VII Prêmio Aplauso Brasil de Teatro: um ato de resistência

Abertura do evento com Silvetty Montilla. Foto - Blog Novidades Online 
"O teatro é a arte principalmente do ator, o cinema é do diretor e a televisão do patrocinador", Paulo Autran 

Na noite de 29 de julho, o Teatro Sérgio Cardoso - um dos espaços culturais mais tradicionais de São Paulo administrado pela organização social de cultura APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte) - recebeu a sétima edição do Prêmio Aplauso Brasil de Teatro.

Criado em 2012 pelo jornalista, crítico teatral e formador de opinião Michel Fernandes, o prêmio, por meio da votação popular e júri técnico, contemplou os melhores espetáculos da temporada 2018.

Em uma cerimônia sem muitas cerimônias, o trio formado por Leopoldo Pacheco, Bárbara Paz e Ilana Kaplan, comandou a noite e apresentou as categorias indicadas e, posteriormente, contempladas.

Foto - Blog Novidades Online 
Além das categorias que celebram o espetáculo teatral e os diferentes profissionais responsáveis por sua existência, o Aplauso Brasil concedeu às atrizes Monah Delacy e Nicette Bruno o Prêmio Especial pelas contribuições ao teatro brasileiro e ao artista Odilon Wagner o prêmio de Produtor.

Uma noite de muitas homenagens, discursos em favor de mais incentivos ao teatro, pedidos de mais união da classe artística, mas o que com certeza marcou essa sétima edição foi o ato de resistência de seu idealizador que, com ou sem incentivo, apoio etc, mereceu e merece  todos os aplausos.

Confira abaixo os escolhidos pelo voto popular e juri técnico:

Foto - Blog Novidades Online 
Votação Popular



Melhor iluminação - Thiago Capella por “O Desmonte"


Melhor arquitetura cênica - Marisa Rebollo por “As Irmãs Siamesas”

Melhor figurino - Fabio Namatame por “Love, Love, Love” e “A Profissão da Sra. Warren”

Melhor trilha sonora - Rafael Thomazini e Vinícius Scorza por “O Poço e o Pêndulo”

Melhor dramaturgia - Amarildo Félix por “O Desmonte"

Melhor direção - Naruna Costa por “Buraquinhos ou O Vento é Inimigo do Picumã”

Melhor elenco - Cinthya Hussey e Nara Marques por “As Irmãs Siamesas”

Melhor ator - Vitor Placca por “O Desmonte"

Melhor atriz - Clara Carvalho por “A Profissão da Sra. Warren”

Melhor ator coadjuvante - Samuel Carrasco por “Eles Nâo Usam Black-Tie”

Melhor atriz coadjuvante - Jany Canela por “Política da Editora”

Melhor musical - Amor Barato - O Romeu e Julieta dos Esgotos

Melhor espetáculo de grupo - Tio Ivan - Núcleo Teatro de Imersão

Melhor espetáculo para o público infantil e juvenil - Telhado de Ninguém

Melhor espetáculo de produção independente - O Desmonte

Destaque - Dedé Santana pelos mais de 80 anos dedicados a arte

Juri Técnico

Melhor iluminação - Paulo César Medeiros por “O Jornal”

Melhor arquitetura cênica - Bia Lessa por “Pi - Panorâmica Insana”

Melhor figurino - Lino Vilaventura por “O Poço e o Pêndulo” e “A Cor Que Caiu do Céu”

Melhor trilha sonora - L.P. Daniel por “Love, Love, Love”

Melhor dramaturgia - Jô Bilac por “Insetos”

Melhor direção - Zé Henrique de Paula por “Um Panorama Visto da Ponte”

Melhor elenco - Alexandre Cioletti, Augusto Madeira, Débora Falabella, Yara de Novaes e Mateus Monteiro por “Love, Love, Love”

Melhor ator - Gilberto Gawronski por “A Ira do Narciso”

Melhor atriz - Amanda Acosta por “Bibi, Uma Vida em Musical”

Melhor ator coadjuvante - Raphael Garcia por “Navalha na Carne Negra”

Melhor atriz coadjuvante - Empatadas - Teca Pereira por “Eles Nâo Usam Black-Tie” e Tuna Dwek por “A Noite de 16 de Janeiro" 

Melhor musical - Bibi, Uma Vida em Musical (Negri e Tinoco Produções Artísticas)

Melhor espetáculo de grupo - Insetos - Cia. dos Atores

Melhor espetáculo para o público infantil e juvenil - O Mundo de Hundertwasser

Melhor espetáculo de produção independente - Um Panorama Visto da Ponte

Destaque - Projeto “Teatro Mínimo” no Sesc Ipiranga

Nenhum comentário