ROCKETMAN: uma viagem sem barreiras


“Esse filme fala de quando eu comecei a ficar famoso”, diz Elton John. “Foi uma época extraordinária e surreal, e isso era o que eu queria que o filme fosse” 

Não deveria surpreender ninguém que fazer um filme convencional nunca funcionaria para contar a história da vida de Elton John - simplesmente não comportaria. A transformação de Elton, do tímido prodígio vindo da classe operária, Reginald Dwight, ao superastro global da música foi tempestuosa, absurda e arriscada, e ao mesmo tempo inspiradora e admirável. Nenhum filme banal faria jus a ela. 

Bem-vindo a ROCKETMAN - uma odisseia musical épica que mistura as fronteiras entre fantasia e realidade, funde os universos da música, fama e moda, e pisa com salto plataforma no manual de instruções de cinema.

ROCKETMAN leva o público a uma viagem sem barreiras pela vida de um ícone, com as canções mais cultuadas de Elton - reinventadas e atualizadas em interpretações arrojadas do elenco jovem - ajudando a conduzir e dar forma à história. 

“A ideia”, afirma o diretor do longa, Dexter Fletcher, “era criar algo que saltasse para fora da tela de verdade, uma viagem desenfreada de imaginação, celebração e drama”. 

Em ROCKETMAN, Elton John é vivido por Taron Egerton, em uma entrega assombrosa que incluiu a regravação de algumas das músicas mais famosas de Elton. Enquanto o filme acompanha Elton a partir de sua terra natal inglesa, Pinner, e percorre sua estrada de tijolos amarelos de fama, vício e decepção afetiva, vamos conhecer também a mãe com quem ele tinha uma relação conturbada (Bryce Dallas Howard), seu empresário e ex-amante, John Reid (Richard Madden), e seu lendário letrista Bernie Taupin (Jamie Bell), melhor amigo e parceiro criativo por mais de 50 anos, sem o qual o cantor poderia nem ter sobrevivido.

Com diz o próprio Elton, que deu ao elenco e aos realizadores total liberdade para contar essa história, “Minha vida foi bem doida. Os baixos foram muito baixos, os altos foram muito altos. Infelizmente, não houve muito equilíbrio entre eles”. 

O produtor David Furnish sabia desde o início que Elton John estava interessado em contar uma versão onírica de sua vida, algo que fosse grandioso, não exatamente como aconteceu, mas uma fantasia do que pode ter se passado. “E esse foi o ponto de partida para o filme que queríamos fazer”. 

Para seu parceiro na produção de ROCKETMAN, Matthew Vaughn, era importante encontrar a maneira certa de contar a história de uma vida completamente incomum. E ele descobriu isso na primeira leitura do roteiro de Lee Hall. “Lee fez um trabalho incrível”, elogia Vaughn, “na criação de um musical que não é exatamente um musical, uma cinebiografia que não é uma cinebiografia, uma fantasia que é baseada na realidade e uma realidade que é baseada no fantástico”. 

Enquanto o jovem Elton se digladia com sua imagem privada, sua sexualidade, suas questões da infância e seus muitos vícios da vida adulta, publicamente ele encontra válvula de escape na música que o projeta em escala global. Ele se empodera com sua persona extraordinária dos palcos, de figurinos extravagantes e com uma visão de mundo filtrada pelos enormes óculos coloridos. Nas palavras do aclamado diretor musical de ROCKETMAN, Giles Martin, “Elton golpeia as teclas do piano como se estivesse numa revanche contra o planeta”. 

O resultado é um filme (há mais de dez anos em preparação) tão extraordinário como seu objeto. “O que esses caras fizeram com a minha história é simplesmente espantoso”, diz Elton. “É absolutamente sincero e não tenta atenuar nada. Mal posso esperar para o público assistir e, espero, amar tanto quanto eu”.



Sinopse

ROCKETMAN é uma fantasia musical épica sobre a incrível história humana dos primeiros anos de sucesso de Elton John. O filme acompanha a jornada de transformação fantástica de Reginald Dwight, de prodígio acanhado ao superastro internacional Elton John. Essa narrativa inspiradora - embalada pelas canções mais amadas de Elton John interpretadas pelo ator Taron Egerton - conta a história de alcance universal do garoto do interior que se torna uma das figuras mais icônicas da música pop.

O longa também é estrelado por Jamie Bell, na pele de Bernie Taupin, letrista e parceiro artístico de longa data de Elton, e Richard Madden como John Reid, primeiro empresário do cantor, e Bryce Dallas Howard interpretando a mãe do astro, Sheila Farebrother.




Direção - Dexter Fletcher
Roteiro - Lee Hall
Produção - Matthew Vaughn, David Furnish, Adam Bohling, David Reid
Produção executiva - Elton John, Steve Hamilton Shaw, Michael Gracey, Claudia Vaughn, Brian Oliver
Elenco - Taron Egerton, Jamie Bell, Richard Madden, Gemma Jones e Bryce Dallas Howard
Duração - 02 horas e 1 minuto

Nenhum comentário