Franklin de Mattos reconstrói o nascimento dos romances filosóficos

A cadeia secreta oferece uma fina interpretação da origem deste gênero literário paradoxal, inventado pelos filósofos da Ilustração

Em busca de conhecer como surgiram os “romances filosóficos”, cujo expoente é o enciclopedista Denis Diderot (1713-1784), o filósofo Franklin de Mattos traz à tona A cadeia secreta: Diderot e o romance filosófico, lançamento da Editora Unesp. 

Ao longo de sete capítulos, numa escrita concisa e precisa, o livro oferece uma interpretação dos romances filosóficos, gênero literário paradoxal que une em um espaço o homem racional e o homem sensível. “Este livro procura sugerir que, por trás da desordem, há uma unidade de preocupações”, anota Mattos. “Ou uma cadeia secreta, metáfora que volta e meia aparece nos melhores escritores das Luzes e que se aplica indistintamente à natureza, à linguagem, à literatura e até mesmo à arte da conversação.” 

No prefácio, a filósofa Marilena Chaui observa que o título é “arguto, pois opera em dois registros simultâneos. É a chave para a leitura da obra literária de Diderot – o materialismo determinista ou a articulação entre necessidade natural e necessidade moral como fundamento da articulação entre filosofia e literatura; mas é também o que estrutura os ensaios de Franklin de Mattos sobre o autor de J­acques, o fatalista”. 

“Sou do tempo em que se devia escolher entre experimentalismo e realismo, e meu interesse por Diderot certamente se explica pelo desejo de recusar a alternativa”, escreve o autor. “Como o leitor verá, ele foi um dos fundadores do realismo moderno e, ao mesmo tempo, um inquieto experimentador, sempre em busca de novas formas.” 

Franklin de Mattos mostra-nos, portanto, de que maneira obras como Jacques, o fatalista, A religiosa, O sobrinho de Rameau e As joias indiscretas transitam de maneira inteiramente inovadora entre a literatura e a filosofia. Chaui acrescenta: “Deixemos ao leitor o prazer de acompanhar as peripécias deste belo livro, que nos fala de um tempo em que a ­filosofia, na tradição de Sócrates e Montaigne, era o prazer da conversação”. 

Sobre o autor

Franklin de Mattos é professor titular de Estética no Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP). Autor de O filósofo e o comediante: ensaios sobre literatura e filosofia na Ilustração (Editora da UFMG, 2001) e tradutor do Discurso sobre a poesia dramática, de Diderot (Brasiliense, 1986; Cosac Naify, 2005). 

Ficha técnica

A cadeia secreta: Diderot e o romance filosófico
Autor - Franklin de Mattos 
Páginas - 162 
Preço - R$ 34,00
Clique Aqui para mais informações e comprar

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro