História dos palácios do Governo de São Paulo é tema de exposição


Foto: Divulgação
Os palácios sedes do Governo do Estado de São Paulo são tema da exposição que o Palácio dos Bandeirantes realiza entre 11 de agosto desse ano e 30 de março de 2014.

A mostra “Casa do Poder” apresenta pinturas, gravuras, mobiliário, arte sacra, fotos, documentos e objetos das coleções do Pateo do Collegio, do Palácio dos Campos Elíseos, do Palácio dos Bandeirantes, do Palácio Boa Vista e do Palácio do Horto.

A exposição está dividida em três núcleos, segundo destaca a Curadoria do Acervo dos Palácios, órgão vinculado à Secretaria da Casa Civil e responsável pela montagem da exposição.

No primeiro núcleo estão expostos documentos históricos, imagens dos palácios sedes do governo e residências oficiais dos governantes. Também são destaque honrarias e uniformes de gala usados, ainda hoje, pelos militares que atuam na Casa Militar, dentro do Palácio dos Bandeirantes.

O segundo núcleo trata do protocolo utilizado no recebimento das visitas oficiais e de hóspedes ilustres, além dos presentes e honrarias trocadas pelos chefes de Estado. Neste módulo, o visitante vai conhecer também móveis dos séculos passados, louças artísticas e com temática histórica.

Ainda nesse núcleo, na Galeria dos Governadores estarão expostos bustos e retratos de chefes do governo paulista desde 1889, data da passagem do Império para a República, até os dias de hoje. Estão expostos, ao todo, ao longo destes 124 anos, 31 retratos e 10 bustos de homens que governaram São Paulo.

Por último, o terceiro núcleo revela alguns destaques do Acervo e suas políticas de aquisição. Por meio da apresentação de obras como “Operários”, de Tarsila do Amaral, ícone do Modernismo brasileiro, este núcleo propõe uma reflexão sobre as mudanças do cenário de participação política na construção da sociedade.

Pateo do Collegio
Recebeu a sede do governo paulista em 1765, após o fechamento do Colégio de São Paulo de Piratininga, que, desde 1554, ocupava o edifício. O local é um marco representativo da história da cidade, pois nesse terreno foi realizada a primeira construção local, que ao longo dos séculos passou por diversas transformações, entre demolições e reformas.

Palácio dos Campos Elíseos
Em 1911, o Estado adquiriu o Palacete Elias Chaves, que passou a ser denominado Palácio dos Campos Elíseos, devido ao bairro em que está localizado. Na década de 1930, a sede do poder administrativo foi transferida do Palácio do Pateo do Collegio para esse local.

Palácio do Horto
O clima, a topografia, a fauna e a flora diversificadas, além de sua localização privilegiada – no coração da maior floresta nativa urbana do mundo –, levaram o então governador Adhemar de Barros a instalar no Parque Estadual Alberto Löfgren a residência de verão do governador do Estado, em 1949.

Palácio Boa Vista 
O Palácio Boa Vista, em Campos do Jordão, foi inaugurado em 21 de julho de 1964, pelo então governador Adhemar de Barros, para servir de residência de inverno do governador. Com o passar dos anos, adquiriu outra função: a de museu aberto ao público.

Palácio dos Bandeirantes

O início das obras do Palácio dos Bandeirantes ocorreu em 1938, a pedido do Conde Francisco Matarazzo Sobrinho, que planejava instalar uma universidade. Durante o governo Adhemar de Barros (1963-1966), foram iniciadas negociações com o Governo para a desapropriação do imóvel, como pagamento de dívidas fiscais do Grupo. Atualmente, o Palácio dos Bandeirantes exerce tanto a dupla função de residência e sede do poder administrativo estadual como a de palácio-museu, aberto ao público.

Serviço
Local: Palácio dos Bandeirantes - Avenida Morumbi, 4.500 - Portão 2 - São Paulo/SP
Data: 11 de agosto de 2013 a 30 de março de 2014
Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 17h
Entrada: gratuita e acessível a pessoas com deficiência
Grupos acima de 10 pessoas: agendamento em www.acervo.sp.gov.br
Todas as visitas são acompanhadas por educadores

Comentários