Boteco de Férias no Sesc Pompeia

Imagem produzida pelo grafiteiro Mauro Neri
A ativista e colunista Djamila Ribeiro, a cantora Preta Rara e o grafiteiro Mauro Neri são alguns dos nomes nesta edição do projeto

Nas férias também tem Boteco da Diversidade, mas em formato diferente. Do período de 11 de janeiro a 24 de fevereiro, o Sesc Pompeia recebe a nova edição do Boteco de Férias, que conta com atividades ministradas por pessoas que participaram das edições do segundo semestre de 2017. Os temas tratados serão: Visibilidade Gorda (agosto); Refúgio e Migração (setembro); Vida Fora do Cárcere (outubro); Etnias e Resistência (novembro); e Direitos Humanos (dezembro).


A feminista e colunista da Carta Capital, Djamila Ribeiro, abre a edição à frente, no dia 11/1, de uma conversa sobre local (lugar) de fala, respondendo questões como quem pode ter voz em determinadas pautas deslegitimadas, e escrita acadêmica. 

Outros destaques são o Ateliê Móvel Viveracidade (17 e 18/2), com o grafiteiro Mauro Neri, conhecido por grafitar pequenas casas amarelas, figuras alongadas olhando para cima e conjugações como viveracidade; e a Oficina de Turbante Entrelaçando as Ideias (3/2) que, ministrada pela rapper Preta Rara, usa da influência afro-brasileira para empoderar mulheres, por meio de torsos e adornos. 

O Grupo Me Gusta de dança, formado por mulheres gordas, ministra em duas datas (16 e 18/1) a oficina Dança de Tudo Para Todxs, que traz diferentes ritmos e temáticas da dança brasileira e latina. Para entender o peso das artes cênicas na discussão sobre direitos humanos, os atores Fernanda Azevedo e Fernando Kinas, da Kiwi Cia de Teatro, falam, no dia 30 de janeiro e 1 de fevereiro, sobre Vivência e Teatro Documentário Hoje. 

Performances também ajudaram a construir as representações dos temas nas edições Vida Fora do Cárcere e Refúgio e Migração. Na primeira, a Truple Olho da Rua apresentou a performance Blitz – O Império que Nunca Dorme e, no Borteco de Férias, ministram a Vivência Teatral No Olho da Rua, no dia 27 de janeiro. Na segunda, o artista congolês Shambuyi Wetutrouxe uma performance que enfatiza a experiência da diáspora e a situação do negro no mundo. No dia 25 de janeiro, ele ministra Luendu (Trajetória), em que usa as tensões políticas, o espaço público e o corpo para criar uma prática performática. 

Além de Shambuyi, representam a República Federativa do Congo o artista Lavi Kasongo, com a oficina de pintura e experimentação As Cores da África (20/1), e o ator e produtor cultural refugiado Pitchou Luambo, que fala sobre a cozinha congolesa em Alimento e Cultura do Congo (20/2). A cultura indígena também ganha representação com a leitura poética e musical do conto O Boto Mandigueiro e outras histórias de Márcia Wayna Kambeba, em A Amazônia: Da Proa da Canoa(13/1), e o Encontro de Rap Indígena com Brô MC’s e Kunumí MC, que acontece no dia 23 de fevereiro na Área de Convivência da unidade.

A jornalista Flávia Durante fecha as atividades do Boteco de Férias no dia 24 de fevereiro, com o bate-papo Gordofobia e Empreendedorismo Plus Size. Ela produz, desde 2012, o Pop Plus, feira de moda e cultura plus size que recebe cerca de 10 mil pessoas por edição. Ao longo desses cinco anos, Flávia procura quebrar preconceitos que envolvem a moda direcionada para homens e mulheres gordas.

As oficinas do Boteco de Férias são gratuitas. As senhas podem ser retiradas na Loja Sesc, com 30 minutos de antecedência do início das atividades.

Serviço
Boteco de Férias
De 11 de janeiro a 24 de fevereiro
Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.

Comentários


Fque por dentro