pesquisador, curador e professor do curso de Teatro do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará. É um dos fundadores do grupo brasiliense Teatro do Concreto. Como curador, colaborou com o Festival Internacional de Teatro de Brasília - Cena Contemporânea; com a Mostra Baiana do Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC-BA), com o Festival Nordestino de Tetro de Guaramiranga e com o Maloca Dragão (ambos do CE). Mestre e doutorando em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). É autor do livro Encenação no espaço urbano (editora Horizonte, 2018) e têm artigos publicados em sites e revistas dedicados ao pensamento sobre o teatro brasileiro contemporâneo.

Grace Passô
Atriz, diretora e dramaturga brasileira, desenvolve seu trabalho em parceria com diversos artistas e companhias teatrais brasileiras. Dentre seus trabalhos, dirigiu "Contrações" (Grupo 3 de Teatro, SP), "Os Bem Intencionados" (LUME Teatro, SP); atua nas peças "Krum" (Companhia Brasileira de Teatro, PR) e em espetáculos do repertório do grupo Espanca!, grupo mineiro que fundou em 2004 e que permaneceu por dez anos, assinando a dramaturgia de espetáculos como "Marcha para Zenturo" (em parceria com o Grupo XIX de Teatro, SP), "Amores Surdos", "Congresso Internacional do Medo" e "Por Elise", sendo diretora destes dois últimos trabalhos. Em 2016, estreou o espetáculo solo "Vaga Carne", no qual atua e assina o texto. Dentre os prêmios e indicações recebidos, estão o Prêmio Shell, APCA - Grande Prêmio da Crítica, Prêmio Questão de Crítica, APTR, Cesgranrio, Prêmio Leda Maria Martins, Prêmio Bravo! Prime de Cultura, Festival do Rio, Festival de Brasília (Troféu Candango), Festival de Turim e Medalha da Inconfidência.

Postar um comentário

0 Comentários