Labirinto de Amor: exposição de Jorge Fonseca

Jorge Fonseca - Quando você passa eu fico assim.  Foto - Maurício Seidl

Artista plástico recebe público e organizações de cultura e acolhimento - Pimp my Carroça e Casa 1 - para uma visita guiada no dia 7 de julho, a partir das 11h

“Falar sobre a obra de Jorge Fonseca é acessar uma vasta cartografia de memórias e afetos ligados à infância, mas também é falar sobre inquietações íntimas do presente, da intuição que perpassa escolhas estéticas e do impulso imaginativo”. Assim se inicia o texto crítico da curadora Fernanda Terra no catálogo da exposição Labirinto de Amor, de Jorge Fonseca.

O livro bilíngue e gratuito (80 páginas), que será lançado em 7 de julho, a partir das 11h na CAIXA Cultural São Paulo, registra com acuidade todas as obras que estão expostas no espaço até o final do mês. Toda reunida e impressa, a publicação reforça a expressão percebida nas obras do artista: o resgate da vida simples, aliado ao ideário popular novelístico, o padrão visual da iconografia folclórica e referências da pop arte.

Visita afetiva

Para celebrar a verve criativa do mineiro autodidata e provocar emoções de resgate de memórias e autoestima, duas organizações de cultura e acolhimento da cidade (Pimp my Carroça e Casa 1) foram convidadas a participar de uma visita guiada com o artista no próximo sábado, às 11h, na ocasião de lançamento do catálogo.

O Pimp my Carroça é um movimento que promove a inserção social de catadores de materiais recicláveis com ações criativas que utilizam o grafite para conscientizar. O Casa 1 é um centro de acolhimento de LGBTs em situação de vulnerabilidade e violência psicológica que oferece apoio e atividades culturais para seus moradores.

É importante lembrar que o Brasil bate recordes de assassinatos deste público: aumento de 30% entre 2016 e 2017, segundo dados divulgados pelo Grupo Gay da Bahia. Esforços no sentido de minimizar a questão da intolerância com minorias serão sempre bem-vindos.

A escolha das organizações se funde com a busca de afeto proposta por Jorge Fonseca em suas criações. “Meu trabalho não se encerra no visual altamente popular, mas se coloca como um pretexto e até um caminho para reflexões acerca de dramas íntimos e questões existenciais, individuais e coletivas”, diz o artista.

Jorge Fonseca - Viver é perigoso. Foto - Gustavo Proti

O artista

Jorge Fonseca nasceu em Conselheiro Lafaiete, a 100 km da capital mineira. Sua produção teve início na década de 90, ainda quando trabalhava como maquinista. “Eu passava longos períodos no trem e levava tecidos, linhas, agulhas, materiais de armarinho e bordava ali mesmo”, conta. Nessa época, em 1995, ele foi convidado a integrar o Salão de Arte Contemporânea de Campos (RJ) e no ano seguinte conquistou seu primeiro prêmio no mesmo salão fluminense e no 53º Salão Paranaense. Em 2009 foi contemplado com uma bolsa da Fundação Pollock-Krasner (Nova York), para estímulo à produção. Foi o vencedor do último Prêmio PIPA Online, em 2017.

Serviço

Lançamento de catálogo e vista guiada à exposição Labirinto de Amor, de Jorge Fonseca
Local - CAIXA Cultural São Paulo
Endereço - Praça da Sé, 111 - Centro - São Paulo
Lançamento do catálogo - 07 de julho
Horário - 11h
Visitação - Até 29 de julho
Horário - 9h às 19h (terça a domingo)
Classificação indicativa - livre para todos os públicos
Entrada franca
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio - CAIXA Econômica Federal

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro