Grandes Sinfonias: Orquestra Experimental de Repertório apresenta Wagner e Mahler


Maestro Jamil Maluf rege a OER em 8 de julho, às 16h30, na Sala de Espetáculos do Theatro Municipal de São Paulo

Importantes obras sinfônicas de compositores brasileiros e estrangeiros compõem a série Grandes Sinfonias da Orquestra Experimental de Repertório (OER) que, em julho, chega ao seu sétimo concerto sob a regência do maestro Jamil Maluf no domingo, dia 8, às 16h30. Nesta apresentação, estão Prelúdio do Ato III, da ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner e Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan”, de Gustav Mahler. 

“A abertura do Ato III, da ópera “Lohengrin”, de Wagner é uma das mais tocadas como peça independente por orquestras em todo o mundo. Assim como em a Cavalgada das Valquírias, o compositor demonstra maestria na manipulação de grandes massas sonoras, sobretudo no tratamento que ele dá aos metais da orquestra que, junto com violoncelos e contrabaixos, executam um tema que está na memória de cada amante da música e da ópera”, explica o maestro Jamil Maluf, sobre a primeira obra a ser executada nesta apresentação da OER.

Em seguida, a orquestra executa a Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan”, de Mahler, obra que Claudio Abbado a escolheu para seu concerto inaugural, assim que foi nomeado Regente Titular da Orquestra Filarmônica de Berlim. “Nessa obra Mahler vai dos grandes momentos de tuttiorquestral, com uma sonoridade pesada e grandiosa, até os trechos em que predomina o lirismo literário, que fala tão próximo à alma das pessoas.”, conta Maluf.

Pouco antes do início do concerto - 20 minutos - o maestro Jamil Maluf também faz uma palestra, na sala de espetáculos, sobre as obras que serão apresentadas.

Sopros da Experimental

Em 22 de julho, às 16h30, os músicos do naipe de sopro na OER sobem ao palco do Theatro Municipal, sob a batuta de Alexandre Travassos, para executar Canzon per sonar septimi toni a 8, Ch. 172 de Giovanni Gabrieli, com adaptação de Travassos; Ares Selvagens e Fanfarra, duas composições do regente deste concerto; Pavane Opus 50, de Gabriel Fauré, e Serenade nº 2 Opus 16, de Johannes Brahms. Além da regência, Travassos também assina a curadoria.

Orquestra Experimental de Repertório

A Orquestra Experimental de Repertório (OER) foi criada em 1990 a partir de um projeto do Maestro Jamil Maluf, e oficializada pela Lei 11.227, de 1992.

A OER tem por objetivos a formação de profissionais de orquestra da mais alta qualidade, a difusão de um repertório abrangente e diversificado, que mostre o extenso alcance da arte sinfônica, bem como a formação de plateias.

Suas várias séries de concertos com renomadas estrelas da música erudita e popular, bem como suas montagens de óperas, balés e gravações para TV, compõem uma programação que, há vários anos, vem conquistando público e crítica.  Entre os vários prêmios que recebeu está o Prêmio Carlos Gomes, como destaque de música erudita.

De 2014 a 2016, a OER foi dirigida pelo Maestro Carlos Moreno, e voltou a ter o Maestro Jamil Maluf como seu Regente Titular a partir de 2017, com o Maestro Thiago Tavares como Regente Associado.

Sobre Jamil Maluf

Maestro titular da Orquestra Experimental de Repertório graduou-se em regência orquestral na Escola Superior de Música de Detmold, Alemanha. Em 1980, ao retornar ao Brasil, tornou-se regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal, do Theatro Municipal de São Paulo. Em 1990, criou a Orquestra Experimental de Repertório. Em 2000, foi nomeado regente titular da Orquestra Sinfônica do Paraná, tendo sido por duas vezes regente da Orquestra do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Recebeu cinco vezes o prêmio APCA de Melhor Regente de Orquestra, além do Carlos Gomes de Melhor Regente de Ópera e o Maestro Eleazar de Carvalho de Personalidade Musical do Ano. O maestro apresentou, por cinco anos, o programa Primeiro Movimento, na TV Cultura, e foi, de 2005 a 2009, diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo.

Sobre Alexandre Travassos

Curador e regente do concerto de sopros da Orquestra Experimental de Repertório. É clarinetista e compositor residente em São Paulo desde 1980. Estudou clarinete na Escola Municipal de Música de São Paulo e posteriormente na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Atualmente é monitor instrumentista da Orquestra Experimental de Repertório. Como compositor, já recebeu diversos prêmios com suas composições no Brasil e no exterior como o 1° Concurso de Composição para banda sinfônica da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, o Penfield Commission Project (EUA, 2001), o 3º Prêmio Guerra-Peixe de composição para orquestra (2001), o Outdoor Composition Contest (EUA, 2010), o Otto-Ditscher-Preis (Alemanha, 2011) e o Prêmio Funarte de Composição Clássica de 2011 e 2017. Suas músicas já foram executadas em diversos países.

Programa

Série Grandes Sinfonias VI - Wagner e Mahler
Prelúdio do Ato III, da ópera “Lohengrin” | R. Wagner
Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan” | G. Mahler 
Orquestra Experimental de Repertório
Jamil Maluf - regência
Local: Theatro Municipal de São Paulo – Sala de Espetáculos
Data: Domingo, 8/7, 12h
Duração: aprox. 60 min.
Classificação indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)
Ingressos: Setor 3 - R$ 10 / Setor 2 - R$ 15 / Setor 1 - R$ 20 (meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pública e estudantes)

Programa

Camerata OER
Grupo de Sopros da Orquestra Experimental de Repertório
Canzon per sonar septimi toni a 8, Ch. 172 | G. Gabrieli (Adaptação de A. Travassos)
Ares Selvagens | A. Travassos
Fanfarra | A. Travassos
Pavane Opus 50 | G. Fauré
Serenade nº 2 Opus 16 | J. Brahms
Alexandre Travassos - curadoria e regência
Local: Theatro Municipal de São Paulo – Sala de Espetáculos
Data: Domingo, 22/7, 12h
Duração: aprox. 60 min.
Classificação indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Vendas de ingressos na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.eventim.com.br.

Theatro Municipal de São Paulo
Praça Ramos de Azevedo, s/nº - São Paulo

Horário da bilheteria: De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, sábados e domingos, das 10h às 17h. Nos espetáculos à noite, a bilheteria permanece aberta até o início do evento; em dias de espetáculos pela manhã, o espaço abre ao público duas horas antes do início da apresentação. Apenas venda e retirada de ingressos para os eventos do Theatro Municipal de São Paulo.


Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro