Perder um filho sem perder a alma

Perder um filho não tem nome. Se a esposa morre é um viúvo, se os pais morrem é órfão. Quando morre um filho, se desfaz a ordem natural da vida. Esse é o sofrimento de Célia Diniz, autora de Vencendo a Dor da Morte, publicado pela InterVidas, que perdeu dois filhos, precisou vencer a dor da morte e transformou o padecimento em superação.

Salva pelos seus estudos sobre a espiritualidade, Célia não teve revolta, teve muita dor, angustia e saudade. Superar foi a única saída para ela, principalmente pela caminhada dentro de sua doutrina que lhe trouxe a clareza e a percepção de que a vida continua e que a luta deve ser contínua.

Na época de Natal, particularmente, é muito difícil encarar a dor da perda, pois todos festejam, unem a família e para a mãe do filho que morreu, sempre vai sobrar uma cadeira, faltar uma risada.

Para que os pais compreendam o aprendizado e para ajudar na restruturação e superação dos lares, a indicação do livro Vencendo a Dor da Morte, publicado pela InterVidas, é um ótimo presente e promete encantar e ajudar muito os leitores.

Sinopse

Célia Diniz vivenciou a dor de perder dois de seus filhos. Essa história é tão marcante que foi levada para os cinemas. A dolorosa experiência de vida de Célia e os ensinos de Chico Xavier, com quem a autora conviveu desde a sua infância, estão presentes neste livro. De maneira única, a obra apresenta uma narrativa real e emocionante junto a um conteúdo instrutivo e consolador. Diante da dor da morte, uma pergunta exige resposta: Por que Deus fez isso comigo? Encontre a resposta em “Vencendo a Dor da Morte”, obra perfeita para superar a perda de entes queridos.

Ficha Técnica

Vencendo a Dor da Morte
Autora - Célia Diniz
Editora - InterVidas
Páginas - 304
Preço - R$ 39,00

Comentários