1968 é tema de lançamentos das Edições Sesc São Paulo



Os títulos '1968: reflexos e reflexões' e 'Maio de 68 e suas repercussões' analisam os impactos políticos e sociais causados pelas manifestações populares que eclodiram em diversos países do mundo

No ano em que se completa meio século do chamado “Maio de 68”, as Edições Sesc São Paulo lança duas obras que contribuem para uma melhor compreensão dos fatos e desdobramentos desse acontecimento histórico que, no Brasil, coincide ainda com o recrudescimento do autoritarismo e da violência de Estado praticados pelo regime civil-militar instaurado em 1964.

Os livros serão tema de bate-papo com o jornalista e escritor Alípio Freire, no dia 31 de outubro (quarta-feira), no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo. Confira abaixo mais detalhes:

1968: Reflexos e Reflexões


Resultado do encontro de professores, pesquisadores e jornalistas para uma reflexão sobre o histórico ano de 1968, realizado pelo Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo em maio deste ano, este livro é uma coletânea de textos que analisam diversos acontecimentos que culminaram em manifestações de estudantes, trabalhadores e intelectuais em diversos países, entre eles o Brasil, a França, o México, a Argentina e os Estados Unidos da América: a oposição à Guerra do Vietnã, a repressão do regime comunista em países que compunham o bloco soviético, as ditaduras militares financiadas e apoiadas pelos Estados Unidos, o assassinato de Martin Luther King, o massacre de estudantes em Tlatelolco e outros fatos que indicavam que o mundo conformado após as duas grandes guerras ainda carecia de justiça e respeito aos direitos humanos são alguns dos ingredientes desse caldeirão.

Osvaldo Coggiola desconstrói a ideia de que o “Maio francês” foi o mito fundador dos eventos daquele ano e lança mão de dados da economia mundial desde o fim da Segunda Guerra para esclarecer as tensões implicadas naquele contexto.

Olgária Matos transmite o clima em que se deram os acontecimentos em Paris, já que em 1968 ela acompanhou as manifestações de rua na capital francesa. Ismail Xavier abarca as diversas manifestações artísticas que dialogavam com o cinema nos anos 1960. Fernanda Barbara apresenta a ação vitoriosa do establishment na cidade de São Paulo que se redesenhou a partir da construção de obras viárias que impactaram negativamente regiões importantes da metrópole.

Daniel Aarão Reis traça um panorama das forças que agiam e conflitavam naqueles anos em lugares como China, Tchecoslováquia e outros do mundo socialista, bem como do Ocidente. Marcos Napolitano enfoca o movimento tropicalista, contrapondo-o à ação de artistas que se integraram à produção de novelas e outras mercadorias “culturais” da Rede Globo, entre eles, membros do Partido Comunista Brasileiro (PCB).

Larissa Riberti disserta sobre os acontecimentos de 1968 no México, em especial o massacre de Tlatelolco. Rosangela Patriota trata dos grupos teatrais, sobretudo no eixo Rio-São Paulo, que produziram espetáculos antológicos e resistiram à censura e à ameaça a sobrevivência das artes cênicas.

Fernanda Pequeno traça um panorama das artes visuais e performáticas no Rio de Janeiro em 1968 e sua contribuição decisiva para o movimento tropicalista. Walnice Nogueira Galvão apresenta obras de ficção em prosa e poesia, muitas delas memorialísticas, desde as realistas até as novas estéticas que surgiram no momento em que a ditadura se radicalizava.

“Em 1968, o mundo pegou fogo - em todos os sentidos, não só no figurado. Esse ano mítico incendiou corações e mentes, explodiu em canções, filmes, passeatas, revoluções e guerras, nos campos de batalha e nas ruas, nos palcos e nas telas, na política, no imaginário e no comportamento. Um frêmito percorreu o planeta. Foi, como se disse então, um ‘êxtase da História’”, Zuenir Ventura, jornalista e escritor brasileiro, que assina o prefácio da obra.

Ficha técnica
1968: Reflexos e Reflexões
Autores - Daniel Aarão Reis, Fernanda Barbara, Fernanda Pequeno, Ismail Xavier, Larissa Jacheta Riberti, Marcos Napolitano, Olgária Matos, Osvaldo Coggiola, Rosangela Patriota, Walnice Nogueira Galvão e Zuenir Ventura
Editora - Edições Sesc
Páginas - 192
Preço - R$ 37,47
Para mais informações e comprar clique aqui

Maio de 68 e sua repercussões


Neste livro, a historiadora norte-americana Kristin Ross desenvolve uma investigação rigorosa sobre os eventos ocorridos em Paris em maio de 1968 e propõe que o discurso historiográfico oficial tende a minimizar as determinações políticas do movimento, obscurecendo elementos importantes como o internacionalismo, o anti-imperialismo e o anticapitalismo, em favor de aspectos mais ligados à uma revolução dos costumes.

Dessa forma, o evento “Maio de 68” teria sofrido, assim, um apagamento de sua importância como o maior movimento de massa da história francesa, abarcando sua greve mais longa e significativa, convergindo desse modo trabalhadores e intelectuais.

Segundo a autora, a história oficial estabelece que o mundo de hoje seria fruto da realização dos desejos dos que tomaram parte nos protestos, e não justamente o fracasso de suas principais reivindicações.

"Maio de 68 teve pouco a ver com o grupo social - estudantes ou “jovens” - que foi seu instigador. Teve muito mais a ver com a rejeição de determinações sociais e com deslocamentos que tiraram pessoas de seu local na sociedade, ou seja, com uma disjunção entre subjetividade política e grupo social", comenta a escritora Kristin Ross.

Sobre a autora

Kristin Ross é professora de literatura comparada na Universidade de Nova York. Autora de Fast Cars, Clean Bodies: Decolonization and the Reordering of French Culture (1995) e Emergence of Social Space: Rimbaud and the Paris Commune (1988).

Ficha técnica
Maio de 68 e sua repercussões
Autora - Kristin Ross
Editora - Edições Sesc
Páginas - 320
Preço - R$ 43,07
Para mais informações e comprar clique aqui

Serviço
Lançamento dos livros 1968: reflexos e reflexões e Maio de 68 e suas repercussões
Bate-papo com o jornalista e escritor Alípio Freire
Data - 31 de outubro
Horário - às 19h
Local - Centro de Pesquisa e Formação Sesc São Paulo
Endereço - Rua Dr. Plínio Barreto, 285. 4º andar - Bela Vista - São Paulo

Postar um comentário

0 Comentários