Dia das Mães – hora de priorizar os sonhos!

Para muitas mulheres, uma das maiores realizações da vida é ser mãe. No entanto, quantas delas simplesmente deixam de ter seus próprios sonhos depois que isso acontece? Por isso, nesse Dia das Mães, meu conselho é: pensem menos em presentes e mais em sonhos.

Assim como para as mães a melhor dádiva é ver seus filhos crescerem bem e saudáveis, em todos os aspectos da vida (físico, mental e financeiro), os filhos também querem ver realizada e feliz aquela que os colocou no mundo e dedicou tanto tempo e força para criá-lo. E, para demonstrar esse amor, se esforçam para presenteá-la com aquilo que ela mais queria, mesmo não tendo condição financeira para isso, muitas vezes.

Isso nos leva ao retrato dos comércios, ano após ano, nessa mesma época: lojas cheias de opções de presentes e milhões de pessoas atrás do melhor produto/serviço, e não é à toa que essa é a segunda melhor data para o mercado – ficando atrás apenas do Natal. E, como consequência, índices de endividamento e inadimplência nas alturas, inclusive já entre os mais jovens (dos 18 aos 26 anos).

Então, o que era para ser uma data em homenagem a essas mulheres guerreiras, acaba se tornando sinônimo de descontrole financeiro, podendo trazer sérias consequências a toda a família. Portanto, desafio mães e filhos a fazerem algo que muitas pessoas estão esquecendo de praticar: sonhar! Para provar que isso vem sendo deixado de lado, tentem pensar rápido em três sonhos que vocês tenham – pode ser material ou não. Conseguiram? Pela minha experiência como educador financeiro, posso dizer que são poucas.

Sendo assim, vamos fazer um exercício. Coloquem no papel, no mínimo, três desejos: um de curto (até um ano), um de médio (de um a dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos). Se formos nos atentar aos objetivos materiais, ou seja, que envolve alguma quantia de dinheiro para alcançar, anote ao lado de cada um, quanto custa e quanto poderá poupar mensalmente para essa finalidade. Isso é planejamento e é a base para se tornar uma pessoa educada financeiramente.

Toda a família pode participar dessa atividade, fazendo esse processo com os sonhos individuais e coletivos. Sabendo dessas informações, aí vai a minha orientação: mães, ao invés de pedir presentes totalmente aleatórios e de vontades pontuais, caso saibam que os filhos pretendem dar alguma coisa nessa data, peçam ajuda para realizar um desses sonhos. Pode ser um smartphone, uma televisão, uma viagem ou até mesmo a troca do carro e a compra da casa própria. Dessa maneira, saberão que estão gastando um dinheiro consciente, que realmente irá fazê-las se sentir realizadas.

Com educação financeira, é possível realizar muitos sonhos. Mas lembrem-se: mais do que presentes, a data deve ser sinônimo de amor e união. Feliz Dia das Mães!


Reinaldo Domingos é educador e terapeuta financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP, autor do best-seller Terapia Financeira, dos lançamentos Papo Empreendedor e Sabedoria Financeira, entre outras obras.

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro