MUSEU APRESENTA RELÓGIO ATÔMICO

Basicamente, o funcionamento do relógio atômico é referenciado pelos movimentos oscilatórios, a exemplo do que acontece em qualquer outro tipo de relógio. Só que, em vez de a oscilação ser feita por um sistema de pêndulo, balanço ou quartzo, ela ocorre com a estimulação, por meio de ondas eletromagnéticas, dos átomos do Césio 133, que atingem sua frequência máxima de oscilação.
É graças a essas oscilações precisas que os marcadores horários, analógicos ou digitais, se sincronizam.O resultado desse sistema, cuja elaboração requer profundo conhecimento de mecânica quântica, física atômica e eletrônica moderna, é a conquista da mais elevada precisão: enquanto um relógio comum pode variar cerca de um segundo por dia, o relógio atômico que está sendo incorporado ao acervo do Museu varia somente um segundo a cada duzentos anos! 
Sobre o Museu...
Em 1950, durante uma viagem à cidade de Aparecida (SP), o empresário Dimas de Melo Pimenta (1918-1996), fundador da Dimep, adquiriu um relógio de bolso confeccionado em prata lavrada, com mostrador de esmalte decorado. Este foi o primeiro item de uma coleção que, na década de 1990, chegou a 800 peças, e que em 1975 deu origem ao Museu do Relógio.
Curiosidades também não faltam: tem relógio de um ponteiro só, relógio de barbearia (que mostra as horas “ao contrário”, para que o cliente possa consultá-lo pelo espelho), e até um macaco de aparência meio sinistra, que revira os olhos conforme passam os minutos. Para a garotada, nada supera o fascínio dos cucos!

Além das curiosidades, existem verdadeiras jóias como o belíssimo broche de ouro, cravejado com pedras preciosas, que pertenceu à segunda Imperatriz do Brasil, Amélia de Leuchtemberg, e os imponentes carrilhões, que fariam bonito em qualquer saguão de alto luxo.

Fora os relógios de visual mais impactante, lá estão os reloginhos de pulso ou de bolso, que fizeram parte do cotidiano de muita gente. E, por falar em cotidiano, não se pode esquecer dos relógios de ponto. Carro-chefe dos negócios da Dimep durante muitos anos, essas máquinas que tanto ajudaram a controlar o dia-a-dia nas empresas têm sua ponta de participação na história do crescimento econômico e do progresso do País.

Instalado no interior da empresa Dimep Sistemas, no bairro de Vila Leopoldina, em São Paulo, o Museu funciona no horário comercial, de segunda a sexta-feira, e também no segundo sábado de cada mês.

Serviço

Museu do Relógio Profº Dimas de Melo Pimenta
Local: Av. Mofarrej, 840 – Vila Leopoldina, São Paulo/SP
Horário: De segunda a sexta-feira, das 9h às 11h30 e das 14h às 17h.
Informações: (11) 3646-4000
Visitas monitoradas - Entrada gratuita