Exposição: O Brasil na II Guerra - Uma Batalha pela Vida

Vestimenta original usada pelos pracinhas brasileiros.  Fotos - Divulgação


Em homenagem ao 30º aniversário da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, o Instituto Antonio Carlos Lopes promove a exposição “O Brasil na II Guerra - Uma Batalha pela Vida” que traz ao público parte do valioso acervo pertence à Associação dos Ex-Combatentes do ABCDMRR

São peças, objetos, documentos, fotografias e símbolos da época capazes de recriar o áspero cenário da guerra e nos transportar para uma realidade na qual o Brasil teve o seu relevante papel.

Entre os anos de 1942 e 1944, foram enviados à Itália 25.834 soldados, entre homens e mulheres, sendo que o Brasil perdeu, nessa empreitada, 454 soldados, além de mais de 12 mil outros afastados por mutilação ou causas incapacitantes, decorrentes da batalha. No local nossos soldados tinham como inimigos, além dos alemães e italianos associados ao nazismo, o território montanhoso, o frio e a fome.

Macas para transferência de feridos

Relatos frequentes de ex-combatentes e de italianos que sobreviveram à guerra, mostram que as tropas brasileiras se solidarizaram com o povo italiano, especialmente as crianças, com quem dividiam o pouco que tinham. Assim, até hoje, na região da batalha de Monte Castelo, os soldados brasileiros são reverenciados como heróis.


Capacete usado pelas tropas brasileiras


A cerimônia de abertura oficial da exposição acontece dia 23 de julho de 2018, às 18h, no Centro de Convenções Rebouças e contará com a presença especial Sr. Miguel Garofalo, um dos soldados da tropa brasileira que foi à Itália em 1944. Com seus 96 anos, o tenente Garofalo esbanja saúde e lucidez e possui muitas lembranças das duras vivências na guerra.


Caixa de medicamentos

A exposição estará aberta ao público de 23 a 27 de julho 2018.