Atividades do mês de outubro no Memorial da Resistência

Cela 1 vista do interior da cela voltada para o corredor
Foto - Divulgação
Confira as atividades especiais do mês de outubro e aproveite para visitar as exposições

O Memorial da Resistência de São Paulo, uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo por meio de sua Secretaria da Cultura, é uma instituição dedicada à preservação de referências das memórias da resistência e da repressão políticas do Brasil republicano (1889 à atualidade) por meio da musealização de parte do edifício que foi sede, durante o período de 1940 a 1983, do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP, uma das polícias políticas mais truculentas do país, principalmente durante o regime militar.


O Memorial da Resistência é vinculado à Associação Pinacoteca Arte e Cultura - APAC, qualificada como Organização Social da Cultura, a partir da assinatura de contrato de gestão com a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Sábado Resistente

No dia 21 de outubro, o Memorial da Resistência realizará mais uma edição do Sábado Resistente, projeto promovido em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O evento será às 14h00, e discutirá a Arte da Memória: pensando hoje as ditaduras da América Latina junto com a abertura da exposição "HIATUS - a Memória da Violência Ditatorial na América Latina.

Tarde de Memórias

A programação composta por atividades lúdicas é voltada às famílias, crianças e jovens em visitação espontânea ao Memorial da Resistência de São Paulo. A edição de setembro contará com jogo da memória, cruzadinha e quebra-cabeça.

Encontro com Educadores 

No mês das crianças e dos professores, o Encontro com Educadores objetiva apresentar as possibilidades e os desafios da contação de histórias como recurso lúdico-pedagógico para tratar temas como a Ditadura Civil-Militar, Direitos Humanos e Memória e Verdade.



Encontro de Aprofundamento Temático

O primeiro Encontro de Aprofundamento Temático do ano objetiva refletir o Estado Novo a partir de discussões sobre as relações políticas que o governo Vargas estabeleceu desde a década de 1930; as relações brasileiras com o nazi-fascismo e com a Alemanha no período, os vínculos com os Estados Unidos e o alinhamento com a democracia liberal representada por esse país.

Cine Debate - Circuito Difusão da 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos 

O Memorial da Resistência sedia, neste ano, o Circuito Difusão da 11ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos, ajudando a descentralizar e democratizar o acesso a obras audiovisuais que discutem importantes temas atuais de Direitos Humanos.
As exibições dos filmes acontecem em nosso auditório e serão sucedidas de debates com educadores do Memorial! Não deixe de participar, a entrada é gratuita.


Cela 3 Foto Divulgação


Exposição de Longa Duração

A exposição de longa duração está abrigada em parte do antigo espaço carcerário e seu roteiro expositivo está organizado em 4 módulos voltados para o histórico do edifício e seus respectivos desdobramentos de controle, repressão e resistência.

Exposição temporária “Carta Aberta. Correspondências na prisão”: Sala 2, 3º andar

A exposição “Carta Aberta – correspondências na prisão”, composta de aproximadamente 70 cartas – de dentro e fora da prisão – trocadas entre presos políticos e seus familiares e amigos entre os anos de 1969 a 1974. Também integram a mostra fotografias, cartões comemorativos e de solidariedade, artesanatos produzidos na prisão e uma obra “Carta a Sérgio Ferro” (1973) do artista e ex-preso político Alípio Freire. Conta, ainda, com o testemunho de ex-presa política sobre a importância das correspondências naquele contexto. Com curadoria de Kátia Felipini e Luiza Giandalia e comunicação visual da Zol Design.


Abertura da Exposição temporária " HIATUS: A memória da violência ditatorial da América Latina

Num cenário atual em que graves violações aos direitos humanos — cometidas em especial no período da Ditadura Civil-Militar (1964-1985) — são relativizadas politicamente e sob ameaça de novos autoritarismos, a instituição passa a ter papel fundamental na construção da memória e da crítica no Brasil contemporâneo.

Trazer a público o tema do trauma provocado por regimes autoritários, assim, torna-se uma poderosa ferramenta de conscientização e reflexão. É dessa premissa que nasce a exposição “Hiatus: A memória da violência ditatorial da América Latina”, uma parceria do Memorial da Resistência de São Paulo com o Goethe-Institut São Paulo e o Instituto de Estudos Avançados da USP.

Serviço

Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 - Santa Ifigênia - São Paulo - SP
Aberto de quarta a segunda (fechado às terças), das 10h00 às 17h30

Entrada Gratuita

Para mais informações clique aqui ou ligue - (11) 3335-4990

Comentários