Das montanhas do Chile para o mundo

Fotos - Divulgação

Como Suryavan Solar construiu uma das escolas de maior reconhecimento no ensino de práticas ancestrais para o autoconhecimento e desenvolvimento humano

Nascido numa fazenda de Los Angeles na região sul do Chile, desde muito pequeno, Suryavan Solar foi ensinado e abençoado pelo seu mestre indígena Cóndor Blanco, que mais tarde, batizaria sua escola de desenvolvimento humano. Foi ele quem iniciou Suryavan na cultura ancestral, sobre a natureza e a importância de seus elementos e sobre como ser um homem verdadeiro. Esse contato era estimulado pelos pais e pela avó materna, que também havia acumulado muito conhecimento sobre tais práticas.

“Nesta trajetória que venho construindo há mais de 40 anos, aprendemos e ensinamos sobre o poder da gratidão. Por isso que sempre agradeço ao meu mestre Cóndor Blanco, por ter plantado em mim aquilo que tem dado sentido a minha existência e por ter gravado na minha memória o sonho da Montanha antes de encontrá-la. A todos os meus mentores que me treinaram e inspiraram e, claro, ao meu pai, por despertar em mim a ousadia que me permitiu correr riscos, confiar e avançar com determinação, bem como à minha mãe e avó, por terem cuidado de meu coração e espírito, expandindo minhas asas para buscar a liberdade”, enfatiza Suryavan.

Muito cedo, Suryavan foi o escolhido entre os filhos para estudar numa escola melhor, para poder seguir adiante, o pai exigia muito dele, para que continuasse estudando numa boa escola. Vem dessa necessidade, a excelência que ele empregou por onde ele passou profissionalmente, até a construção da Cóndor Blanco.

Os estudos em uma boa escola permitiram a Suryavan entrar em vários cursos superiores, embora nunca tenha se graduado em nenhum. Entre os cursos que fez estão medicina, filosofia e biologia. “Muita gente não entende porque iniciei tantos cursos, mas nunca os concluí. Para mim, a resposta é muito simples, havia muito conhecimento nestes lugares, mas não havia sabedoria. Então, eu entrava nos cursos que me interessavam, estudava assuntos que queria aprender, mas nunca me obriguei a sair destes lugares com um diploma nas mãos”, explica o investigador de culturas.

Aos 43 anos, já focado em comprar a montanha para criação da Cóndor Blanco, Suryavan teve a oportunidade de entrar em uma multinacional. Ele aceitou a proposta de trabalho, porque havia a chance de terminar de pagar a montanha, pois havia possibilidade de crescimento rápido, além de ter contato com muitas pessoas, o que permitiria levar a consciência a elas. O segundo objetivo não foi muito bem-sucedido. “Elas estavam muito focadas apenas em ganhar dinheiro, então, fiz o mesmo para realizar meu sonho”, revela.

O tempo para estimado para chegar ao nível diamante, que era o topo da pirâmide dessa multinacional era de seis anos, ele conseguiu isso em seis meses. “Em meio ano, tinha sobre minha coordenação seis mil pessoas consumindo e vendendo grande quantidade de produtos por mês. Dei o sangue para chegar a Diamante em tão pouco tempo, o recorde mundial era de cinco a seis anos para chegar neste nível. Muita gente dizia que seria impossível, mas eu estava focado nisso pela montanha, pela realização do sonho”, relembra.

Desta experiência, acabou tendo contato com métodos de vendas eficazes, com o mundo dos negócios, dos grandes congressos, falava para milhares de pessoas, lidava com grande fluxo de dinheiro. “Foi um grande aprendizado para mim no sentido de lidar com pessoas, equipes, lideranças. Juntei o dinheiro que precisava, saí da empresa e fui construir a Cóndor Blanco”.

A Cóndor Blanco foi uma missão dada pelo mestre de Suryavan e seu objetivo era se tornar um espaço de autoconhecimento e desenvolvimento humano. Foram três tentativas, três startups, até chegar ao que a Cóndor Blanco é hoje, com essa estrutura e esse nome. “Queria construir um local onde as pessoas pudessem crescer e consegui. O próximo sonho a ser realizado é criar uma Universidade do Futuro, mas a Cóndor Blanco nasceu de um sonho de levar esse conhecimento e desenvolvimento para o mundo”, diz Suryavan.

A Cóndor Blanco é aberta para os alunos, nos verões, quando recebe cerca de duas mil pessoas. Nas cidades, os seminários costumam contar com a participação de dez mil pessoas ao ano. “O que leva as pessoas a passarem por essa experiência é a busca por algo mais profundo, que toque o coração delas, que toque a alma delas, que façam elas conhecerem uma nova realidade. Outras pessoas vão em busca de outras formas de realização pessoal, profissional e terminam encontrando muito mais que isso. Se tornarem pessoas melhores é o objetivo comum, acredito nisso”.


A Cóndor Blanco já chegou a pelo menos 14 países, entre eles Brasil, Argentina, México, França, Espanha, Colômbia, Venezuela, Panamá, Costa Rica, Estados Unidos, Alemanha, Portugal, Peru, além do próprio Chile. Os congressos mantêm a organização financeiramente, há uma fundação dedicada a políticas de proteção ambiental, por meio da educação e do desenvolvimento do ser humano em sintonia com o meio que o cerca. Há também expedições com grupos interessados em conhecer países como a Índia, Butão, Bali, Peru com suas ruínas de Machu Pichu e inclusive um programa de desenvolvimento chamado Ousadia para Transformar, onde o foco é se realizar nas quatro áreas da vida (Prosperidade, Felicidade, Cultura e Liberdade).

Sobre Suryavan Solar

Investigador de culturas ancestrais e autor de mais de 50 livros, Suryavan Solar fundou a Organização Cóndor Blanco Internacional há mais de três décadas. Junto com a filha Sol Nyma, redefiniu o método Cóndor Blanco no final da década de 1990, vocacionado a formar seres humanos integrais e apoiar o despertar de seres autônomos. Para isso, utiliza ferramentas ancestrais, adaptadas ao mundo moderno.

Suryavan já realizou expedições nas quais resgatou técnicas ancestrais e modernas que o tornaram especialista nas áreas de Naturismo, Liderança, Coaching e Meditação. Com isso, é também instrutor de liderança, meditação e Coaching. Foi nomeado Holy Man (Homem Sagrado) pelos índios Lakota e recebeu ensinamentos do Budismo Tibetano diretamente do Dalai Lama.

Atualmente, vive na montanha da Organização Cóndor Blanco, no sul do Chile, meditando, escrevendo, divulgando seus livros e realizando conferências e seminários. Por meio dessas atividades, treinou centenas de aprendizes, dispostos a se tornarem líderes servidores.

Ficha técnica



As quatro chaves para a realização ilimitada
Como usar as tecnologias ancestrais para ser feliz, próspero, cultivar a cultura e a liberdade mesmo quando o mundo parece um caos
Autor - Suryavan Solar
Editora Gente - Selo Gente
1ª -  Junho de 2018
Gênero - Autoajuda/Desenvolvimento
Páginas - 192
Preço - R$ 29,90

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro