Ignácio de Loyola Brandão apresenta o show Solidão no Fundo da Agulha

Foto - Divulgação

Recital que une música e literatura é apresentado pelo escritor Ignácio de Loyola Brandão, pela cantora Rita Gullo, sua filha, e o arranjador e violonista Edson Alves (Banda Mantiqueira)

O espetáculo Solidão no Fundo da Agulha, que faz apresentação única dia 21 de julho, quinta-feira, 21 horas, na Tupi Or Not Tupi, traz o escritor Ignácio de Loyola Brandão aos palcos para contar histórias marcantes da sua vida. São momentos remetidos a canções interpretadas pela cantora e atriz Rita Gullo, filha do autor. Os dois estarão acompanhados do violinista e arranjador Edson Alves (Banda Mantiqueira). O recital dramático tem direção de Marcelo Lazzaratto.

No repertório, músicas como Amado Mio (Doris Fisher/ Allan Roberts), da trilha sonora do filme Gilda, que era proibido para crianças e que estimulou a criatividade do menino Ignácio, então com 12 anos e que se fez presente muito anos mais tarde para ajudar o jovem jornalista a não voltar para a terra natal fracassado.

O programa traz, ainda, temas marcantes como Valsinha (Chico Buarque e Vinicius de Moraes) e Que reste-t-il de nos amours? (Charles Trenet), além de outras canções que ganham novo contexto permeado por lembranças. Um espetáculo de uma delicadeza emocionante que mistura música e literatura.

Sobre Ignácio de Loyola Brandão
Ignácio de Loyola Brandão, 77 anos, nasceu em Araraquara, SP. Foi jornalista na cidade Natal e continuou a carreira para São Paulo, aos 21 anos. Trabalhou no jornal Última Hora, depois nas revistas Cláudia, Realidade, Setenta, Planeta, Ciência e Vida, Lui e na Vogue. Publicou até o momento 37 livros. Em 2008 ganhou o prêmio Jabuti, com O Menino que vendia palavras, considerado a melhor ficção do ano. Em 2011 lançou A Morena da estação, crônicas sobre trens, ferrovias, estações.

Sobre Rita Gullo
Cantora, atriz e historiadora, é formada em História pela PUC-SP e em Artes Cênicas pelo Teatro Escola Célia Helena. Estudou canto com Leilah Farah, Ná Ozzetti e Regina Machado. Tem dois discos lançados. O primeiro, que leva seu nome, teve a participação de Chico Buarque e show com direção cênica de Naum Alves de Souza e direção musical de Swami Jr. O segundo vai encartado no livro Solidão no Fundo da Agulha, do escritor Ignácio de Loyola Brandão, que virou espetáculo e segue em turnê há mais de 5 anos.

Como atriz, participou de peças com a Cia. Elevador de Teatro Panorâmico, com direção de Marcelo Lazzaratto, como A Hora em que não Sabíamos Nada uns dos Outros, de Peter Handke, e Diásporas, de Cássio Pires. Em 2018 idealizou, junto com Maria Laura Nogueira, a peça Eu Sou Essa Outra, de Carla Kinzo com direção de Vera Egito e elenco integrado por Maria Laura Nogueira, Nana Yazbek e Rita Gullo.

Publicou três livros escritos em parceria com Carla Gullo e Camilo Vannuchi, sobre música brasileira para crianças: Samba e Bossa Nova; Choro e Música Caipira (selecionado para o acervo básico fnlij – fundação nacional do livro infantil e juvenil); Jovem Guarda e Tropicália (finalista do 59º prêmio jabuti 2017). 

Sobre Edson Alves
Violonista, tem atuado junto aos mais importantes estúdios como arranjador, compositor e instrumentista. Fez arranjos para trilhas e "jingles", bem como faz arranjos e orquestrações para diversos artistas e conjuntos. Gravou três discos instrumentais com arranjos de clássicos da MPB e composições próprias: “Meu Violão Brasileiro”, “Preamar” e “Rádio”, este último lança do também na Europa.

Integra a Banda Mantiqueira, para a qual também produz arranjos. É regente da Orquestra Brasileira do Auditório Ibirapuera. Tem trabalhado junto a artistas nacionais e internacionais, como Antonio Nóbrega, Rolando Boldrin, Heraldo do Monte, Carmem Costa, Ana Salvagni, Passoca, Rita Gullo, entre outros.

Serviço
Show - Solidão no Fundo da Agulha
Ignácio de Loyola Brandão (voz), Rita Gullo (voz) e Edson José Alves (violão e arranjos). 
Repertório - Uirapuru (Waldemar Henrique), Valsinha (Chico Buarque/Vinicius de Moraes), Mensagem (Aldo Cabral/Cícero Nunes), Amado Mio (Doris Fisher/Allan Roberts), Que Reste-t-il de nos amours (Charles Trenet), Patrícia (Dámaso Pérz Prado/versão: A. Bourges)
Local - Tupi or Not Tupi
Endereço - Rua Fidalga 360 - Vila Madalena - São Paulo
Telefone 11 3813-7404
Data e Horário - Dia 12 de julho, quinta-feira, 21h
Capacidade: 100 lugares
Ingressos - R$ 60,00
Compra de ingressos pelo site - www.tupiornottupi.net.
Aceita todos os cartões de crédito e de débito
Duração - 70 minutos.
Classificação - Livre
Acesso a deficientes
Serviço de valet terceirizado