Rod Stewart por ele mesmo

Em Rod - A autobiografia, o cantor revela detalhes de sua vida dentro e fora dos palcos, desde a infância humilde em Londres aos loucos anos em turnê

Roderick David Stewart, mais conhecido como Rod Stewart nasceu em 1945, em Londres, em uma família de origem escocesa, acaba de lançar sua autobiografia recheada de curiosidades e fatos nunca revelados na vida desse cantor e compositor inglês.

O astro do rock Rod Stewart, em 68 anos de vida, colecionou alguns números bastante expressivos: são 4 décadas de rock, 3 casamentos, 8 filhos, 16 vídeos mostrados pela MTV no dia da estreia do canal, mais de 200 milhões de discos vendidos e o recorde mundial da maior plateia de todos os tempos em um concerto de rock - 3,5 milhões de pessoas na praia de Copacabana em 1994 - registrado no Guiness Book. Sem falar nas inúmeras experiências pitorescas que tem para contar.

Tudo isso ele reúne em Rod - A autobiografia, que mistura suas muitas histórias curiosas com o humor característico de Stewart. Com um misto de despretensão, bom humor e absoluto desapego à autocensura, tom narrativo que talvez explique o sucesso mundial de Rod - A autobiografia, o artista conhecido pela extrema vaidade (um dos capítulos do livro descreve em minúcias a "construção" de seu característico penteado) surpreende pela transparência e despudor com que revela sua história ao grande público.

São quase 400 páginas, incluindo 32 cheias de fotografias pessoais, que contam, da infância em Londres até os dias atuais. O vocalista de timbre rouco não perde tempo glorificando o próprio mito, nem sonega nenhuma informação importante - como a decisão de dar sua primeira filha à adoção ou o abuso de drogas, incluindo o uso que fez de cocaína por meio de supositórios, a fim de preservar suas vias nasais e a voz.
 
Stewart também confessa que tem menos mais medo de envelhecer do que de enfrentar o fim da carreira - e se admite esperançoso de ter o bom senso de parar antes de entrar na espiral de decadência que o levaria a se apresentar para plateias cada vez menores.

Fica a dica!

Comentários