Taxa do livrinho de noivos: ilegal para o Procon, uma surpresa para a Igreja


É muita cara de pau dizer que essa prática é uma surpresa!
Direto da Agência Radioweb, confira...

Cobrança feita pelas igrejas dos noivos que desejam contratar fornecedores que não estão no Guia da instituição religiosa é considerada ilegal pelo Procon; Igreja promete providências 
O porta-voz da Arquidiocese de São Paulo, Padre Antonio Aparecido Pedreira, foi pego de surpresa, recentemente, ao atender uma ligação. Do outro lado da linha, um repórter da Agência Radioweb questionava a cobrança de taxas, por parte de algumas igrejas em São Paulo, dos noivos que quisessem contratar fornecedores que não estivessem no livrinho da instituição religiosa. 

A prática, recorrente em diversas regiões do país, é cada vez mais comum em algumas das igrejas mais concorridas de São Paulo. E, o que é pior, isso acontece em paróquias como São Luiz Gonzaga, Cruz Torta e Nossa Senhora do Brasil (esta que sequer permite a contratação de profissionais que não estejam em seu Guia de Noivos), que já cobram valores entre R$ 2.000,00 e R$ 6.000,00 apenas para agendar a data do casamento, apesar de o valor estipulado pela Igreja ser de apenas um salário mínimo. 

A cobrança é considerada ilegal pelo Procon e não é, sequer, permitida pela Igreja Católica. O padre Antonio Aparecido prometeu providências “As pessoas que aceitam isso deveriam ir ao Procon, ir a autoridade eclesiástica reclamar.”, disse o porta-voz da Arquidiocese de São Paulo à reportagem da Agência Radioweb. 

A denúncia partiu de uma noiva, que não quis identificar-se. A íntegra da reportagem pode ser conferida aqui

Comentários