Stromboli: um filme de Roberto Rossellini


Entra em cartaz dia 29 de março nos cinemas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Niterói e Aracaju

Dramalhão no estilo italiano do pós-guerra, o filme é o resultado de uma famosa carta de Ingrid Bergman para Roberto Rossellini, na qual ela escreveu que admirava o trabalho dele e queria fazer um filme com ele. 

Stromboli é talvez mais lembrado pelo caso entre Rossellini e Bergman, na época Ingrid Bergman era casada com Petter Lindström, que começou durante a produção do filme, bem como a criança nascida fora do casamento.

No filme Bergman interpreta Karen uma refugiada lituana que, para conseguir permanecer na Itália, se casa com um marinheiro da ilha Stromboli, na Sicília. Pouco tempo depois, as diferentes mentalidades e o duro estilo de vida da ilha começam a prejudicar o casal. Odiada pelos moradores locais e praticamente indiferente ao marido, Karen foge e chega ao topo do vulcão, onde pede a Deus força para sobreviver.

Stromboli é um exemplo clássico do neorrealismo italiano, caracterizado por histórias que se estabelecem entre os pobres e a classe trabalhadora, filmados localmente e freqüentemente usando atores não profissionais.

Sobre o diretor
Roberto Rossellini foi um dos principais realizadores do Neorrealismo, considerado a era de ouro do cinema italiano no pós-guerra. Se no início de sua carreira produziu filmes ligados à ditadura de Mussolini, a partir de Roma cidade aberta, em 1945, seu cinema expôs as condições morais e a dificuldade econômica na Itália após a Segunda Guerra Mundial. Faleceu em 1977.

Ficha técnica

Stromboli
Título original: Stromboli - Terra di Dio  
Itália/EUA - 1950
Direção e Produção - Roberto Rossellini
Elenco - Ingrid Bergman, Mario Vitale, Renzo Cesana, Mario Sponzo
Roteiro - Roberto Rossellini, Sergio Amidei, Gian Paolo Callegari, Art Cohn, Renzo Cesana
Fotografia - Otello Martelli
Montagem - Roland Gross
Música - Renzo Rossellini
Som - Eraldo Giordani, Terry Kellum

Confira abaixo o trailer do filme:



Comentários