Obras dos períodos colonial, imperial e republicano do Brasil são tema de exposição

Governo do Estado reúne obras do Museu Paulista (Museu do Ipiranga), Pinacoteca do Estado e Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo


O Governo do Estado de São Paulo abriu as portas do Palácio dos Bandeirantes, desde o dia 14 de agosto, para uma exposição que reúne mais de 200 peças trazidas do Museu Paulista (Museu do Ipiranga), da Pinacoteca do Estado e também do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo. É a primeira vez que uma exposição tem o objetivo de reunir os três mais antigos acervos culturais paulistas em um único espaço.

A sede do governo paulista, que também já funciona como palácio museu aberto ao público, contará com a exposição Arte e História nas Coleções Públicas Paulistas, até 20 de janeiro de 2019.

A mostra contém peças de valor histórico e cultural para os paulistas e para o Brasil, que se dividirão entre o hall, o mezanino e o 1º andar do Palácio dos Bandeirantes. Uma carruagem do final do século XIX, telas de Benedito Calixto e Antonio Ferrigno, móveis das elites paulistas e uma coleção de ferros de passar roupas, entre outras dezenas de peças, poderão ser vistas. Uma reprodução da tela “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, também fará parte da exposição; o original não tem condições técnicas para seu deslocamento do Museu Paulista, por isso a necessidade de reprodução.

Um ateliê de restauro também faz parte da exposição, e o público poderá acompanhar a restauração da maquete de gesso do projeto original do Museu Paulista, feita na década de 1880. Durante o período da exposição, o Palácio dos Bandeirantes também receberá apresentações teatrais nos finais de semana, com uma discussão criativa da Independência do Brasil.

As visitas estão abertas ao público de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, de hora em hora, e acompanhadas por educadores para contextualizar as obras.

Comentários