Ernest Hemingway: minimalista e genial!


"São necessários dois anos para aprender a falar e sessenta para aprender a calar.”
Ernest Hemingway.


Faz 50 anos em uma madrugada qualquer do mês de julho, na pequena e pacata cidade de Ketchum, estado americano do Idaho, que o escritor Ernest Hemingway decidiu colocar o ponto final em sua vida. Diversas hipóteses foram levantadas na época: que ele tinha câncer terminal, que estava quebrado financeiramente ou um trágico acidente.

Na verdade, como era do conhecimento dos amigos mais íntimos, ele sofria de depressão e paranóia já fazia um ano, a ponto de acreditar piamente de que estava sendo seguido pelo FBI por onde quer que fosse.
Ao longo da vida do escritor, o tema suicídio aparece em escritos, cartas e conversas com muita freqüência. Seu pai suicidou-se em 1929 por problemas de saúde e financeiros.

Dois de seus livros mais conhecidos são Por Quem os Sinos Dobram, publicado em 1940 e O Velho e o do Mar de 1952 e todas as personagens deste escritor se defrontaram com o problema da "evidência trágica" do fim. Enfim, Hemingway ficou famoso pelo estilo conciso e minimalista de escrita que dispensava adjetivos, ia direto ao ponto.


Confira abaixo as dicas desse genial escritor para um texto eficaz:

Use frases curtas (O estilo de Hemingway ia direto ao ponto);
Inicie com um parágrafo curto;
Transmita sua idéia com vigor e energia;
Escreva positivamente - Descreva o que as coisas são, e não o que elas não são.
É isso.

Pesquisa:
Los Angeles Times,The New York Times, Wikipedia.

Comentários

Portal Primus FM: fique por dentro