Todo Camburão Tem Um Pouco De Navio Negreiro


O Grupo Nóis de Teatro, de Fortaleza (CE), faz temporada do espetáculo Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro na Caixa Cultural São Paulo, de 15 a 20 de novembro, de quinta a terça-feira, sempre 19h15, somente seis apresentações. A montagem tem direção de Murillo Ramos e dramaturgia de Altemar Di Monteiro, e conta a história de Natanael, uma espécie de anti-herói que habita as periferias. Todas as sessões serão gratuitas. Os ingressos serão disponibilizados a partir das 09h do dia do evento. Após as apresentações, haverá debate com a plateia. 


Foto - Divulgação
Dividido em três atos, a trama narra a saga de um menino negro que, inserido em um contexto de opressão e violência, é levado a tomar decisões que lhe custarão um julgamento popular. Convocado à decisão sobre o destino de Natanael, o público se vê em um forte debate sobre o extermínio da juventude negra nas periferias, além da desmilitarização da polícia e da política brasileira. 

A partir de uma dramaturgia épica, onde o ator narrador é o grande foco, é apresentado uma "tragédia afro", com elementos alegóricos e representativos do universo do movimento negro, além de referências diretas à mitologia dos Orixás. 

Sobre o Grupo

O Nóis de Teatro atua desde 2002 na periferia de Fortaleza. Nesses 16 anos, o grupo resiste em sua comunidade desenvolvendo projetos culturais no Território de Paz do Grande Bom Jardim, tornando-se uma das referências nacionais de trabalho artístico desenvolvido em periferia. Junto a este conjunto de ações, o coletivo também acabou de lançar uma publicação celebrativa de 15 anos de atuação: o livro Caminhares Periféricos — Nóis de Teatro e a potência do caminhar no teatro de rua contemporâneo, material que discute os meandros poéticos e políticos da ação do Nóis de Teatro na periferia de Fortaleza. 

A pesquisa estética do grupo tem como matriz um olhar político sobre a sociedade, apoiando-se na poética democrática dos espaços públicos como lugar de encenação e descobertas. As vertentes do Teatro Épico Dialético e suas interfaces com a performance do ator de rua contemporâneo tem sido o mote para a sua construção poética, refletida no seu atual repertório de espetáculos: "A Granja", "Despejadas", "Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro", além das performances anuais da sua intervenção urbana "O Jardim das Flores de Plástico". 

Ficha Técnica 

Todo Camburão Tem Um Pouco De Navio Negreiro
Coordenação Geral - Altemar Di Monteiro. 
Direção - Murillo Ramos. 
Dramaturgia e Assistência de Direção - Altemar Di Monteiro. 

Elenco - Carlos Magno Rodrigues, Doroteia Ferreira, Kelly Enne Saldanha, Altemar Di Monteiro, Henrique Gonzaga, Amanda Freire e Maurício Rodrigues 

Contraregragem - Bruno Sodré, Edna Freire e Nayana Santos. 
Cenografia - Jefferson Saldanha 
Figurino - Miguel Campelo 
Bonecos - Carlos César 
Maquiagem - Kelly Enne Saldanha 
Direção Musical - Maurício Rodrigues 
Produção - Nóis de Teatro
Patrocínio - CAIXA e Governo Federal 

Serviço

“Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro”
Local - CAIXA Cultural São Paulo
Endereço - Praça da Sé, 111 - Centro - próximo à estação Sé do metrô
Capacidade - 120 lugares
Duração - 100 minutos 
Data - de 15 a 20 de novembro, de quinta a terça-feira.
Horário - 19h15
Informações - 11 3321-4400
Classificação indicativa - 16 anos
Entrada franca: ingressos distribuídos a partir das 09h do dia do evento
Acesso para pessoas com deficiência

Comentários


Fque por dentro