“Mostra José Lewgoy” exibição de 22 filmes em homenagem ao ator brasileiro


Mostra inédita passa em revista a carreira de um dos maiores atores brasileiros, falecido em 2003, com exibição de 22 longas-metragens. De 18 de abril a 7 de maio de 2018


O CCBB São Paulo promove, de 18 de abril a 7 de maio de 2018, a “Mostra José Lewgoy”, que homenageia o ator José Lewgoy (1920-2003) com a exibição de 22 filmes de longa-metragem nacionais e estrangeiros, passando em revista mais de cinco décadas de sua carreira profissional no cinema. Falecido em 2003, Lewgoy participou de mais de 100 filmes e 30 telenovelas, marcando presença em diversas fases da cinematografia brasileira: das chanchadas da Atlântida, na década de 1950, ao Cinema Novo em “Terra em Transe”, passando pelas pornochanchadas e o cinema marginal, além da participação em várias produções estrangeiras filmadas no Brasil e na retomada do cinema nacional, nos anos 1990.


Trabalhou ao lado de grandes diretores de cinema brasileiros: Glauber Rocha, Hector Babenco, Walter Lima Jr., Carlos Manga, Fernando de Barros, Watson Macedo, Júlio Bressane, Guilherme de Almeida Prado e também com os internacionais Paul Mazursky, Stanley Donen e Werner Herzog. Contracenou com alguns dos maiores atores e atrizes nacionais: Oscarito, Grande Otelo, Anselmo Duarte, Tônia Carrero, Walmor Chagas, assim como com alguns ícones do cinema mundial como Claudia Cardinale e o genial Klaus Kinski.

“Resgatar sua vida e obra significa revisitar momentos importantes da história do cinema nacional e difundir os filmes em que participou servirá a que as novas gerações conheçam não só parte da história da nossa cinematografia, mas também a de um de seus maiores atores”, declara Cláudio Kahns, curador da mostra.

Lista de filmes da “Mostra José Lewgoy”
· “Quando a noite acaba (ou Perdida pela paixão)” (Dir. Fernando de Barros, 1950, P&B, 78’)
· “Carnaval do fogo”(Dir. Watson Macedo, 1949, P&B, 90’)
· “Aviso aos navegantes” (Dir. Watson Macedo, 1950, P&B, 113’)
· “Amei um bicheiro” (Dir. Jorge Ileli e Paulo Wanderley, 1952, P&B, 80’)
· “Carnaval Atlântida” (Dir. José Carlos Burle, 1952, P&B, 92’)
· “Matar ou correr” (Dir. Carlos Manga, 1954, P&B, 100’)
· “S.O.S Noronha” (Dir. George Rouquier, 1957, Colorido, 94’, França)
· “Les fanatiques” (Dir. Alex Joffé, 1957, P&B, 90’, França)
· “Terra em transe” (Dir. Glauber Rocha, 1966, P&B, 105’)
· “Roberto Carlos em ritmo de aventura” (Dir. Roberto Farias, 1968, Colorido, 98’)
· “Tarzan e o menino da selva” (Dir. Robert Gordon, 1968, Colorido, 99’)
· “Quando o carnaval chegar” (Dir. Carlos Diegues, 1972, Colorido, 90’)
· “O Ibrahim do subúrbio” (Dir. Astolfo Araújo e Cecil Thiré, 1976, Colorido, 90’)
· “República dos assassinos” (Dir. Miguel Faria Jr., 1979, Colorido, 100’)
· “O Gigante da América” (Dir. Julio Bressane, 1978, Colorido, 88’)
· “Tabu” (Dir. Júlio Bressane, 1982, Colorido, 85’)
· “Engraçadinha” (Dir. Haroldo Marinho Barbosa, 1981, Colorido, 106’)
· “Fitzcarraldo” (Dir. Werner Herzog, 1982, Colorido, 158’, Peru/Alemanha)
· “Cobra verde” Dir. Werner Herzog, 1987, Colorido, 111’, Alemanha)
· “O Judeu” (Dir. Jom Tob Azulay, 1994, Colorido, 91’)
· “A hora mágica” (Dir. Guilherme de Almeida Prado, 1998, Colorido, 120’)
· “Eu, eu, eu, José Lewgoy” (Dir. Cláudio Kahns, 2011, Colorido, 96’)

José Lewgoy na década de 1950. Foto de autoria desconhecida
Sobre o ator
Nascido em Veranópolis, pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul em 1920, José Lewgoy construiu uma sólida e longa carreira, como poucos atores brasileiros tiveram. Participou de várias fases e gêneros da cinematografia nacional. Atuou profissionalmente desde os anos 1950 em chanchadas que marcaram época como “Aviso aos Navegantes” e “Carnaval Atlântida”, passando pelo Cinema Novo com o clássico “Terra em Transe”, de Glauber Rocha, pela fase das controversas pornochanchadas como “Engraçadinha” e “Gente que Transa”, até o cinema da retomada nos anos 90 como “O Judeu” e “O Quatrilho”. Seu último filme foi “Apolônio Brasil, Campeão da Alegria”, dirigido por Hugo Carvana em 2002.

Lewgoy participou de mais de 100 filmes e 30 telenovelas, sendo, inclusive, segundo Luis Fernando Veríssimo, nosso ator mais internacional, além de ter participado de alguns filmes na França, ao lado de atores como Jean Marais. Também atuou em filmes americanos, falando em inglês, tendo contracenado num importante papel ao lado de Klaus Kinski no épico “Fitzcarraldo”, e também de “Cobra Verde”, ambos do cineasta Werner Herzog. Lewgoy é também considerado o primeiro ator moderno do cinema brasileiro, depois de ter cursado Arte Dramática na Universidade de Yale, no final dos anos 1940. inicia sua carreira no cinema na Atlântida Cinematográfica no início dos anos 1950, onde fez papéis inesquecíveis como o Professor Scaramouche (“Aviso aos navegantes”, 1950) e o destemido matador Jesse Gordon (“Matar ou morrer”, 1954).

José Lewgoy é um personagem interessante não apenas pelos papéis que representou, mas também porque foi um homem de extrema cultura e erudição, tendo marcado profundamente a cultura audiovisual no país.

Trabalhou ao lado de grandes diretores de cinema como Glauber Rocha, Hector Babenco, Walter Lima Jr., Carlos Manga, Fernando de Barros, Watson Macedo, Guilherme de Almeida Prado e também com os internacionais Paul Mazursky, Stanley Donen, Werner Herzog, dentre outros.


Contracenou com alguns dos maiores atores e atrizes nacionais: Oscarito, Grande Otelo, Anselmo Duarte, Tônia Carrero, Walmor Chagas, assim como com alguns ícones do cinema mundial como Claudia Cardinale, o genial Klaus Kinski ou mesmo Demi Moore, em seu primeiro filme, “Blame it in Rio”.

Serviço
Mostra José Lewgoy
Entrada franca
Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 - CentroCEP: 01012-000 - São Paulo (SP)
Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21 horas
Telefone (11) 3113-3651

Programação paralela
No dia 22 de abril, às 17 horas, o CCBB promove exibição especial do filme “Eu, eu, eu, José Lewgoy” (2011, Colorido, 96’, direção: Cláudio Kahns), seguida de conversa pública com o diretor. Na ocasião, será distribuído gratuitamente o catálogo da mostra.
Confira o trailer

Programação “Mostra José Lewgoy” no CCBB SP
18/7 – Quarta-feira - 19h “Carnaval no fogo” (1949, 90’)

19/4 – Quinta-feira
15h “Matar ou correr” (com audiodescrição) (1954, 100’)
19h “Amei um bicheiro”

20/4 – Sexta-feira
15h “Aviso aos navegantes” (com audiodescrição) (1950, 113’)
19h “Carnaval Atlântida” (1952, 92’)

21/4 – Sábado
15h “Matar ou correr” (1954, 100’)
17h “Quando a noite acaba” (1949-1950, 78’)

22/4 – Domingo - 17h “Eu, eu, eu José Lewgoy” (2011, 96’) - seguida de conversa com o diretor Cláudio Kahns

23/4 – Segunda-feira
15h “Carnaval Atlântida” (com audiodescrição) (1952, 92’)
19h “Aviso aos navegantes” (1950, 113’)

25/4 – Quarta-feira
17h “Quando o Carnaval chegar” (1972, 90’)
19h “Roberto Carlos em ritmo de aventura” (1968, 98’)

26/4 – Quinta-feira
17h “O Ibrahim do Subúrbio” (1976, 90’)
19h “República dos assassinos” (1979, 100’)

27/4 – Sexta-feira
19h “Terra em Transe” (1966, 105’)

28/4 – Sábado
15h “Cobra Verde” (1987, 111’)
17h “Fitzcarraldo” (1982, 158’)

29/4 – Domingo
15h “S.O.S. Noronha” (1957, 94’)
17h “Les fanatiques” (1957, 90’)

30/4 – Segunda-feira - 17h “Tarzan e o menino da selva” (1968, 99’)

2/5 – Quarta-feira - 19h “Engraçadinha” (1981, 106’)

3/5 – Quinta-feira - 19h “O Ibrahim do Subúrbio” (1976, 90’)

4/5 – Sexta-feira
17h “O Judeu” (1994, 91’)
19h “A hora mágica” (1998, 120’)

5/5 – Sábado
15h “Quando o Carnaval chegar” (1972, 90’)
17h “Roberto Carlos em ritmo de aventura” (1968, 98’)

6/5 – Domingo
15h “O Gigante da América” (1978, 88’)
17h “Tabu” (1982, 85’)

7/5 – Segunda-feira
17h “Terra em Transe” (1966, 105’)
19h “Eu, eu, eu José Lewgoy” (2011, 96’)

Sinopses

Klaus Kinski e José Lewgoy em  Fitzcarraldo (Dir. Werner Herzog, 1982)
“Quando a noite acaba (ou Perdida pela paixão)”
Ano de Produção: 1949-50
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 90’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital a partir de BetaCam
Companhia produtora: Artistas Associados
Produtor associado: Roberto Acácio
Direção: Fernando de Barros
Roteiro: Fernando de Barros, José Aurélio
Direção de fotografia: Mario Pagés
Montagem: Mario Del Rio
Cenografia: Carlos Thiré, João Maria dos Santos
Música: Walter Schultz

Elenco: Tonia Carreiro, Roberto Acácio, Orlando Villar, Jackson de Souza, Maria Castro, Inês Valéria, José Lewgoy, Nídia Lícia, Ana Beatriz.

Sinopse: A prostituição à beira do cais, com as angústias e frustrações das garotas que não têm passado nem futuro, só presente. Ambientado em bairro popular do Rio de Janeiro, o filme, de acento policial, narra a história de uma jovem que se apaixona por um vigarista e experimenta complicações daí decorrentes.
Classificação indicativa: 14 anos

“Carnaval no fogo”
Ano de Produção: 1949
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 90’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital a partir de BetaCam
Companhia produtora: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A.
Direção: Watson Macedo,
Roteiro: Watson Macedo, Alinor Azevedo
Direção de fotografia: George Dusek
Arranjos musicais: Panicalli

Elenco: Oscarito, Grande Otelo , Anselmo Duarte, José Lewgoy, Modesto de Souza, Rocir Silveira, Adelaide Chiozzo, Jorge Goulart, Marion, Evira Pagã, Ruy Rey, Cuquita Carballo, Eliana Macedo, Navarro Andrade

Sinopse: Uma quadrilha de criminosos se hospeda no Copacabana Palace a espera do misterioso Anjo (José Lewgoy), chefe desconhecido cuja identificação seria dada por meio de sua cigarreira incomum. Acidentalmente o objeto acaba parando nas mãos de Ricardo (Anselmo Duarte), diretor artístico que prepara um show para o carnaval no hotel. Ricardo é identificado erroneamente como chefe pelos ladrões e isso gera uma série de confusões envolvendo sua namorada Marina (Eliana Macedo), o atrapalhado Serafim (Oscarito), funcionário do hotel que sonha em ser ator, e os bandidos.
Classificação indicativa: 14 anos

“Aviso aos navegantes”
Ano de Produção: 1950
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 113’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: DVD + Sessão especial com audiodescrição
Companhia produtora: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A.
Direção: Watson Macedo,
Roteiro: Alinor Azevedo, Paulo Machado
Produção: Severiano Ribeiro Jr.
Direção de fotografia: Edgar Brasil
Montagem: Waldemar Noya, Wilson Monteiro
Direção musical: Lindolfo G. Gaya
Coreografia: Juliana Yanakiewa,

Elenco: Oscarito, Grande Otelo, Anselmo Duarte, José Lewgoy, Adelaide Chiozzo, Eliana Macedo, Sérgio de Oliveira, Ivon Cury, Mara Rios, Yara Izabel, Inah Malaguti, Cuquita Carballo, Zezé Macedo, Clélia Rios, Rubem Dourado, Grijó Sobrinho, Alfredo Rosário, Dalva Oliveira, Emilinha Borba, Elvira Pagã, Juliana Yanakiewa.

Sinopse: Um luxuoso navio parte de Buenos Aires para o Rio de Janeiro. No meio da viagem, os passageiros recebem alerta de que um perigoso espião está a bordo. Todos se unem para capturá-lo, dando início a uma série de aventuras intercaladas por números musicais e desencontros amorosos.
Classificação indicativa: Livre

“Amei um bicheiro”
Ano de Produção: 1952
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 80’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: DVD
Companhia produtora: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A.
Direção: Jorge Ileli, Paulo Wanderley
Assistência de direção: Carlos Manga
Roteiro/ Argumento: Jorge Dória,
Direção de fotografia: Amleto Daissé
Montagem: Waldemar Noya, Jorge Ileli
Cenografia: José Cajado Filho
Direção de som: Aloisio Viana
Música: Leo Peracchi

Elenco: Cyll Farney, Eliana Macedo, José Lewgoy, Josette Bertal, Grande Otelo, Norma Fleming, José Policena, Renato Murce, Wilson Grey, Wilson Viana, Aurélio Teixeira, Jece Valadão, Jesus Ruas, João Péricles, Mário Japa,

Sinopse: Carlos (Cyl Farney) é um jovem ambicioso, que sai do interior e vem para o Rio de Janeiro, onde acaba se envolvendo com o jogo do bicho. Depois de um tempo na cadeia, resolve mudar de vida ao se casar com Laura (Eliana Macedo) e viver honestamente. Só que ela precisa fazer uma cirurgia. Para arranjar o dinheiro, Carlos volta à antiga atividade e acaba desafiando o poderoso Almeida (José Lewgoy), um violento banqueiro do jogo do bicho.
*Prêmio de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator para José Lewgoy e Melhor Fotografia para Amleto Daissé no Festival do Distrito Federal, 1953.
Classificação indicativa: Livre

“Carnaval Atlântida”
Ano de Produção: 1952
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 92’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: 35mm
Companhia produtora: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A.
Direção: José Carlos Burle, Carlos Manga
Assistência de direção: Roberto Ribeiro
Roteiro: José Carlos Burle, Berliet Jr., Victor Lima
Gerente de produção: Guido Martinelli
Direção de fotografia: Amleto Daissé
Montagem: Wilson Monteiro
Cenografia: Martim Gonçalves, Pablo Olivo
Figurinos: Gilda Bastos, Osvaldo Mota
Direção musical: Lirio Panicalli
Coreografia: Juliana Yanakiewa

Elenco: Oscarito, Grande Otelo, Cyll Farney, Eliana Macedo, José Lewgoy, Colé, Renato Restier, Wilson Grey, Iracema Vitória, Carlos Alberto, Blecaute, Francisco Carlos, Bill Farr, Nora Ney, Dick Farney, Orquestra de Chiquinho, Aurélio Teixeira, Jesus Ruas, Leonel Saraiva, Rosa Sandrini, Victor Binot, W. Hanner, Aurelina Lisboa, Argentina Della Torre, Edith Tremonte, Edmundo Carlo, Ingrid Germer, Isaura Henriques, Marlene Barroso, Maurício Loyola, Moacir Ferreira, Núcia Miranda, Oscar B. Freitas.
Participação especial: Maria Antonieta Pons

Sinopse: Dois malandros cariocas, Piro e Miro, apresentam ao Dr. Cecílio B. de Milho, produtor da Acrópoles Filmes, o argumento de uma chanchada. O produtor, que sonha fazer um épico sobre Helena de Tróia, recusa o argumento, mas termina por empregá-los como faxineiros do estúdio. Em seguida, decidido a realizar seu filme, Cecílio contrata o professor Xenofontes, especialista em mitologia grega, para ajudar na realização do épico. A partir daí, os dois malandros entram em conflito com o nobre sábio e, depois de muitas confusões, o filme de Cecílio B. de Milho acaba virando uma festiva comédia carnavalesca.
Classificação indicativa: Livre

“Matar ou Correr”
Ano de Produção: 1954
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 100’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: 35mm
Companhia produtora: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A.
Direção: Carlos Manga
Roteiro: Amleto Daissé, Victor Lima
Produção: Vinicius Silva
Direção de fotografia: Amleto Daissé
Montagem: Wilson Monteiro
Direção de som: Aloisio Viana
Música: Luís Bonfa, Lirio Panicalli

Elenco: Oscarito, Grande Otelo, José Lewgoy, Renato Restier, Wilson Viana, John Herbert, Inalda de Carvalho, Wilson Grey

Sinopse: Uma cidadezinha do Velho Oeste é aterrorizada pelos desmandos do bandido Jesse Gordon. Certo dia, de passagem pelo lugar, os forasteiros Kid Bolha e Cisco Kada deparam-se com o vilão e acidentalmente o nocauteiam. Em gratidão a esse gesto heroico, os moradores de City Down nomeiam Kid Bolha seu novo xerife. No entanto, tempos depois, Jesse Gordon escapa da prisão. Sedento por vingança, o bandoleiro ameaça atemorizar a cidade e acabar com o xerife Kid Bolha.
Classificação indicativa: Livre

“S.O.S Noronha”
Ano de Produção: 1957
País de Origem: França
Cromia: Cor
Duração: 94’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: DVD
Companhia produtora: Union Generale Cinematografique
Direção: George Rouquier
Roteiro: Thomas Narcejac, Pierre Boileau *Baseada no romance original de Pierre Vire
Produção: Eugene Nase
Direção de fotografia: Henri Decae
Música: Jean-Jaques Grunewald
Distribuição: Les Documents Cinématographiques

Elenco: Jean Marais, José Lewgoy, Yves Massard, Daniel Ivernel, Ruy Guerra, Vanja Orico, Nerio Bernardi

Sinopse: Em plena explosão da Revolução de 1930 no Brasil, um grupo de homens de uma base de comunicação francesa fica encurralado por presos da ilha de Fernando de Noronha, enquanto espera resgate.
Classificação indicativa: Livre

“Les Fanatiques”
Ano de Produção: 1957
País de Origem: França
Cromia: Preto e Branco
Duração: 90’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Companhia produtora: Cooperative generale du cinema francais, Institut national de l'audiovisuel
Direção: Alex Joffé
Roteiro: Alex Joffé, Jean Levitte
Música: Paul Misraki

Elenco: Pierre Fresnay, Michel Auclair, José Lewgoy, Grégoire Aslan, Françoise Fabian, Tilda Thamar, Betty Schneider, Edward Fleming, Pierre Tabard, René Hell, Gregori Chmara, René Alone, Luce Aubertin, François Marié, Jean Chapot, Pierre Cosson, Véronique DeSchamps, Daniel Crohem, Lucien Camiret.

Sinopse: Uma revolução acaba de acontecer em um país sul-americano, enquanto seu ditador General Ribéra está ausente em uma viagem. Diante da situação, Ribéra decide retornar ao seu país para enfrentar os revolucionários. No vôo, também está Luis Vargas, o principal adversário de seu regime ditatorial, que pretende matá-lo embarcando com uma bomba escondida em uma máquina de escrever.
Classificação indicativa: Livre

“Terra em transe”
Ano de Produção: 1967
País de Origem: Brasil
Cromia: Preto e Branco
Duração: 105’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: 35mm
Direção: Glauber Rocha
Roteiro: Glauber Rocha
Produção: Carlos Diegues, Luiz Carlos Barreto, Zelito Viana
Fotografia: Luiz Carlos Barreto
Montagem: Eduardo Escorel
Trilha Sonora: Carlos Gomes, Giuseppe Verdi, Heitor Villa-Lobos, Sérgio Ricardo
Distribuidora: Difilm

Elenco: Jardel Filho, Paulo Autran, José Lewgoy, Glauce Rocha, Paulo Gracindo, Hugo Carvana, Danuza Leão, Jofre Soares, Modesto de Souza, Francisco Milani, Echio Reis, Mário Lago, Flavio Migliaccio, Maurício do Valle, Paulo Cesar Pereio, Thelma Reston, Emanuel Cavalcanti, José Marinho, Zózimo Bulbul, Antonio Carnera, Rafael de Carvalho, Clovis Bornay, Ivan de Souza.

Sinopse: Em Eldorado, o poeta e jornalista Paulo Martins, à beira da morte, rememora sua participação em lutas políticas. Dividido entre dois aspirantes ao poder e manipulado pela multinacional Explint, ele agoniza, sem conseguir solucionar as contradições de Eldorado e as suas, ao tentar equacionar de forma conseqüente poesia e política.
*Prêmio FIPRESCI no Festival de Cannes.
Classificação indicativa: 14 anos

“Roberto Carlos em ritmo de aventura”
Ano de Produção: 1968
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 98’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Roberto Farias
Roteiro: Roberto Farias, Paulo Mendes Campos
Direção de fotografia: José Medeiros
Montagem: Roberto Farias, Raimundo Higino
Cenografia: Arthur Jorge
Trilha Sonora: Roberto Carlos
Companhia produtora: Produções Cinematográficas R. F. Farias
Distribuidora: Difilm

Elenco: Roberto Carlos, José Lewgoy, Reginaldo Farias, Rose Passini, Conjunto RC-7, Sérgio Malta, Jannik Pagh, Jacques Jover, Frederico Mendes, Márcia Gonçalves, Ana Levy, Marisia Levy, Grace Lourdes, Elizabeth Faria, Giomar Yukawa, Riva Faria

Sinopse: Roberto Carlos, ídolo da música jovem brasileira à época, é perseguido por um bando que pretende utilizá-lo para a produção em massa de canções, com a ajuda de um cérebro eletrônico. Roberto, que está fazendo um filme com o vilão francês Pierre, é obrigado a fugir de helicóptero, avião, automóvel, tanque e até foguete espacial, indo do Rio a São Paulo e a Nova York e Cabo Kennedy, mas no fim, tudo acaba bem, para ele, seus amigos e os adversários.
Classificação indicativa: Livre

“Tarzan e o Menino da Selva” (“Tarzan and the Jungle Boy”)
Ano de Produção: 1968
País de Origem: Estados Unidos da América
Cromia: Colorido
Duração: 99’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: DVD
Direção: Robert Gordon
Roteiro: Stephen Lord
Produção: Robert Day, Sy Wintraub
Direção de fotografia: Ozen Sermet
Montagem: Milton Mann
Cenografia: Herbert Smith
Música: William Loose, Igo Kantor
Companhia produtora: Alfin Filmes; Banner Filmes
Distribuidora: Paramount Pictures

Elenco: Mike Henry, Alizia Gur, José Lewgoy, Rafer Johnson, Steve Bond, Ronald Ganz, Diana Millay, Eddie Johnson, Don Hattgay, Alfredo Ramacioti, Nelson Moura, Rejane Medeiros, Gabriel Queiroz,

Sinopse: Em uma viagem, um geólogo e seu filho são arrastados por uma correnteza. Seis anos depois uma jornalista e seus assistentes chegam à selva para procurar o garoto, pois o corpo de seu pai havia sido encontrado. Ela então pede a ajuda de Tarzan para encontrar o menino. Milagrosamente o menino sobreviveu na selva. No entanto, ele está correndo sérios riscos, pois Nagambi, um nativo, deseja matá-lo num sacrifício. Nagambi anseia ocupar o trono como chefe de sua tribo, chefiada por seu irmão.
Classificação indicativa: Livre

“Quando o carnaval chegar”
Ano de Produção: 1972
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 90’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Carlos Diegues
Roteiro: Carlos Diegues
Produção: Zelito Viana, Carlos Alberto Prates, Carlos Digues, Luiz Buarque de Hollanda, K. M. Eckstein
Direção de fotografia: Dib Lutfi
Montagem: Eduardo Escorel
Arranjos musicais: Magro Waghabi, Roberto Menescal
Companhia produtora: Mapa Produções Cinematográficas

Elenco: Chico Buarque de Holanda, Nara Leão, Maria Bethania, Hugo Carvana, Antonio Pitanga, Ana Maria Magalhães, José Lewgoy, Elke Evremides, Wilson Grey, Zeni Pereira, Scarlet Moon, Vera Manhães, Ritmistas da Academia do Salgueiro, Yiê Xapanã do Axé Opo Afonjá, Joaquim Mota, Frevo - Clube dos Lenhadores, Luis Alves, Banda do Almeidinha

Sinopse: Cinco artistas de uma trupe viajam pelo Brasil num ônibus colorido. Surge a possibilidade de se apresentarem para um rei mas, nos bastidores, desata uma crise de ordem amorosa que os separa. Mas a desistência da apresentação ao rei reúne novamente o grupo que prefere prosseguir, como antes, sua carreira ambulante. Única reunião na tela do trio célebre de cantores Nara Leão, Maria Bethânia e Chico Buarque, num musical político de Carlos Diegues, que conta com trilha sonora de grande sucesso.
Classificação indicativa: Livre

“O Ibrahim do subúrbio”
Ano de Produção: 1976
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 90’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Cecil Thiré, Astolfo Araújo
Roteiro: Armando Costa, Cecil Thiré, Astolfo Araujo, Dennis Toledo
Produção: Pedro Rovai
Direção de fotografia: Roberto: Pace
Montagem: Sylvio Renoldi
Cenografia: Germano Brum
Companhia produtora: Sincrocine

Elenco: José Lewgoy, Eloísa Mafalda, Lucélia Santos, Luiz Fernando Guimarães, Jorge Chaia, Leina Krespi, Paulo Hesse, Suzana Faíni, Wilson Grey, Lourdes Mayer, Fregolente, Sérgio Hingst, Procópio Mariano, Tony Ferreira, Nelson Caruso

Sinopse: Comédia em dois episódios. No primeiro, “Roy, o gargalhador profissional”, um homem recebe uma oferta de emprego como gargalhador em um programa de TV. No segundo, “O Ibrahim do subúrbio”, Casemiro (José Lewgoy), um alfaiate pobre com mania de grandeza sonha em ter o seu nome mencionado na coluna social de Ibrahim Sued. Quando a filha engravida, obrigando seu namorado inconseqüente ao casamento, ele transforma a cerimônia em uma festa de luxo, gastando todo o dinheiro da sua poupança, na esperança de ver o evento anunciado na coluna de seu ídolo.
Classificação indicativa: Livre

“República dos assassinos”
Ano de Produção: 1979
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 100’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Miguel Faria Jr. 
Roteiro: Aguinaldo Silva, Miguel Faria Jr.
Produção: Ricardo Amaral
Direção de fotografia: João Carlos Horta
Montagem: Carlos Brajsblat
Direção de arte: Carlos Prieto
Música: Chico Buarque, Francis Hime
Narração: Paulo Cezar Pereio
Companhia produtora: Rima Filmes do Brasil

Elenco: Tarcísio Meira, Sandra Bréa, Anselmo Vasconcelos, Sylvia Bandeira, José Lewgoy, Tonico Pereira, Ítalo Rossi, Flávio São Thiago, Paulo Villaça, Milton Moraes, Vinícius Salvatori, Ivan de Almeida, José Dumont, Lia Sol, Elba Ramalho, Luiz Carlos Lacerda, Wilson Grey, Haylton Farias, Luiz Antonio Magalhães, Paschoal Villaboin, Ligia Diniz, Rubem José, Gabriel Archanjo

Sinopse: No Rio de Janeiro da década de 1970, um grupo de policiais atua como esquadrão da morte. Este grupo de elite foi criado pelo próprio governador do Estado com o apoio do senador Gilberto Martins. O senador é dono de um jornal que dá enorme cobertura às ações de Matheus, um dos chefes do grupo. Matheus tivera um caso com Marlene Graça, atriz e cantora de cabaré que se sente prejudicada pela má reputação do policial. Com dificuldades para conseguir um papel num filme e desiludida com Matheus, que arranjara outra garota, ela entra para uma seita evangélica. O esquadrão da morte com suas execuções sumárias acaba por levantar forte suspeita de um promotor público, que descobre o envolvimento do grupo com extorsão, narcotráfico, roubo e otros crimes. Baseado no romance homônimo de Aguinaldo Silva.
Classificação indicativa: 18 anos

“O gigante da América”
Ano de Produção: 1978
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 88’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Julio Bressane 
Roteiro: Julio Bressane
Produção: Julio Bressane
Direção de fotografia: Renato Laclette
Montagem: Radar, Rosa Dias
Companhia produtora: Cinematográficas

Elenco: Jece Valadão, José Lewgoy, Rogério, Wilson Grey, Maria Gladys, Paulo Villaça, Marta Anderson, Helio Ari, Martim Francisco, Colé, Décio Pignatari, José Lino Grunewald, Fabíola Fracaroli, Sonia Dias, Sandro Solviati Siqueira, Helena Lustosa, Clóvis Bornay,

Sinopse: Narrativa irônica remonta a trajetória da alma de um caboclo pelo inferno, purgatório e paraíso. Nesse périplo ancestral pela América cuja rota supõe ter sido indicada pelo poeta Dante, a alma encontra alguns fantasmas de figuras notáveis do Novo Continente, fazendo e ouvindo discursos memoráveis.
Classificação indicativa: 18 anos

“Tabu”
Ano de Produção: 1982
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 85’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Julio Bressane 
Roteiro: Julio Bressane
Produção: Julio Bressane
Direção de fotografia: Renato Laclette
Montagem: Radar, Rosa Dias
Companhia produtora: Julio Bressane Produções Cinematográficas

Elenco: Caetano Veloso, Colé Santana , José Lewgoy, Norma Bengell, Cláudia O'Reilly, Isadora Duncan, Dedé Veloso, Lygia Durand, Mário Gomes, Sandro Solviatti, Shirley Alves, Marlene, Sônia Dias, Georgina de Moraes, Suzana de Moraes, Mariana de Moraes, Antônio Cícero, Guilherme Araújo

Sinopse: Um encontro poético e imaginário entre o escritor modernista Oswald de Andrade e o compositor Lamartine Babo, entre suas poesias, músicas, carnaval e passeios pelo Rio, intercalados pelas cenas do filme “Tabu” (1930) e de antigos filmes pornográficos. Uma junção de três elementos: imagem, fala e música, que compõe a fictícia conversa entre os dois icônicos artistas.
Classificação indicativa: 18 anos

“Engraçadinha”
Ano de Produção: 1981
País de Origem: Brasil
Cromia: Colorido
Duração: 100’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: Arquivo digital
Direção: Haroldo Marinho Barbosa
Argumento: Nelson Rodrigues
Roteiro: Haroldo Marinho Barbosa
Produção: Paulo Thiago
Direção de fotografia: Antonio Penido
Montagem: Gilberto Santeiro
Direção de arte: Carlos Prieto
Direção musical: Sérgio Guilherme Saraceni
Companhia produtora: Encontro Produções Cinematográficas

Elenco: Lucélia Santos, José L ewgoy, Luís Fernando Guimarães, Wilson Grey, Carlos Gregorio, Daniel Dantas, Cláudio Correa e Castro, Eva Carbon, Henriqueta Bertoleti, Sonia Figueiredo, Elizabeth Sousa, Florêncio Fenochio, Francisco Lima, Lourival Trindade, Leonides Barbosa

Sinopse: Engraçadinha é uma adolescente atraente, com quem todo homem quer se envolver, exceto o seu primo Sílvio, o único homem que ela ama. No dia do noivado de Sílvio, ela o seduz e acaba ficando grávida. Entretanto, seu pai, Arnaldo, conta a ela um segredo terrível, capaz de impedir que a criança nasça.
Classificação indicativa: 18 anos

“Fitzcarraldo”
Ano de Produção: 1982
País de Origem: Peru / Alemanha
Cromia: Colorido
Duração: 158’
Formato Original: 35mm
Formato de Exibição: BlueRay
Direção: Werner Herzog
Roteiro: Werner Herzog
Produção: Werner Herzog, Lucki Stipetic
Direção de fotografia: Thomas Mauch
Montagem: Beate Mainka-Jellinghaus
Direção de arte: Ulrich Bergfelder, Henning von Gierke
Efeitos especiais: Miguel Vázquez
Música: Popol Vuh
Companhia produtora: Werner Herzog Film

Elenco: Klaus Kinski, Claudia Cardinale, José Lewgoy, Grande Otelo, Milton Nascimento, David Pérez Espinosa, Dieter Milz, Enrique Bohórquez, Leoncio Bueno, Miguel Ángel, Paul Hittscher, Peter Berling, Ruy Polanah, Salvador Godínez, William L. Rose Notary

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro