Confira as atividades do mês de setembro do Memorial da Resistência

Abaixo atividades promovidas pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Associação Pinacoteca Arte e Cultura e Memorial da Resistência de São Paulo



Sábado Resistente 

No dia 23 de setembro, o Memorial da Resistência realizará mais uma edição do Sábado Resistente, projeto promovido em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O evento será às 14h00, e discutirá a questão do desaparecimento e assassinato de membros da comunidade japonesa durante os regimes militares da Argentina e do Brasil.

Tarde de Memórias

A programação composta por atividades lúdicas é voltada às famílias, crianças e jovens em visitação espontânea ao Memorial da Resistência de São Paulo. A edição de setembro contará com jogo da memória, cruzadinha e quebra-cabeça.

Encontro com Educadores e Profissionais de Turismo

No âmbito da 11ª Primavera dos Museus promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC), cujo tema é “Museus e suas memórias”, o Memorial propõe reflexão a partir de três projetos cujas perspectivas turísticas em espaços de memórias estão relacionadas ao período da Ditadura Civil-Militar.

Visitas Mediadas

Visitas mediadas que contarão com os testemunhos, de ex-presos políticos, gravados pelo Programa Coleta Regular de Testemunhos, e ainda não referenciados na exposição de longa duração também comporão a programação do Memorial para a 11ª Primavera dos Museus do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Experimento Teatral "rEXISTIR"

O grupo de atores surdos explora a colisão entre o mundo do som e do silêncio e busca transitar entre a Libras e a oralidade para trabalhar com os depoimentos dos ex-presos políticos que passaram pelo Deops/SP. A atividade compõe a participação do Memorial na VII Semana Cultural Sinais na Arte promovida pelo Museu de Arte Moderna e instituições parceiras.

Exposição de Longa Duração

A exposição de longa duração está abrigada em parte do antigo espaço carcerário e seu roteiro expositivo está organizado em 4 módulos voltados para o histórico do edifício e seus respectivos desdobramentos de controle, repressão e resistência.

Exposição temporária “Carta Aberta. Correspondências na prisão”: Sala 2, 3º andar

“Carta Aberta – correspondências na prisão”, composta de aproximadamente 70 cartas – de dentro e fora da prisão – trocadas entre presos políticos e seus familiares e amigos entre os anos de 1969 a 1974. Também integram a mostra fotografias, cartões comemorativos e de solidariedade, artesanatos produzidos na prisão e uma obra “Carta a Sérgio Ferro” (1973) do artista e ex-preso político Alípio Freire. Conta, ainda, com o testemunho de ex-presa política sobre a importância das correspondências naquele contexto. Com curadoria de Kátia Felipini e Luiza Giandalia e comunicação visual da Zol Design.

Exposição temporária “a desobediência civil”: Sala 1, 3º andar

Com o título a desobediencia civil, Geraldo Souza Dias expõe no Memorial da Resistência, no período de 1o de abril a 25 de setembro de 2017, 22 pinturas a óleo e colagem sobre tela e madeira – sendo que duas obras compõem-se de múltiplos quadros de pequenas e médias dimensões, a primeira, ziviller Ungerhorsam, formada por 51 pecas, e uma segunda, arte e resistência, um friso formado de 23 pinturas – e um vídeo de aproximadamente 10 min., Zen Hostel Brasil, apresentado em looping.

O tema alude, no âmbito da cultura, a situações político-sociais de constrangimento às liberdades e aos direitos humanos na história republicana brasileira recente, trazendo-o para o domínio da arte, especificamente à prática da pintura, tensionando-o, para assim contribuir à reflexão produtiva.

Comentários